sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Diferenças e Continuidades

Boa e interessante intervenção do Embaixador dos EUA, Thomas Stephenson, quarta-feira, como convidado do Lisbon International Club, em mais uma iniciativa liderada por Manuel Ramalho. Nota principal a reter: a da continuidade da politica externa norte- americana, apesar das naturais distâncias existentes entre candidatos e partidos, naturalmente sublinhadas na campanha eleitoral. A seguir, também: as diferenças entre as posições dos EUA, face à Rússia, vis-a vis alguns dos seus parceiros europeus, incluindo Portugal.

3 comentários:

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes penso que não podemos dizer tais afirmações, pois Obama ainda não tomou posse e já começam as especulações sobre o que será os EUA no futuro.
Não podemos dizer dos outros, o que não gostamos que digam de nós antecipadamente e V. Exa. já teve experiências desse género.
Vamos esperar para ver como evoluem as coisas e no final tiraremos as nossas elações.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.

joyce disse...

Dr. Pedro Santana Lopes


Não me diga que no seu blog, também há "lápis azul" como na mídia esquerdopata.
É que lhe enviei um comentário a este seu post e pelos vistos foi censurado.
Vou repetir o que escrevi, tirado do post do blog:
http://coturnonoturno.blogspot.com/

"Hillary Clinton aceitou ser a Secretária de Estado de Barack Obama, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos da América. Vai substituir Condoleezza Rice. A política americana é assim: preto no branco, ou vice-versa."

Não entendi bem a censura, pois:

- não insultei o blogueiro;
- não ofendi nenhum comentador;
- Só se agora em Portugal é proibido de dizer alguma coisa sobre Obama.
Existe falta de Democracia? Falta de liberdade de expressão?
Ah! Grande Estados Unidos da América!
Se até o próprio Obama se considera um "vira-latas" porque razão ninguém pode contar anedotas,fazer charges e piadas sobre a sua pessoa? Isso só é permitido para brancos, amarelos, azuis e verdes?
Quem são racistas, são os que escondem, o que lhes vai na alma. Eu, não sou "bobama", mas não sou racista, pois tenho grande admiração pela Condoleezza Rice e outros altos quadros americanos não brancos. Para mim, não importa a cor da pele, mas sim o seu perfil, antecedentes e capacidade intelectual para exercer o cargo, pois se não, é o "princípio de peter".

É o meu desabafo!

Enciclopédia disse...

Boa Tarde
Dr. Santana Lopes
O que nos ensinou o processo eleitoral sobre a força de um partido é impressionante. As diferenças e a luta política por ideias diferentes no Partido Democrata levaram Obama a presidente. É curioso ver que passada a eleição o Partido Democrata saiu unido com as várias correntes a unirem-se emtorno da formação de uma administração que pretente dar resposta aos problemas da América e do Mundo. Não acha que o PPD/PSD podia tirar desta eleição exemplos, aproveitar as ideias, e por sua vez acabar com as guerrilhas internas que assolam e prejudicam o partido. Por isso concordo consigo o título "Diferenças e Continuidades". Pois realmente é na diferença que arranjamos ideias para continuar e vencer.
Um Abraço
José Carlos Palma