sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Sentido do Dever

Nenhum Português terá dúvidas de que Pedro Passos Coelho fez hoje o que entende ser o seu dever perante o País. O que os Portugueses já conhecem da sua maneira de ser, permite - lhes fazer essa justiça.
A sua expressão dizia tudo.

Esperemos pela entrega da proposta do Orçamento de Estado para se confirmar a dimensão das medidas  que se tornaram indispensáveis para enfrentar a tão difícil situação. Só o tempo que demoraram os Conselhos de Ministros que foram necessários demonstra bem a enormidade da tarefa que o Governo teve, e tem, pela frente.  

19 comentários:

miguel vaz serra....... disse...

Dr. Santana Lopes
Dia 13 de Outubro.
Deveria ser um dia para meditar.
Os crentes, no que queria dizer a Senhora realmente aos Portugueses ao escolher-nos para aparecer. Os que não acreditam, porque tantos milhões vibram com tudo aquilo.
Mas não. Foi um dia marcado.
O dia em que se perdeu grande parte da nossa Democracia.
Depois de ouvir o nosso PM fiquei em estado de choque.
Sei que ele não teve nenhum gosto em ler aquele maldito papel nem muito menos culpa da situação actual e apesar de saber muito bem no estado em que os Governos de José Sócrates ( e todos sentimos na pele e sabemos que ninguém fazia nada nos mesmos sem ele mandar ou concordar ) e esperar um Orçamento pesado, apanhou-me de surpresa.
Durante 6 anos fomos privados de muitas formas de liberdade, principalmente a de expressão. Muitos de nós sentimos ameaças por querer dizer verdades e expor os podres socialistas.
O PM da época era conhecido por ele mesmo telefonar às pessoas a ameaçar. Jornalistas e não só. Alguns até se queixaram em público. Outros escreveram artigos que foram censurados, como o famoso de Mário Crespo.
Eu mesmo, que não sou conhecido em lado nenhum, recebi telefonemas anónimos que depois e por ajuda de um amigo da Policia Judiciária soube que eram feitos da AR e duma “Empresa de Consultoria”.
Foi uma época de privações. A mais parecida à do Estado Novo desde a 1ª República.
Sócrates no seu melhor brincando com o mesmíssimo fogo que o queimou pois errou pensando que isto era fácil como no País do seu grande amigo na América Latina.
Nessa altura escrevi muitas verdades que faziam sombra. Quem se meter por este blog e andar uns anos para trás, até 2008 mais ou menos, pode ler o que eu escrevi na época. Entenderão os telefonemas anónimos.
Foram tempos de medo. Difíceis. Mas nunca senti que tinha perdido a Democracia.
Afinal tínhamos as “casas” de refúgio. Este blog foi uma delas e dava-nos não só voz como força para continuar a lutar pela verdade. E ela veio à tona….Hoje mais que nunca. Implacável como quem nos deixou neste estado lastimável e estuda agora “Ciências Sociais” em Paris depois de ter sido recusado duas vezes pela Universidade.
Agora acusam o PM de falar no passado quando disse que nunca iria desculpar-se com o mesmo. Pois é. Mas como alguém disse e bem, o povo tem o direito a saber porque é que vai ficar sem subsídio de Natal e Férias durante dois longos anos entre outras loucas coisas.
Afinal, depois de descobrir um buraco de mais de 3 mil milhões de euros escondido, repito, escondido por Sócrates, só lhe restava dizer a verdade e foi o que fez.
Já vieram os “judas” dizer que essa história tem que ser aclarada. Os Socialistas que deviam estar calados já acusaram o PM de estar a desculpar-se com Sócrates. Só que Sócrates desta vez não tem desculpa nem saída e os Socialistas menos.
Quem anda a “escavar fundo” nas fraudes cometidas não é o PM nem o PSD, não. É o FMI, a famosa troika, que nos veio dar de comer mesmo no limite pois Sócrates deixou-nos sem dinheiro nem para pagar os ordenados aos funcionários públicos.
( continua )

miguel vaz serra....... disse...

( continuação )
Essa é a verdade que deve ser gritada e falada em todos os jornais deste País que têm feito um trabalho nojento ao longo destes anos de ditadura socialista.
Pois bem. Ela acabou!!! É hora queridos amigos, de falar a verdade e acusar os culpados, os mentirosos, os que esconderam as verdadeiras dívidas de Portugal. Coragem? Homens? Veremos agora.
Muitos como eu fizemos o que podíamos para contrariar a censura da época…
Agora a mesma acabou, portanto falem de uma vez e digam tudo o que sabem e esconderam também vocês tantos anos!
Há muitos culpados. Começa com Sampaio e toda aquela trama esquisita, nefasta, bifacial, cobarde, de quem apunhala por detrás sem antes deixar um sorriso amigo pela frente. Depois e como disse muitas vezes, o PR que deixou Sócrates completamente à solta até ao limite. Constâncio que nunca verificou nada nem queria saber das trafulhices que se iam fazendo. Teixeira dos Santos que devia ter pedido a demissão, como fez o primeiro-ministro assim que viu quem era Sócrates, e ter dado uma entrevista a dizer tudo o que sabia e se estava a esconder.
Todos são culpados. Uns mais que outros, certamente, mas os “mais” deviam ser chamados à Justiça aliás como diz a nossa Constituição:

Constituição da República Portuguesa

Artigo 117.º

Estatuto dos titulares de cargos políticos

1. Os titulares de cargos políticos respondem política, civil e criminalmente pelas acções e omissões que pratiquem no exercício das suas funções.

2. A lei dispõe sobre os deveres, responsabilidades e incompatibilidades dos titulares de cargos políticos, as consequências do respectivo incumprimento, bem como sobre os respectivos direitos, regalias e imunidades.

3. A lei determina os crimes de responsabilidade dos titulares de cargos políticos, bem como as sanções aplicáveis e os respectivos efeitos, que podem incluir a destituição do cargo ou a perda do mandato.

Pois bem. Chegou a hora de repôr a Democracia!!!!!!!!!
Aplique-se!
Viva Portugal!

Rui Ratão disse...

Ó Dr. Santana Lopes, francamente!~

Será difícil percebem que este OE vai arruinar a economia do país? Que, daqui a seis meses, nós seremos a Grécia II?

Jorge Diniz disse...

"Nenhum Português terá dúvidas de que Pedro Passos Coelho fez hoje" o contrário do que prometeu em campanha eleitoral.

Era isto que pretendia dizer?

silva disse...

Sou quadro superior na função pública, vou pagar a factura de vários anos de loucura e desvario na gestão dos dinheiros público com o Sentido do Dever por patriotismo, mas queremos saber quem são os responsáveis.
Tem que haver justiça o esforço e compreensão dos portugueses vai depender disso.
Temos o dever por patriotismo, por imperativo nacional, mas quem atraiçoou os seus com-cidadãos tem de ser chamado à responsabilidade.
Eu conto com o Sentido de Dever de Justiça deste Estado.

mil disse...

Não pude ver o PPC, porque estava a trabalhar (honestamente).
Penso que não devem ser só os funcionários públicos e os pensionistas a pagar a crise. Em tempos de "vacas magras" os sacrifíos devem ser distribuídos SOLIDARIAMENTE por TODOS.

E já agora as pensões milionárias acumuladas (com 6 meses de trabalho, ou 1 mês!) devem deixar de existir! Aos 65-67 tem UMA -DE ACORDO CONM A CARREIRA CONTRIBUTIVA.

É que ao contrário do bonzos do sistema, eu não aceito «todos os animais são iguais, mas há animais mais iguais do que outros». É eu não sou republicano, socialista e laico...

o cusco....... disse...

Pois é, mas afinal quem nos enterrou vivos sem uma palhinha para respirar, foi o Partido Socialista comandado pelo camarada da Covilhã, Senhor Zé Sócras, e ninguêm os culpa oficial e formalmente. A ele e aos já esquecidos primos, mãe, tio, Varas, Godinhos , Ingleses do Freeport , aos que mandaram apagar as escutas, aos que fizeram negócios, aos que permitiram mudar as leis para as trafulhices com a Mota e Gil ( a última foi de 600 milhões de euros ) e tudo o que foi feito durante 6 demasiado longos anos que Cavaco Silva deixou passar sem fazer NADA e hoje quem o ouve falar pensa que ele nunca foi PM e foi eleito há 2 meses……

Anónimo disse...

Na verdade o trabalho “sujo” (peço desculpa pela expressão), está feito.
Agora para compreendermos e aceitarmos o que temos que suportar, em especial os func. Públicos, é absolutamente necessário complementar com as medidas, que sempre se anunciaram, de reestruturação da sociedade…
Se continuarem os lóbis partidário/empresariais, as capelas e capelinhas (na administração central e câmaras que mais parecem empresas privadas), as cooperações “ditas” de interesse público que parece só se interessarem por lóbis dentro dessas cooperações (ex. ordens)…então a desgraça continuará.

Estou convencido e espero, que a expressão do Primeiro-ministro, também diga isto.

o cusco....... disse...

POR FAVOR DIGAM-ME QUE É MENTIRA:
A Federação Portuguesa de Futebol disse que vai dar um prémio de 117 mil euros a cada jogador se ganharem à Bósnia??????????????????
Mas eles já não ganham ordenados obscenos? Não é a OBRIGAÇÃO deles ganhar, cambada de anormais que não sabem nem correr atrás duma bola. Não têm um capitão que diz que é lindo e rico? Estão a gozar bom a cara dos portugueses que acabaram de perder os subsídios de Natal e Férias por culpa dum pulha que nos endividou até aos ossos e ri-se de nós em terras galesas quando devia estar a chorar na cadeia?
É este o "sentido do dever" que se vive no "sem sentido algum" futebol português?
Que vergonha!!!!
ESTOU INDIGNADO!!!

Ricoca disse...

Caro Pedro Santana Lopes:
Não sei sinceramente o que o leva a dizer que "nenhum Portugues terá duvidas".
Não quereria dizer nenhum eleitor do PSD/CDS?
Penso que sim.
Em relação a PPC, tendo em conta o que disse antes das eleiçoes e o que fez depois, acho que os Portugueses ficam com muitas duvidas em relação à sua maneira de ser.
Atenção que não estou a defender ninguem.O meu voto é em branco.

Hugo Correia disse...

Não vai ter vida fácil...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=gNu5BBAdQec#!

...também por culpa própria(para ser simpático). É pena.

Miguel Magalhães disse...

Bom dia,

Eu compreendo toda a situação aflitiva do governo em cumprir os seus compromissos, pois em 6 anos duplicamos a nossa divida, e quando se gasta à grande e com o dinheiro dos outros é o que acontece.

Mas, não seria possivel, o governo pagar os subsidios de natal e de férias, em Titulos do Tesouro, ou doutra forma qualquer, mesmo que fosse a 10 ou 15 anos. Assim, as pessoas ficariam mais "animaditas", mas sabiam que estavam a fazer uma poupança a longo prazo para os seus filhos.

Além disso, o ex governo estourou com o dinheiro de todos os portugueses, não podem ser só os funcionários públicos a pagar a crise, por exemplo, o brilhante aeroporto de Beja, não serve só para os funcionários públicos andarem, ou servem?

Cumprimentos a todos.

JDR disse...

Não é preciso ser economista (sou jurista) para ver que este orçamento de austeridade não vai resolver nada, vamos chegar ao final de 2013, pior, com mais desemprego, em recessão, com crescimento da economia negativo, e depois a desculpa vai ser a conjuntura internacional, tretas. O mesmo aconteceu com o "des"governo de sócrates, de pack em pack até à ecatombe final, até á falência de Portugal.Mais uma vez os funcionários públicos pagam a incompetência dos políticos, e os privados vão por arrasto...os grandes interesses económicos (aqueles que financiam as campanhas e dão emprego a ex-governantes) das parcerias público-privadas esse são intocáves, aí não há estado de necessidade ou de emergência do Estado, não, aí o Estado tem que cumprir os contratos...então e os contratos com os funcionários? Mais um governo muito corajoso, forte com os fracos e fraco com os fortes. Alguém disse e estou de acordo este orçamento envergonha a memória de Sá Carneiro, como social democrata também estou envergonhado com a falta de ética social deste Governo. Vai ser muito mau...
Então e a redução das Freguesias e de Municipios que prevê o memorando da troica.
O povo compreende os sacrificios que se têm de fazer (e quem melhor que nós? A crise é o nosso Fado)agora o que os portugueses não compreenderão é que os sacrificios sejam só para os mais fracos, para a classe média, enquanto os bancos continuam a ter lucros, a EDP a ter lucros...E se os bancos forem à faléncia por "desvios" lá estará o Estado a deitar a mão.
E quem deita a mão aos milhares de portugueses que vão todos os meses para o desemprego? Isto já não é um Estado Social é um Estado Bancal. Viva o direito á indignação. Viva Portugal.

João disse...

Sou português e tenho dúvidas, muitas dúvidas sobre os objectivos de PPC.

miguel vaz serra....... disse...

Dr. Santana Lopes
O dever de dizer a verdade, cabe a este novo Governo.
Se há coisa mais repugnante é a hipocrisia e o Partido Socialista é líder em número de hipócritas.
Os outros já sabemos…Aquela cassete “Estalinesca” que devia estar ilegalizada desde 1976 mas mais uma vez a e para me dar razão a hipocrisia do PS na altura retirou-lhes a coragem de o fazer.
Cunhal que fedia aos Hotéis de luxo da falecida URSS e a Brejnev, odiava Soares e o amor era recíproco. Qual mais hipócrita na época?
Pois passaram 40 anos e como o Vinho do Porto, a coisa foi refinando, melhorando, atingindo o clímax com a Liderança do Senhor José Sócrates Sousa.
Hoje o PS é um mar de hipócritas. Os que ficaram do tempo do outro e os novos, adeptos de Seguro,
“O Anti-Sócrates” ( que por enquanto desculpo ).
José Sócrates deixou o Estado português numa miséria só comparável à total loucura de Vasco Gonçalves e hoje o Líder da bancada Socialista dizia que talvez chumbassem o Orçamento.
Além da hipocrisia devem estar todos com Alzheimer, galopante, pois desde o dia 21 de Junho esqueceram-se dos 16 anos que o Partido deles esteve no Governo
( com um brevíssima interrupção ) e dos piores anos que jamais se viveram em todos os sentidos
( liberdade de expressão, corrupção, fraude, amiguismos, tráfico de influências, luvas, criação de Empresas fictícias, manipulação de altas instâncias da Justiça…you name it.. ) que foram estes últimos seis.
As pessoas não fazem ideia do descalabro real que foram os últimos dois anos de Governo Sócrates.
A loucura elevada ao limite.
De 80 mil milhões de dívida fomos para 300.
Pediu dinheiro a juros impagáveis!!!
A burrice chamada arrogância em não pedir ajuda ao FMI aumentando a dívida nos especuladores famintos de sangue luso.
“ Não necessitamos ajuda” berrava aos sete ventos e os chamados jornalistas deste país amparavam a loucura temendo talvez pelos seus postos de trabalho…
É culpa também do PSD/CDS em não expor os podres do Governo Sócrates de uma vez por todas. Talvez com medo de salpicos….Mas é a única forma deste povo entender porque ficaram sem subsídios de férias e Natal e também por já não haver alma lusa que não tenha familiares no desemprego ou a passar necessidades.
Durante anos falei cobras e lagartos desse tipo.
Chamaram-me nomes.
Hoje e infelizmente posso gritar que estava coberto ( íssimo ) de razão!!!
O homem não presta, disse várias vezes.
Foi o antes, o durante e o depois de Sócrates.
O durante foi um pesadelo.
Um ensaio de ditadura que só não vingou por estarmos na Europa, e o depois foi o péssimo, o buraco negro, a negatividade no seu esplendor, a miséria, a banca rota.
Nunca mais nada vai ser igual e o povo ainda nem interiorizou isso.

o cusco....... disse...

Sentido de dever para todos, não só para alguns.
Faria um sentido tremendo era se todos os que trabalham, vendem, compram, negoceiam, pagassem impostos! Se todos, não estaríamos em recessão nem sequer em crise nem défice!!!….
“Demagogia!” dirão.
Não. De longe.
Os números estão aí para quem os quiser ler e entender. Cerca de 40 mil milhões de euros não roubados ao Estado Português. Não vão para onde deviam ir, para os cofres do Estado o que quer dizer que sempre que não pedimos uma factura, eu até a carregar 5 euros no telefone ponho o meu número fiscal no recibo das caixas multibanco para obrigar as empresas de telefone a declarar o que eu paguei, pois não o fazem…,estamos a contribuir para que ninguém pague imposto.
Se todos pedíssemos facturas não estaríamos agora a pagar a crise com os nossos subsídios de férias e Natal nem com a subida incrível de impostos pela miséria de contas que Sócrates nos deixou.
Em vez de a EDP, empresa de monopólio obsceno e “SEM SENTIDO ALGUM” andar a fazer anúncios como se necessitasse propaganda ( não temos escolha possível ) deviam gastar dinheiro em anúncios nas televisões a “lembrar” as pessoas de que peçam facturas em tudo até no pequeno-almoço da pastelaria da esquina, seja 4 euros ou 400.
Já agora relembro que das coisas mais graves que se fizeram nos últimos 6 anos foram as negociatas com as “parcerias publicó-privadas".
A parceria é: Nós ganhamos "milionadas" e o Estado paga, ou seja, nós, com os subsídios de férias e natal e mais e mais impostos.
As assinaturas dos Ex-Secretários de Estado, Ex-Ministros, empresários e negociantes estão lá desgraçando o estado, lesando o povo português em ganhos impensáveis, portanto sabemos quem eles são.
Só este ano tivemos que dar a esses malandros mil milhões de euros e para o ano são dois mil milhões.
Que tal chamar essa gente e dizer-lhes que não vamos pagar nem mais um euro e vamos anular as negociatas em nome da “emergência” económica e social como se fez com os salários e subsídios?
Não querem? Tudo para tribunal acusados de lesar o estado propositadamente!!!
Assim sim, seria mais agradável aceitar os cortes deste Governo que não tem culpa nenhuma do que lhe deixaram, mas sim na forma de recuperar Portugal se não for mexer nestas negociatas obcecas.
Tenho a certeza de que todos pensam mais ou menos o mesmo mas parece que só dois ou três falamos disso.
Faço um apelo ao Ministro actual das Finanças e à tão sempre polémica Ministra da Justiça para que se sentem num banco dos Paços Perdidos e “se encontrem” em ideias para arrumar com estes malandros de uma vez.

Na peor das hipóteses disse...

O país emigra...

na melhor das hipóteses
emigra-se o país

o senso já emigrou todo
corta-se o que pode
evita-se afugentar os capitais
que já são poucos

um clássico
mas é rápido demais

e numa economia de serviços e de serviçais feita

vai dar mau resultado

miguel vaz serra....... disse...

O dever dos "sentidos"...
A história dum povo que em menos de 40 anos se transformou numa massa de desonestos…..
Extraordinário a diferença de gerações.
Os antes e os depois do Estado novo.
Um povo que era conhecido pela sua amabilidade, educação, por todos os estrangeiros transformou-se num pequeno monstro de agressividade e má educação.
Basta ver como nos servem nos Restaurantes e Pastelarias.
Atiram-nos com os copos, recebem-nos com umas trombas até ao chão e não há um sorriso ou obrigado por mais que nós o digamos.
Antes suicidavam-se para “salvar o bom nome da família” em casos de banca rota. Hoje são aplaudidos em casa se roubam o fisco.
Os Pais ensinam aos filhos como se deve fazer a coisa sem ser apanhado.
“Vergonha é roubar e ser apanhado”!!!
É o conselho que hoje em dia passa de geração em geração.
Dormia-se de porta aberta.
Os vizinhos ficavam com os bebés uns dos outros.
Hoje acorda-se com gente desconhecida em casa, mesmo fechando portas e janelas antes de ir para a cama.
As Polícias eram respeitadas, havia até medo. Hoje são alguns membros das mesmas que estão metidos em casos de droga e associações criminosas como se pode ler e ouvir nas notícias.
E claro para terminar a evolução não podia deixar de falar na política.
Essa classe de homens e mulheres que deixaram o mundo de patas para o ar.
Não os culpo.
Culpo quem os vota.
Dizem que cada povo tem os políticos que merece.
Não posso estar mais de acordo se falamos do mundo "chamado democrático"( também teria muito que dizer sobre isso ).
Uma coisa é falar em ditadores como em Angola, Cuba, Coreia, Síria, Líbia ( acabei de ouvir que Kadafi foi morto há umas horas. Geralmente acabam assim e até mortos pela sua própria guarda que se vende a quem mais paga ). Nesses casos não se pode culpar o povo.
Em Países como o nosso, se enganam as pessoas uma vez e depois são "re-votados" que nome podemos dar a esse povo que os vota segunda e às vezes terceira vez?
Vejamos por exemplo como o povo julga os políticos em Portugal com uns exemplos bem recentes.
Barroso vai embora de repente e pedem a Pedro Santana Lopes para pegar nas rédeas. Depois de pensar uns dias decide pôr os interesses do Partido e País à frente dos pessoais e aceita.
Resultado? ( continuação )

Anónimo disse...

Hahahahahah! O que é preciso dizer para agradecer uma "gentileza"!