sábado, 21 de fevereiro de 2009

Par ou Ímpar

Num post de Novembro de 2008, fiz referência a notícias insertas, numa qualquer página par, em baixo, bem discretas, no Expresso. Passaram uns meses e a matéria lá vem, Sábado passado, em texto destacado, na página 15. Assim se perdem «caixas» ou manchetes...
Quando se fala do tempo que certos processos estão parados na Justiça, é bom atentar em como também são secundarizados noutras instâncias. Este exemplo, que aqui refiro, é bem ilustrativo do estado em que se encontra a sociedade em que vivemos.

6 comentários:

Anónimo disse...

Caro Companheiro Dr. Pedro santana Lopes é com muito gosto que tenho acompanhado os seus posts no seu blog pessoal.
É bom saber que apesar da sua já longa carreira politica continua um jovem, não porque tenha idade para isso, mas apenas porque continua irreverente e lucito como um jovem.
Gostaria de entrar em contacto consigo para lhe poder sondar para uma conferencia sobre políticas de juventude a nível autarquico, actividade essa a realizar pela Juventude Social Democrata do Cartaxo.
Deixo aqui o endereço de mail da estrutura, ficando à espera da sua resposta, gostariamos muito de contar consigo ou de pelos menos iniciarmos conversações.

Um Abraço Amigo
Gonçalo Gaspar
(Presidente da JSD Cartaxo)

mail:jsdctx@gmail.com

joyce disse...

Dr. Pedro Santana Lopes

No seu post, disse:

"(...)Assim se perdem «caixas» ou manchetes...(...)"

Aproveitando a sua frase, mas fora do contexto, não deixo de estampar esta:

"21.02.2009 - 11h29 PÚBLICO

O secretário-geral do Partido Socialista (PS), José Sócrates, convidou o Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para assistir ao Congresso do partido no próximo fim-de-semana, noticiou hoje o semanário “Sol”.

Segundo o jornal, os socialistas justificaram o convite com o “relacionamento muito forte” que existe com a Venezuela. “Interessa-nos manter estas pontes”, disse ao “Sol” Paulo Pisco, do departamento de relações internacionais do PS, lembrando a comunidade portuguesa naquele país.

Será a primeira vez que o partido faz um convite semelhante, nota o semanário.

O XVI Congresso Nacional do PS será realizado nos dias 27 e 28 de Fevereiro e 1 de Março, em Espinho."

Comentário meu:

Chávez convidado pelo Sócrates?
Não dá para entender e sabe porquê?

Então leia, com calma, o que denuncia este blog:

"Sempre que Chávez inventa um novo referendo ou acontece uma eleição regular, não tarda muito e as falcatruas promovidas por ele e seus capachos (CNE, militares do Plano República, milícias bolivarianas, etc.) começam a aparecer. Que a fraude eleitoral já está institucionalizada na Venezuela hoje em dia até as pedras sabem.(...)"

http://notalatina.blogspot.com/2009/02/sempre-que-chavez-inventa-um-novo.html

Perguntar não ofende:

Será que os socialistas querem saber como se faz a fraude em eleições sem deixar rastos?

António disse...

Não batamos mais no cadáver.

A Justiça portuguesa tem-se prestado e aviltado num lamentável espectáculo de impotente decrepitude senil: o descontrolo do segredo de justiça, as contradições públicas e explícitas entre magistrados referindo-se aos mesmos factos, o arrastamento na vez do impulsionamento, a reacção na vez da acção.

Este cadáver já só precisa mesmo de cerimónias fúnebres minimamente dignas e de um sucedâneo credível.

Anónimo disse...

A justiça está melhor do que nunca.
http://4.bp.blogspot.com/_5Zhv0X_IiUw/SZmdKtbKnKI/AAAAAAAAJIs/I_-1lztn8ug/s1600-h/juizaCAS.jpg

words disse...

«Num post de Novembro»; «numa qualquer página»; «passaram uns meses»; «assim não se perdem caixas ou manchetes...»; «certos processos estão parados»; «são secundarizados noutras instâncias»; e, finalmente, «Este exemplo, que aqui refiro...», que exemplo?
Dr Pedro Santana Lopes, porque não usa o sujeito, o predicado e o complemento directo, de forma clara, para todos entendam a sua mensagem? Porque prefere artigos indefenidos, expressões vagas, sugestões? Fui buscar o Expresso: tem a sua divagação a ver com os atrasos do Pólis? Vamos falar disso? Diga o que pensa. Isso interessa. Isso importa.

Anónimo disse...

Este País e quem nele habita só atingirá o cúmulo da felicidade quando nas suas ruas e ao estilo do que melhor se faz na Venezuela, se ouvir a população a vibrar com "Uh, ah Socrates no se va".

Não pertubemos agora a ascenção de Portugal à glória terceiro-mundista. Cumpra-se o pesadelo.