sábado, 7 de março de 2009

Confirmações

Nos projectos das taxas moderadoras, Jaime Gama não votou e faltaram mais dois Deputados, um do PSD, outro, independente ex-CDS. Portanto, 115 de um lado e 112 do outro. Mas a questão politica não se altera. Como se comprova pelas declarações, ontem, de um Deputado do PS, atacando Manuel Alegre. E, principalmente, pelas notícias e entrevistas na Imprensa de hoje.

2 comentários:

Dina disse...

Caro Dr Pedro !
Infelizmente para Portugal , a vontade do seu Povo já não se encontra expressa nesta Assembleia.
Se bem me lembro ...foi até essa razão que o então Presidente Sampaio invocou para dissolver o Parlamento na altura em que o Dr Pedro era Primeiro Ministro.
Tudo como bem lhe conviu para passar o poder ao seu ex-amigo e camarada José Sócrates.
É evidente que Cavaco Silva já viu isso tudo, mas não quer e não irá dissolver o Parlamento.
Isso tem um preço ,e, o preço são todo um conjunto de tropelias de toda a espécie e feitio, que o PS vai inventando e onde os seus deputados (para além de outros) , são os actores de primeiro plano para forçar a situação.
Não dissolver está correcto ,e, pela primeira vez na vida, Cavaco Silva terá que ser um bom «toureiro» para poder lidar este «touro» e segurá-lo bem nos «chifres» , até porque, também poderá levar estocada em sitio vital.
Com isto tudo, também acredito que Cavaco Silva já engoliu alguns sapos e vai continuar a engolir (mas, isso até lhe fará bem ,penso eu! )
Voltando ao Povo , a sua reacção perante tudo o que vai vendo e ouvindo é unânime quando diz que não gosta deste Governo , mas que está à espera de ouvir uma oposição, que não prometa , mas que se comprometa a opor .
Isto é , quando uma lei como esta (taxas moderadoras) surge ou é reavaliada a oposição mostra uma grande indignação e vota contra . Muito bem! Mas isso não basta. Não basta chamar nomes ao Governo e votar contra. Isso não é oposição, isso é teatro e critica. E artistas e criticos já existem muito e não se precisam de mais.
A verdadeira oposição deverá vir a terreiro «comprometer-se» perante o Povo de que, se e quando for Governo irá requerer de imediato a sua revogação. ( E depois , custe o que custar , não esquecer e cumprir ) .
É disso que o Povo está à espera, só que não ouve nada e não vê nada ,e, isso é muito mau.
Tão mau,que o Povo começa a não saber em quem acreditar e uma abstenção na ordem dos 50%/60% pode vir dar uma nova maioria absoluta ao PS .
Isso é trágico e se acontecer a culpa seguramente que não é de Sócrates!!
É nestas alturas que se medem os verdadeiros políticos e a sua coragem . Vamos ver !
Cptos

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes nos partidos não há liberdade de voto, o que me deixa pena.
Se nos partidos não existe liberdade de voto, então o que fazem tantos deputados no parlamento?
Partido que tem maioria e não dá liberdade de voto, então o parlamento passa a ser uma ditadura, onde o secretário-geral do partido define o voto de 115 deputados.
As maiorias parlamentares devem ser constituídas pelo menos de dois partidos de modo a que haja mais equilíbrio.
Em relação ao deputado Manuel Alegre, o filme já se torna cansativo de tão repetitivo, pois está sempre contra tudo e contra todos, mas na altura da verdade não tem coragem para dar a cara e formar uma nova força politica.
Esta sua atitude só esta a ajudar o PM, pois não havendo definição é sinal que esta bem onde esta, só procura é um tacho melhor.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.