sexta-feira, 6 de março de 2009

Insustentável

O PS chumbou os projectos que pretendiam pôr termo às taxas moderadoras nas cirurgias e nos internamentos.pa A posição oficial do PS não foi seguida, novamente, por cinco Deputados socialistas, o que reduz a maioria para 116 votos, exactamente o número da maioria absoluta tangencial. Mais uma vez, Manuel Alegre e outros quatro Deputados não respeitaram a disciplina de voto.
O PS tem aqui uma questão muito séria. É muito bonito continuar a apregoar que no PS é só liberdades, porque eu queria ver como era se fossem mais os Deputados "desobedientes". De qualquer modo, também para Manuel Alegre a situação é cada vez mais exigente quanto à necessidade de uma clarificação. E é cada vez mais estreita a margem de manobra para uma reconciliação com a Direcção do seu Partido. Depois de tanto desacordo em tanta matéria, seria difícil de compreender um realinhamento à beira das eleições. Até porque o risco para o PS também seria muito grande: Manuel Alegre exigiria sempre lugares para Deputados que lhe são próximos e o PS, mesmo que ganhasse as próximas eleições, não seria certamente por uma margem folgada o que torna mais insustentável toda estas liberdades nas votações do seu Grupo Parlamentar.

4 comentários:

Jorge Cabral disse...

Caro Pedro,
Lamento se contribuo para a sua desilusão mas não creio que nenhum destes epifenómenos seja autêntico.
Estas votações estrategicamente "à pele", os "conveniente apagões", as tricas "fracturantes" e muito mais, parecem-me peças imprescindíveis de uma estratégica política de animação e entretenimento, muito bem delineada a nível do partido (PS), exclusivamente para consumo externo.
Veja bem que cada um destes factos trouxe, até agora, só vantagens para o Pinócrates, que, cada vez está mais consolidado quanto à vitória nas próximas eleições.
Muito gostaria eu de me saber equivocado...

Kruzes Kanhoto disse...

Votou contra mas parece que é a favor. Ou melhor vai ser a favor mas por agora votou contra.

miguel vaz serra disse...

Dr.Santana Lopes
E António Costa começou em campanha...manhosa,claro,mas começou.
Vem daí ,o distanciamento de Pinto de Sousa. ( o nome do Filósofo já não lhe serve de nada,para grande descanso do verdadeiro )
António Costa esgota os mandatos no Secretariado e sai.....que jeito dá...Faz um discurso de extrema direita a pôr o Bloco na sarjeta esquecendo que nem Louçã nem o PM tem dignidade política alguma e farão tudo o que fôr necessário para não perder o protagonismo,para não dizer o poleiro,e anda agora a dizer que o "estado" não cumpre,para não dizer que o Governo do amigo do amigo Chavez,não fez nada do que lhe prometeu quando o mandaram para a CML.Enquanto há poder,vão escondendo as desavenças...mas agora que o PS baixa nas sondagens cada segundo que passa,já nem a SIC os salvará...e aí..aí António Costa tem mesmo que se distanciar para não perder ainda com mais diferença que perdeu João Soares em 2001.Sabemos todos que não vai adiantar nada,ser PS hoje em dia é estar condenado ao riso do povo,mas ele tentar,tenta,o problema é que já é notório.É como o dizer que anda a pagar as contas todas,as dívidas deixadas pelos antigos Presidentes da Câmara e depois o que realmente anda a fazer é ver o que pode não pagar para tirar essas contas das estatísticas.É a tal esperteza saloia..como se as Empresas se calassem depois de verem que não vão ser pagas.Isso passou com o Estado pelo medo ao novo regime,mas na CML a coisa é diferente....Soares dos Santos diz que o PM é um PM "cansado",mal assessorado....Uma pessoa que não ouve ninguêm não é assessorado..Nem mal nem bem...E se "ele" está cansado o que dizer de nós povo,depois de o ouvir durante todos estes anos?????de mentiras,diz que disse,forças ocultas do além,vendettas familiares etc...Exaustos?para ser simpático?!
Há 15-20 anos podia-se brincar com a política e com o povo,agora não e esta crise ainda veio abrir mais os olhos das pessoas.Portanto o nervosismo está a instalar-se no PS e na Câmara de Lisboa.
Ainda estamos longe do dia D mas já se nota a estratégia saloia.Seria normal se fosse só da parte dos estrategas de trazer por casa,o pior é que os média estão mais uma vez a embarcar na onda e andamos como o Dr.disse e bem num outro seu comentário,a ver como as perguntas são combinadas para entrevistas e coisas do género,que não só são dum anti-profissionalismo atroz,como ajudam a desmascarar o lobbi.
O Dr. saiu dum programa desportivo em 2001 porque ia ser candidato á CML,agora e como diz e bem Jorge Álvaro num comentário aqui no seu blogue,porque é que António Costa está num programa bem político com Pacheco Pereira?Ainda por cima com Pacheco Pereira,digo eu.Um homem que em vez de apoiar os colegas de partido,só pensa no protagonismo pessoal e arrasa tudo e todos como se fosse engraçado...ou alguém graça lhe achasse...Não só não tem piada nenhuma como é lamentável e triste..muito triste..tudo triste...digo eu.....

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes em relação as taxas moderadoras já se sabia de antemão que o projecto não passava, pois o partido do governo tem a maioria e só aprovam projectos elaborados por eles.
Mas em minha opinião o projecto também não estava bem elaborado, pois em tempos de crise não podemos chegar aqui e dizer para se acabar com as taxas moderadoras e ponto final; temos pelo contrário fazer um projecto onde se acabe com as taxas moderadoras para quem necessita, mas em contrapartida quem tem rendimentos suficientes deve pagar por um serviço que esta a utilizar, ajudando assim aqueles que não podem, isso sim seria uma lei onde víamos os ricos a ajudar os necessitados.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.