terça-feira, 18 de novembro de 2008

Outro exemplo

Impressionante, a crise no sector da produção automóvel. Outra que parecia inevitável. o ritmo da produção em série parecia cada vez mais insustentável. Mesmo para os que não tenham possibilidade de estudar a evolução da oferta e da procura nesse sector, basta um exemplo comezinho. reparar na quantidade de stands de usados que cada vez mais proliferam à beira das estradas e pensar quando e como é que aqueles carros todos podem ser escoados... A ficção dos mercados não era só no sistema financeiro e no sector imobiliário. A produção automóvel é só mais um exemplo de desregulação. Mas aqui, só as próprias empresas se podem autoregular. Aqui nem é a questão do valor, a fundamental. É a da quantidade.

7 comentários:

joyce disse...

Dr.Pedro Santana Lopes

E esta, hein?

"Teixeira dos Santos foi considerado o pior ministro das Finanças pelo "Financial Times", que avaliou o desempenho dos responsáveis das Finanças de 19 países da União Europeia.

O jornal teve em conta os indicadores económicos de cada país e a opinião de um painel de especialistas. Ao ministro português foi atribuída a pior "performance" política, revelando um fraco perfil a nível europeu."

Agora que está na moda socializar tudo, desde bancos até montadoras de automóveis, não vai haver problemas!!!

Egitaniense disse...

Por outro lado faz com que o preço dos usados desça, permitindo que cada vez mais pessoas possam ter acesso a um carro, mesmo que seja em segunda mão.

O excesso de produção, nos países desenvolvidos, é um mal dos tempos modernos. Mesmo na agricultura, com os seus altos e baixos existe hoje excesso de produção.
Como os produtos são baratos, a única forma de capitalizar é torná-los mais descartáveis.

O desperdício é brutal. A crise é um óptimo momento para repensarmos esta situação.

Talvez fosse altura de promover a rotulagem de maneira a que o consumidor possa avaliar a durabilidade dos produtos.

Nuno Nogueira Santos disse...

António Costa ganhou a António Costa. Viva António Costa. Ler em http://aoutravarinhamagica.blogspot.com/2008/11/escrevi-o-livro-errado.html

cusca disse...

Dr Pedro Santana Lopes,
Veja o blog psicolaranja.

Xelb disse...

Meu caro Doutor.
A produção em série está moribunda.
O Alvin Tofler é que tinha razão. A Terceira Vaga está aí e com a força toda...

Vítor Silva disse...

Dr. Pedro Santana Lopes,

Pessoalmente acredito que as recessões são devidas, em grande parte, à estratégias de reduzir salários e, para manter o nível de vida, as pessoas compram crédito em que a prazo ainda vão ter menos capacidade de compra. Ainda ninguém viu que para movimentar a economia é necessário que as pessoas tenham dinheiro?! Ou será que é necessário este tipo de política para criar crises ciclicas e estas servirem de justificação para extorquir dinheiro aos contribuintes e outras medidas de interesse para alguns? !
meu blog: www.vtrslv.blogspot.com

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes tudo neste mundo está desregulado.
Tantos estudos se fazem e no final vemos que todos eles estão errados ou enviesados.
É tempo de olhar para o futuro com outros olhos, não podemos fabricar só para mantermos os postos de trabalho, temos de fabricar seja o que for, consoante as necessidades do mundo.
Se alguns sectores estão em crise, outros necessitariam de uma maior abertura para a sua expansão, olhemos para os mercados dos bens essenciais, onde vemos uma imposição de quotas por parte de Bruxelas e onde constatamos que essa imposição só leva a um aumento desses bens, pois como sabemos onde a oferta for menor do que a procura, existirá sempre uma maior especulação.
Temos de acabar com todos estes lobbies e com todos esses abusos, não podemos ter dois pesos e duas medidas, pois sendo assim podemo-nos questionar, o porquê de não impor quotas na industria automóvel, na industria imobiliária, etc.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.