segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

As qualidades dos adversários( e dos outros).

Compreendo que haja quem estranhe. Mas eu sou assim. Sempre tenho dito que José Sócrates tem capacidade de decisão. Só que discordo do sentido de muitas das suas decisões. Cada vaz mais castigam os mais fracos e cada vez mais vergam perante os mais fortes. Disse-o nesta entrevista, como jáo disse várias vezes. Só que desta vez resolveram pôr em destaque isolado uma parte. Respeito a opção e não me importo.

Por exemplo, Guterres, um homem bem inteligente, tinha mais dificuldade em decidir. Como o próprio dizia, prefere o diálogo. Pode-se perguntar: o que é melhor? Alguém que decide mal ou alguém que não decide? Por mim, prefiro que as pessoas tomem decisões, excepto as que causam efeitos graves como, por exemplo, as de encerrar maternidades, urgências e centros de saúde. Mas sei reconhecer a capacidade de decidir. Quando José Sócrates decidiu a posição do Estado na Opa da PT, teve capacidade de definir um caminho sabendo as suas consequências.
Infelizmente, quanto mais se aproximam as eleições, mais essa capacidade se irá esfumar. O que faz lembrar as decisões de José Sócrates contra as suas promessas eleitorais. De qualquer modo, repito, aprecio a capacidade de tomar decisões. Mesmo nos meus adversários. E noutras pessoas de quem não tenho estado próximo. Será estranho reconhecer grandes qualidades ao Presidente da república, apesar dessa distância? E, ao contrário de outros, não o estou a comparar a José Sócrates.
Por mim, prefiro ser bem diferente de José Sócrates, que só vê defeitos nos seus adversários. Quando lhe ganharmos, no próximo ano, será também por sermos bem diferentes dele.
Luís Filipe Menezes também o é.

27 comentários:

Anónimo disse...

A velocidade do racioncínio do Professor Marcelo.

Ontem, o Professor criticou as considerações feitas pelo Dr. Santana Lopes na entrevista à TSF sobre a dupla liderança no PSD.

Pergunto: Tendo os jornalistas colocado a questão, (não tendo sido, por isso, da livre iniciativa do entrevistado)como é que o Dr. Santana Lopes "descalçaria a bota"?
Já sei!!! Devia ter dito: Os senhores desculpem mas não posso responder porque no próximo domingo vou ser criticado pelo Professor.

O sócio

Anónimo disse...

Entendo bem a mensagem. Pena é que outros leiam nas suas declarações uma posição de distanciamento em relação ao Presidente do nosso PPD/PSD. A verdade, que a muitos custa aceitar, é que na política não pode valer tudo. Também há espaço para valorizar as atitudes de outros, mesmo que de adversários políticos.

Reconheço na pessoa do Dr. Santana Lopes uma forma de estar muito própria e, infelizmente, cada vez mais escassa: esgrime argumentos que valorizem a sociedade, denunciando as práticas nefastas dos adversários; mas também sabe reconhecer neles as qualidades que existam. Sempre, note-se bem, no mais elementar respeito pelas linhas mestras da social-democracia e em plena solidariedade para com militantes e simpatizantes

É por essa forma de estar que obteve, ainda assim, um bom resultado quando foi a votos nas últimas legislativas. Num quadro nitidamente adverso e, repare-se, contra tudo e (quase) todos. Mesmo quando as previsões anteviam um desaire eleitoral. Teve-o, é certo, mas com honra e (muita) classe.

Cumprimentos,

Sérgio Loureiro.

Manuel disse...

O problema, caro Dr Santana Lopes, é que já ninguém consegue só ouvir e reter o que é dito. O que está a dar é interpretar. Sabiamente encontrar outras intenções onde eventualmente elas não existem. Enfim, fazer "interpretações autênticas" que não colam com a intenção do emissor da declaração. Por isso não é possível ler nas suas declarações apenas aquilo que o Sr quiz dizer. Há quem seja pago, e faça disso profissão, para ler mais do que o Sr quis dizer. Haja paciência! Mas não deixe de ser quem é. É suficientemente corajoso para isso. Digo-o apesar de não concordar com as suas opções ideológicas, nem com muitas das suas atitudes.
Abraço respeitoso.
M.Costa

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Pedro Santana Lopes, é verdade que não há nada melhor na vida do que a capacidade de decidir, mas o mal do nosso País é que toda a gente pensa que sabe decidir, mas poucas são as pessoas que sabem decidir bem.

Decidir não é difícil, difícil é decidir sem que não haja danos colaterais, como os que têm havido para com a população Portuguesa e que muita gente da classe política faz de conta que nada acontece.

É pena que essas decisões não sejam as mais correctas, pois o nosso País precisa rapidamente de quem decida, mas decida com coerência e com sentido de estado.

Se muitos políticos se pautassem por um respeito mútuo, de parabenizar o adversário quando este toma uma boa decisão, esteja ele no governo ou na oposição, definitivamente não estaríamos neste estado moribundo em que nos encontramos.

Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.

Pinoka disse...

Uma grande atitude que só o abona.
Saber reconhecer qualidades nos adversários em si é uma qualidade.
Felicito-o.

Anónimo disse...

Caro Dr. Santana Lopes,

O 1º ministro não toma decisões, é só teimoso e quando acha que não tem razão não volta atrás, não por ser firme, mas por ser teimoso.

Hoje tive que ir ao Centro de Emprego e Formação Profissional, apresentação quinzenal, por perseguição política, mas o Tribunal dirá quem tem razão, tenho a certeza que tenho razão e espero poder contribuir com a força de sempre que não é a de centenas de militantes recrutados, mas acção e questões em concreto no momento certo.

Mas como referia estava sentada à espera para ser atendida porque apesar do governo dizer que o desemprego baixou eu aconselho-o (ao 1º) a ir aos centros e aguardar pela vez e verá que não é assim. Qual é o meu espanto e olho para um cartaz e fiquei estupefacta a olhar para "aquilo". Nem queria acreditar, estavam 2 Senhores sentados ao pé de mim e questionei-os à cerca do cartaz, ficaram de igualmente incrédulos. Vou transcrever aquilo que deve ter custado uma fortuna para gozar com os Desempregados, se não vejamos:


"SE ACHAS

QUE O FUTURO

ESTÁ LONGE,

ESCOLHE

O CAMINHO

CERTO..."


Adeus ó vai-te embora pega na mala de cartão e faz-te à vida que isto não dá para todos.

Belmira Martins

Jorge Borges disse...

Dr. Santana Lopes, muito provavelmente não vai ler este comentário ou vai ignorá-lo, mas mesmo assim vou-lhe dar a minha opinião, não tanto sobre o conteudo do post, mas sobre o que penso acerca da nossa classe política, na qual V.ª Ex.ª se encontra incluído. Penso que é um sentimento generalizado na maioria dos portugueses o descrédito na nossa classe política. Começa a ser usual pensar-se que se foi dito por um político não deve ser levado muito a sério. lemos um programa eleitoral e vemos que metade daquilo não vai ser cumprido e serve apenas para ganhar votos em todos pontos possíveis. Hoje, os políticos preocipam-se mais em chegar à cadeira do que propriamente com políticas. Foi assim com Guterres, com Durão Barroso e com Sócrates. Só não foi assim com V.ª Ex.ª porque não lhe deram tempo.
Olha-se para o país e temos investimento megalómanos como os estádios do euro às moscas; vamos ter um TGV entre Lisboa e Porto que vai reduzir a viagem em apenas 20 e tal minutos; agora fala-se em candidaturas ao Mundial, e, no entanto, não há dinheiro para escolas, creches, fecham-se hospitais, maternidades, as contas da segurança social são o que são. E isto tudo é assim porque quem paga é o pequeno contribuinte. Aliás é sempre ele que paga. A factura vai sempre para os mesmos. E não pense V.ª Ex.ª que isto é um discurso de um tipo de esquerda porque não é. Não tenho qualquer ideologia política. Tanto apoio inicitivas do CDS-PP como do BE, desde que as entenda como justas e úteis ao país.
Porque é que, numa época de partera cintos, os políticos também não o fazem? Qual é a necessidade de manter na AR mais de 230 deputados, e mais todas aquelas pessoas que fazem parte dos seus staff's? Porque é que os políticos não dizem à nação quanto ganham, de vencimento-base, e de todas aquelas rubricas que depois compõem o vencimento, livres de tributação?
Porque é que acabaram com os subsistemas de saúde, numa medida que diziam ser justa para os contribuintes da segurança social e a presidência do conselho de ministros manteve o seu subsistema?
Enfim, e ficaria aqui o resto da noite a dar-lhe exemplos de como, em Portugal, na política e um pouco em toda a sociedade é o "olha para o que eu digo e não olhes para o que eu faço".
Enquanrto os políticos não se quiserem regenerar e auto-credibilizar, a política vvai estar como o futebol, no charco.
cumprimentos de um português cansado de tantas injustiças

João Paulo Torres disse...

Quis o destino que, uns dias após ter colocado uma pequena opinião sobre o autor deste blog no meu próprio blog, um amigo me informasse da existência deste. Não posso deixar de felicitar o seu autor pela coragem e acima de tudo pela postura política que tem demonstrado. Foi o próprio líder do nosso partido que reafirmou ainda na passada sexta feira em Vila-Verde (Braga) o exemplo de alguém que tendo já estado "no topo" volta ás bases para combater na primeira linha! Obrigado Dr. Santana Lopes pelo testemunho. Numa altura em que quiçá alguns esperassem um ex-Primeiro Ministro investido no estatuto de "analista político apartidário" ei-lo de novo no terreno como Social Democrata que não se envergonha de o ser (nem todos poderão dizer o mesmo!!)!!
Sem mais delongas, termino felicitando o autor do blog posto que temos uma comunicação social silenciada e que tudo o que possam ser meios de passarmos as nossas mensagens devem ser obviamente utilizados. Os canais nacionais limitam-se a "canais de regime" onde a oposição tem direito a uns 3/5 minutos!! Um pequeno "lusco-fusco" informativo!!! A propaganda no regime... essa até dói... Pensar que passamos uma vida a ouvir falar em Direitos, Liberdades e Garantias.. e hoje temos: Direito a estar calados! Liberdade de felicitarmos o "Zézinho" e a Garantia de que se dissermos bem do "regime" ninguém nos faz mal!!

Ficou célebre o "Vou andar por aí"!! Mas é bem melhor tê-lo "de volta por aqui"!!

Anónimo disse...

Dr. Santana Lopes, por favor faça alguma coisa. O PSD em Lisboa está a enterrar todo o património construído em 6 anos. Os vereadores do PSD teimam em ajudar o Dr. Costa a culpar o PSD de tudo. Agora fazem parte de uma comissão paras ajudar o PS. Basta! O PSD não é muleta do PSD e do Bloco. Precisamos de si!

Miudo disse...

E quando aparece alguém inteligente que tem capacidade de decidir, mas também de dialogar, para chegar ao melhor para o país, é, também por isso, empurrado... É a vida de um político numa "espécie de democracia".

Anónimo disse...

É revoltante a autofagia de alguns pseudo intelectuais do PPD/PSD eles serão responsáveis pela instabilidade que provocam no partido, tal como o foram no passado.
Não é uma atitude democrática o comportamento destes "militantes", restícios de vivências autoritárias, paternalistas bem ao estilo do Estado Novo que a maioria dos militantes, não quer.
Luís Felipe Meneses está de parabéns pela sua entrevista na SIC Noticias (de terça feira á noite), e Pedro Santana Lopes, por ter a coragem de estar junto após ter sido PM. Chama-se a isto: patriotismo e sentido de dever.
Coisa que esses "cromos" não entendem!

C.S.

Quintanilha disse...

""Quando lhe ganharmos, no próximo ano, será também por sermos bem diferentes dele.""

Tenha juízo homem! Não delire! Pensa que os portugueses são tão estúpidos que caiam 2 vezes seguidas na mesma asneira?

Paulo Alves disse...

Em quê exactamente?

Gi disse...

Pedro, lamento mas a diferença de que fala não está a levar a lugar nenhum.
O PSD corre cada vez mais o risco de não ser alternativa, e todos os que detestam este desgoverno correm o risco de não ter em quem votar.

Daniel (um Professor) disse...

Viva o diálogo!
Como já ouvi dizer... acho que o vou ver mais rapidamente do que o Filipe Meneses a governar Portugal.

Viva o diálogo, viva o ensino, viva o Professor que não se cala!!! Não se esqueça dos Professores...

Armando Tavares disse...

Passem por aqui e comentem http://segurancaditasocial.blogspot.com

rouxinol de Bernardim disse...

Capacidade de decisão?!
Todos os políticos têm que a possuír em elevado grau. Guterres tinha-a, muito embora tivesse do diálogo um conceito muito abrangente e exaustivo.
O dizer que Guterres não tinha capacidade de decisão e que Sócrates a tem, é pouco sério. Se um privilegia (privilegiou) mais o diálogo e procurou mais consensos alargados foi porque na AR não tinha uma maioria como agora existe. Daí a diferença.

Quanto a Cavaco Silva julgo que tem qualidades (embora também defeitos), sendo um «sapo» difícil de engolir para o PSD actual. Cavaco não vai ser o «desmantelador» do governo, criticá-lo-á, isso sim, sempre que for oportuno, mas manterá um distanciamento lúcido que o preserve de radicalismos doentios que seriam nefastos para uma reeleição. E será reeleito, sem dúvidas, tendo o PSD a «obrigação» de o apoiar pois não lhe restam alternativas...

Quanto aos erros crassos de Sócrates (há-os, nalguns domínios) ainda não foram devidamente explorados pelo actual PSD que sofre de um défice de cultura económica bem visível na incapacidade de esgrimir com acutilância nesta área tão curial.
A continuar assim, o PSD corre o risco de não saber capitalizar em seu proveito os deslizes, as inépcias e as «derrapagens» do actual governo. Daí...

Miguel Vaz Serra disse...

Dr.Santana Lopes,
Li com atenção o que escreve e não quero ser do contra...sim é verdade,o 1º decide...decide muito.
Por ele,pelos ministros,pelos secretários de estado,por todos nós...Nunca um poder democrático português em 30 anos de democracia foi tão centralizado na pessoa do 1º ministro.
Prova uma coisa,pelo menos isso,que não é necessário ter um curso superior para mandar...lá isso é verdade.Iria mais longe até e diria que nem na 1ª república segundo estudei há muitos anos,houve tal autocracia.
Tenho que dizer algo que com o tempo fica mais claro.Se no PS há gente que apesar de meros fantoches,passam pela vergonha de o serem e aceitam serem ministros de qualquer maneira,então...então o PS fica despersonalizado e ele tambêm lacaico de Pinto de Sousa ( para os que não sabem é o verdadeiro nome do 1º ministro ,Sócrates é nome próprio mas que é mais chique,parece ser...ou não?! ).
Pelo menos fico contente de ver que já na Assembleia da República se começam a repetir as frases que há anos se ouvem na rua.Que o 1º ministro nao ouve ninguêm,que é um arrogante e despota e que não gosta de ataques pessoais ( se atacar com verdades é ataque..)mas gosta ele de atacar ferozmente com aquele descontrole nervoso que já estamos infelizmente habituados a ver na televisão.
Um dia há muitos anos,na BBC,mostraram uma imagem sem som de um homem a "falar"...depois de alguns minutos disseram."Não,não é um louco..é só o 1º ministro de Portugal."(era Vasco Gonçalves) Gostaria de ver o actual 1º na TV sem som tambêm,não por ser louco...mas para nos poupar as barbaridades que diz sem pensar,as gafes que comete semanalmente,e as promessas que nunca cumpriu,cumpre ou cumprirá.
Miguel Vaz Serra

A. Lima disse...

Caro PSL,

Veja bem o meu último post em:

http://cdelight.blogspot.com/

Anónimo disse...

Dr Pedro Santana Lopes
É verdade,o senhor tem uma postura diferente daqueles que fazem política em Portugal.
Para prová-lo basta ler a comunicação social e/ou notar o embaraço dos "notáveis" quando falam de si.A necessidade de pessoas como o Dr.Veiga do Porto,falarem que o País corre perigo quando o Dr Santana Lopes está perto do Poder diz tudo porque,se alguma coisa merece ser reconhecido ao Dr Veiga é apenas o facto do Dr Veiga vestir bem e pensar-se ungido por ter conhecido Francisco Sá Carneiro.
Eu tinha escrito há tempos que começa a mudar qualquer coisa em Portugal com a sua chegada à linha da frentee não é que está mesmo?
Veja-se como o "Expresso" que era um Jornal que o que trazia escrito era verdade quando escreve sobre o Dr Santana Lopes MENTE descaradamente.Mais:já viu como estão a forçar o seu envolvimento pessoal no caso do Casino de Lisboa?já viu como o pretendem relacionar com o endividamento brutal da Câmara de Lisboa?já verificou que,não tendo resultado o "derrube"do Dr Filipe Menezes por acção do Dr Santana Lopes,anda gente do PPD/PSD, agora descaradamente,a tentar derrubar o Presidente do Partido?
Já agora,como o senhor está por dentro,essa gente anda a mando de quem?Eu desconfio de um e por isso digo-lhe e peço-lhe que não deixe que Portugal chegue a tal ponto que as aulas sobre moeda tenham que ser dadas cidadão a cidadão.
Aceite os meus melhores cumprimentos
c.monteiro de sousa

Anónimo disse...

Não tenho qualquer partido,admiro no entanto alguns politicos pelas suas ideias e atitudes. É o caso do autor deste blog e do Dr. Luis Filipe Menezes a quem há uns dias ouvi algo que me agradou.Dizia o Dr. LFM que na saúde os médicos tinham de optar por trabalhar no publico ou no privado.Creio eu que deveriam ser todos os profissionais da saúde, porque é uma vergonha algumas coisas que se passam nesta área.Alguns dos que trabalhamos nas instituições de saúde públicas trabalhamos a sério,somos porém apontados como não fazendo nada, devido à inconsciência de alguns (muitos).
Pergunto a mim mesma como é possivel que uma pessoa seja responsável num Centro de Saúde, trabalhe num posto satélite desse mesmo Centro, faça serviço numa instituição privada, frequente um curso e ainda faça trabalho extra?
Depois admiramo-nos quando as coisas correm mal!
Mas mais grave ainda é quando para corresponsável se escolhe um individuo que faz precisamente a mesma coisa, tornando-se verdadeiramente preocupante quando chegamos à conclusão que 50% do pessoal todo ele está ao mesmo ritmo.
Quando, como e onde descansam?
Quem apanha o embate deste cansaço?
Quantos sairiam do desemprego se tantos não açambarcassem tanto?
Isto só numa instituição.
Quantas instituições de saúde tem este país?
A isto ninguem liga. Porquê?
Talvez porque é mais fácil encerrar serviços do que responsabilizar as pessoas.
Branca Naire.

Cleopatra disse...

Não lhe ganhará mas vai ter de governar com ele.

Veja se consegue ficar á frente.
E vejam se decidem quem vai liderar.
Dexiem-se de desconhecidos qdo há por aí gente em quem vale a pena apostar...
Deixem-se de interesses pessoais...

Quanto à capacidade de decidir, ela implica, necessáriamente, capacidade de ponderar, de ouvir, de parar...Decidir não é impôr sem mais.
Não é teimar só porque quem manda sou eu
Não é assim, porque sim...

Pois. O melhor é retirar-me.

MIGUEL VAZ SERRA disse...

Dr.Santana Lopes
Hoje só lhe venho transcrever o que Pedro Duarte escreveu em www.pedroduarte.com
Define o sentimento geral do povo Português.Ouvi as suas ( do Dr.Santana Lopes ) palavras comentando este assunto.Entendo-o na perfeição.Sampaio vendeu-se aos lobis da Banca e do próprio PS.
Esta vez a coisa é bem diferente e o povo espera mais,diria MUITO MAIS de Cavaco..e Ele não está a saber lidar com a situação..e o pior????o pior é que toda a gente já notou isso..até Ele mesmo.....
Miguel Vaz Serra

De Pedro Duarte:
"O Presidente da República tem assumido de forma irrepreensível a "cooperação estratégica" com o Governo, tal como se comprometeu com os portugueses.

Contudo, sendo esta busca constante do "ponto de equilíbrio" um exercício muito delicado, é natural que possam surgir excepções à regra.

Na minha opinião pessoal, perante a degradação acentuada do ambiente - de desmotivação e instabilidade - que se vive nas nossas escolas, o Presidente da República deveria ter intervindo com maior assertividade.

No actual contexto, as suas palavras no Colégio Militar soam a uma estéril ambiguidade.

É sabido que as decisões do Governo na área da Educação (algumas até grosseiramente ilegais) têm merecido uma distraída aceitação acrítica de Belém. Mas o ponto de crispação a que se chegou - insustentável para quem vive o quotidiano das escolas - não pode ser mais negligenciada pelo Presidente da República.

Até porque essa crispação se deve - em grande parte - à atitude do Primeiro-Ministro e da Ministra "criada à sua imagem e semelhança".

Se um Presidente não serve para intervir nestes momentos, em que a qualidade do ensino que é ministrado às nossas crianças e jovens se está a deteriorar perigosamente, serve para quê?
Pedro Duarte"

Creio que ficou tudo dito!!!
Miguel Vaz Serra

joaoaugusto disse...

Reconhecer a bondade das decisões dos outros é sinal de inteligência.
Mas exigir dos outros o mesmo também é dever seu.
Continue assim caro Dr.santana Lopes.
Se Sá Carneiro viu em si qualidades para o chamar para trabalhar com ele, é porque o senhor o merecia.Foi aí que o senhor começou a ter quem o inveje.
Força!
Um grande abraço.

Cleopatra disse...

O Presidente está à espera do momento certo. O Presidente conhece o seu papel.

Cleopatra disse...

O Presidente está à espera do momento certo. O Presidente conhece o seu papel.

-Nanfsky- disse...

Boa tarde.
O que eu penso é nós (portugueses), já não mandamos nada neste País. Fazemos o que nos dizem para fazer, e publicitamos o nosso pequeno paraiso, como que para parecer que ainda estamos vivos.