domingo, 20 de janeiro de 2008

Sem mais comentários.

O que se passou em Anadia ou em Viseu não deve ser objecto de aproveitamento político.
Diferentes Grupos Parlamentares chamaram o Ministro à Assembleia da República. O Grupo Parlamentar que lidero não o fez. Exactamente por essa razão. Mas está atento ao que se passa.

Naturalmente que há consequências do encerramento de Urgências, nomeadamente no local e no modo como as pessoas são atendidas ou socorridas, como hoje dizia, numa reportagem televisiva, uma popular presente na manifestação em Anadia. Os médicos disseram que as perdas de vidas nos dois referidos casos eram inevitáveis e todos devem respeitar essas palavras. As próprias famílias nada tiveram a apontar à resposta dos serviços envolvidos. De qualquer modo, inquéritos estão em curso.

O modo como o Ministro respondeu naquela manhã é independente de tudo isso. Cada um terá a sua sensibilidade. Recebi muitas mensagens de indignação. Para mim é intolerável. Não faço nenhum aproveitamento em intervenções. limito-me a sentir como sinto. Sem mais comentários. O País vai assim...Até um dia.

16 comentários:

Zé disse...

Ultimamente não costumo ver muita TV, mas neste fim-de-semana vi alguns períodos noticiosos que me deixaram alarmados.

Na sexta-feira, comecei por ver o sorriso com o o Ministro da saúdo se referia à morte de uma criança à porta do Hospital de Anadia.
Num país civilizado, este Sr já não devia ter funções governamentais. Não posso concordar consigo, por isso, quando diz que não quer fazer aproveitamentos políticos.

O que está em causa não é um aproveitamento político para si ou para o partido em que foi eleito, mas sim para os portugueses. Tão ou mais importante que um governo é existir uma oposição forte.

Depois também me parece muito estranho que enquanto pessoas choram à porta do Hospital de Anadia a morte de uma criança, o pai da mesma se desdobre em entrevistas, dadas em circunstâncias diferentes e sem que se vislumbrasse qualquer tipo de comoção, dizendo que nada podia ser feito.

Como dizia um transeunte que fotografou a "cena": é lamentável que uma criança tenha de ser assistida numa ambulância, no parque de estacionamento de um Hospital, porque a Urgência se encontra encerrada, com pessoas nas janelas do mesmo Hospital a assistir.

Pode ser uma coincidência que nada tenha a ver com o enceramento das urgências, mas não são mortes a mais?

Por este andar, Portugal arrisca-se, também neste indicador, a descer umas quantas posições em termos de deenvolvimento.

E já que falamos de saúde, não considera o caro Dr. que as taxas moderadoras já estão demasiado elevadas e que os aumentos foram muito elevados? É que se a função da taxa moderadora é inibir as falsas urgências, por que é que não devolvem o valor das mesmas quando se confirma que o caso é urgente?

E mais. Os impostos que pagamos não servem também para pagar os serviços de saúde? Não estaremos a pagar um serviço várias vezes? Ou será que o dinheiro dos impostos serve acima de tudo para pagar ordenados principescos, por ex., ao governador do Banco de Portugal que pelos vistos não cumpriu as suas principais funções no caso BCP?

elmano disse...

Convém lembrar o que há para lembrar. Lembremo-nos portanto. Citei visualmente Eça (no blog SULturas) quanto ao governo de Santana Lopes. Erro meu, má fortuna. Em que é que Santana começava a mexer demais? Nos BCP actuais e outros que tais. Audacioso trajecto. Saga impossível pelos vistos. Imperdoável na altura, impensável para um já deveras planeado, pelos até congéneres, proscrito. Há razões de Estado em que o Estado não tem mão nem travão. Sabemos. Ignoramos contudo. E a ignorância salva-nos. Estou habituado. O povo que se eduque. Ou não, porque quem não sabe ser livre não merece qualquer benção e porque nada disso importa afinal. Estamos substituídos (quando não o estivemos?) por um profeta plenipotenciário. ASAEados e anestesiados com maioria flácida em delírio erecto. Uma sociedade civil que rasteja à espera de consensos de última hora com alinhavo de bom senso. Não foi isso Alcochete? Resta então sermos um peditório para uma pátria em desalinho. Subscreva a bem duma nação em definição disso mesmo e em demanda disto mesmo também...

Tarik disse...

E depois de tudo o que se passou, ainda vem o Pacheco Pereira dizer que há aproveitamento político neste caso ?!
Realmente, é Portugal no seu melhor...

... disse...

Caro Dr. Santana Lopes,

Oportunamente, aproveito para deixar aqui sugestões ao Sr. Camilo Lourenço. Ele vem aqui e levará o recado.
Primeira sugestão: A sua reforma, sejamos claros, faz sentido.
Revela ser um jornalista, igual a muitos, que não obstante a oportunidade de esclarecer as suas flatosas opiniões descontextualizadas(Santana Lopes, no seu blog, também não esteve nada bem) revela, mais uma vez, o jornalismo de costureirinha inspiração pois nada acrescenta em "A sorte de Correia de Campos" in Jornal de Negócios, relativamente àquela sua jactância verbal.
Segunda sugestão: Não deveria ser um exemplo de "Tudo que um (jornalista), em área tão sensível, não devia fazer"(sic)

Mas vamos à questão de fundo:
"A reforma das urgências, sejamos claros, faz sentido..."(sic)
Reforma? sejamos claros!
Caracteriza o desaparecimento do serviço de urgência de proximidade uma Reforma? Todos os que não chafurdam no bispote discordam destas medidas avulsas, não explicadas e "jamé" justificadas.
Para melhor compreender na pele esta decisão por si apropriada e de grande sentido, seria como retirarem-lhe o seu portátil e obrigarem-no a escrever os seus textos numa Remington com rato disfarçado de rato ao lado.
Tinha outra solução. Uma vez que já tem um rendimento razoável, compra do seu bolso um MacBook Air. É o último grito. Para os que podem.
Votos de Boa Saúde e Bom trabalho,

Pesaran Correia

... disse...

Caro Dr. Santana Lopes,
Oportunamente, aproveito para deixar aqui sugestões ao Sr. Camilo Lourenço. Ele vem aqui e levará o recado.
Primeira sugestão: A sua reforma, sejamos claros, faz sentido.
Revela ser um jornalista, igual a muitos, que não obstante a oportunidade de esclarecer as suas flatosas opiniões desconexas : “Santana Lopes, no seu blog, também não esteve nada bem”. Revela, mais uma vez, o jornalismo de costureirinha inspiração pois nada acrescenta em "A sorte de Correia de Campos" in Jornal de Negócios, relativamente àquela sua jactância verbal.
Segunda sugestão: Devia ser um exemplo de "Tudo que um (jornalista), em área tão sensível, não devia fazer" (sic)
Mas vamos à questão de fundo: "A reforma das urgências, sejamos claros, faz sentido..." (sic)
Reforma? Sejamos claros! Caracteriza o desaparecimento do serviço de urgência de proximidade uma Reforma? Todos os que não chafurdam no bispote discordam destas medidas avulsas, não explicadas e "jamé" justificadas.
Para melhor compreender na pele esta decisão por si apropriada e de grande sentido, seria como retirarem-lhe o seu portátil e obrigarem-no a escrever os seus textos numa Remington com rato disfarçado de rato ao lado.
Tinha outra solução. Uma vez que já tem um rendimento razoável, compra do seu bolso um MacBook Air. É o último grito. Para os que podem.
Votos de Boa Saúde e Bom trabalho,
Pesaran Correia

Armindo Pombo disse...

Penso que os técnicos de saúde estão a falar a verdade infelizmente o bebé desfalecia, com ou sem urgência no Hospital de Anadia. Mas que Pais é este que acha normal um ser humano falecer dentro de ambulância por muito apetrechada que a mesma esteja, sujeito a ser fotografado no momento da sua morte, acho que qualquer ser humano tem o direito a privacidade no momento da morte.
O problema é este e não outro.

shakespeare disse...

Não concordo com o detentor da propriedade do blog. Que não se seja populista e demagogo em casos políticos como este depende da personalidade de cada um mas que este é precisamente um caso de política e que nenhum político responsável deve deixar de ter como bandeira de actuação e de afirmação.

carlos disse...

Dr Pedro Santana Lopes,
tem razão ao não comentar este tipo de atitudes.O País já desceu o que tinha a descer e,portanto,cabe ao povo dar a resposta ao que esta gente andou a fazer.
Eu,também,não comento pois os apoiantes deste governo,daquele partido e destas pessoas têm os mesmos dotes de inteligência que tem um tal sr Rocha que escrevinhou um comentário ao seu texto anterior.
Aceite,por favor,os meus cumprimentos
c.monteiro de sousa

HélderMarques disse...

Hélder Fernando Vieira Teixeira Marques
Enfermeiro Hospital S. João
Pós Graduado em Emergência
Pós Graduado em Trauma
Oficial Bombeiro de 2ª Classe – Bombeiros Voluntários Portuenses
Mestrando em Enfermagem Avançada – Universidade Católica Portuguesa

portohmf@gmail.com
Militante PSD Nº 166571

Manifesto: "Porque o Direito à Saúde é Inviolável" - Constituição da República Portuguesa!

Dirigido a: PSD - Partido Social Democrata

Boa Noite!

Sou Enfermeiro, 27 anos, a exercer funções no Hospital S.João - Serviço de Urgência.
O Motivo que me levou a efectuar a minha inscrição como Militante PSD / JSD é o mesmo que me leva a escrever este manifesto!

Enquanto Cidadão e Profissional de Saúde estou convicto que a principal Bandeira de Luta das próximas Eleições Legislativas deverá ser a Reforma do Sistema de Saúde em Portugal, nomeadamente, na acessibilidade de Cuidados de Saúde, em Tempo útil.

É incontornável que Gestão e Economia tracem as principais directrizes da vida na sociedade democrática.

No entanto, ao conceito de DEMOCRACIA está implícito o Conceito de IGUALDADE (igualdade de oportunidades, pelo menos!).

Não é lícito que medidas economicistas de sobreponham ao Direito à Vida, Direito à qualidade de Vida.

Em que PAÍS CIVILIZADO se concebem cidades sem Hospitais?
Em que PAÍS CIVILIZADO se troca um Serviço de Urgência por UMA Ambulância?
Como pedir a casais jovens que se mantenham em territórios onde não se sentem seguros?
Como pedir a empresas que se fixem em territórios não ocupados?

A Desertificação será inevitável.

As PESSOAS MERECEM SER TRATADAS COMO PESSOAS!

Será porventura fácil tomar decisões baseadas em ESTUDOS, Gráficos e Tabelas!
A Cada Número está agregado um agregado! Agregado Familiar!
Não se tomam decisões baseadas em nº de episódios de Urgência por Unidade de Tempo!

A Saúde NÃO É a Ausência de Doença!
O Conceito de Saúde OMS - Organização de Saúde tem mais de 50 anos.
Este conceito prova que nesta matéria, os decisores estão mergulhados na mais profunda ignorância.
Continuamos a não querer aprender com outros modelos internacionais.
Continuamos centrados na doença, e não na saúde dos Portugueses.
Continuamos sem objectivos.
Continuamos sem Rumo.
Continuamos a Dividir a Protecção Civil da "Emergência Médica".
Continuamos sem perceber que não existe "Emergência Médica".
Existe sim Emergência em Saúde: "Toda a Situação Clínica em Que existe, estabelecido ou evidente o compromisso de uma ou mais funções vitais" - European Resuscitation Council.

Continuamos em "Crise" porque continuamos sem Dar valor ao que realmente é importante.
Continuamos a Deitar ao Lixo Milhares de milhões de Euros.


Objectivando:

O Tempo de Espera no Serviço de Urgência Hospital S. João, Área Amarela (Prioridade: Urgente), chega a ser 7h00 (SETE HORAS) - Janeiro 2008.
É UM FACTO.
É também o principal indicador que o Sistema Nacional de Saúde não funciona.

Directores de Serviço; Decisores; Conselho de Administração: sabem; fingem não ver.

A prioridade não é as PESSOAS.
A prioridade é a manutenção dos lugares de decisão.
Em função de… (?)

As instalações da nova Urgência HSJ (Inauguradas recentemente) vão sofrer remodelações por Mau planeamento.
Quando fecharem as urgências limítrofes ao grande Porto?
Teremos tempo de espera de 9? 10 horas? talvez 12?

Até quando haverá desigualdade de direitos entre Portugueses de Litoral e de Interior?

Acredito que a Principal Bandeira de Luta deverá ser a Saúde dos Portugueses.

Temos que trabalhar e Motivar as pessoas através do que realmente as preocupa.
Neste momento, todos os Portugueses estão preocupados!

Infelizmente este país é de “Brandos Costumes!

Espero poder contribuir para o Futuro do Partido! Poderão contar com o meu trabalho para tudo o que entenderem ser necessário!

Um Abraço!

18 Janeiro 2008
_________________________________

Mãe&Advogada disse...

No meu primeiro comment esqueci de Lhe pedir um email para me poder identificar e explicar a razão da sigla :) asdtg.adv presente no endereço com que assino alguns comments na blogosfera! Peço-Lhe agora :) se puder e quiser indicar um endereço, eu identificar-me-ei com todo o gosto ~~ para poder continuar a comentar quer sejam ou não pubvlicados os meus comentários~~ um abraço!

( asdtg.adv@gmail.com )

José M. Barbosa disse...

Exmº Senhor Dr. Pedro Santana Lopes,

"O País vai assim. Até um dia."
Desculpe o atrevimento mas o "até um dia" depende muito de si.
Não estou de forma nenhuma a insinuar que se exime ou alguma vez se eximiu da sua responsabilidade como portugês e como Homem de Estado. Antes pelo contrário.

Cordialmente,

JMB

diogo agostinho disse...

É indecoroso o que o Ministro Correia de Campos faz!

E não é apenas o Sr. Ministro da Saúde!

Vai mais além!

É incrível assistir a um Governo que hoje em 3 anos de vida já não tem nenhum dos seus 3 Ministros de Estado!!! Tem em funções Ministros que Jamais fariam Aeroportos no Deserto, que usam e abusam da política de sarjeta!!! Que apoiam os alunos permitindo faltarem às aulas! Que (PASME-SE) apoiam os idosos a pouparem (65 cêntimos) por mês!

É este o nosso Governo!

Mas atrevo-me a dizer: Porreiro Pá!

Assim é que estamos bem! Hospitais a fecharem, mas ao menos pagamos estádios na Palestina!

É incrível a dualidade de critérios!

Já vi governos serem demitidos porque o último!!! Ministro da hierarquia saíu, Ministro crucial do Desporto!

De facto, o país vai mal!

Monárquico disse...

DR santana lopes: è urgente que o psd/ppd diga relativamente a cada ministério com faria. Penso que a hora da mudança pode chegar mais cedo que o sr pensa e nessa altura se o vosso partido não for bem diferente num contrato com os eleitores, teremos um governo minoritário e o ppd/psd com está ,não vai longe com o presidente.
com consideração

Onda disse...

Dr Pedro Santana Lopes,

Não se deixe enredar em teias do tipo "Cunha Vaz"...que de Gaia para o mundo está a fazer o seu proveitoso caminho.
O Senhor não precisa disso nem nada deve que a isso o obrigue.....

Branca Naire disse...

De facto o país vai mal!Como pode este país ir bem? Fecham-se unidades de saúde,formam-se jovens enfermeiros para o desemprego,aceitam-se enfermeiros a trabalhar em 5 sitios diferentes ( quando dormem?Não sei! ).Há unidades em que está um enfermeiro só para dois serviços diferentes e em pisos diferentes, invertem-se papéis, auxiliares vigiam doentes enfermeiros mudam fraldas, pede-se parecer à Ordem e sem qualquer resposta mantem-se a desordem.Se este país vai mal a saúde vai pior! Resta-me desejar a todo e qualquer português muita sorte para que NÃO ADOEÇAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

maria disse...

A Saúde está de rastos.

Outro assunto importante: apreciei bastante a atitude do CDS em ter levado a 'ASAE com toda a sua arrogância' ao parlamento.Já não era sem tempo.
Prevenção, sim. Brutalidade, não.