segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Proposta certeira

Lamento mas não concordo com a argumentação de Marcelo Rebelo de Sousa sobre a refundação do acordo com a troika. Dizer - se que é errado porque dá ao PS a oportunidade de se desvincular é analisar pelo lado da tática, ou da jogada político - partidária e esquecer o essencial: o País precisa ou não de um novo acordo ( ou de uma profunda revisão deste),?

Julgo que todo o País sente que este está desatualizado. Muito já aconteceu desde que foi negociado e assinado. A própria troika e os seus membros já se interrogaram, publicamente, sobre os seus efeitos.
Se o PS se quiser pôr de fora desse processo que os Portugueses sentem ser mais do que necessário, será algo de comparável ao erro que aqueles que  não falaram inicialmente com a troika reconheceram ter cometido.

Refundar é renovar, fazer de novo, um programa para a emergência em que o País se encontra. Se o PS "se pusesse de fora" estaria a atentar contra o seu estatuto e a sua imagem de Partido de Governo e ficaria numa posição equivalente à das forças políticas mais radicais. É o PS que tem exigido renegociação, com mais tempo e outras condições. Então?

Penso que não é um erro o que Passos Coelho propôs. Agora, depende da sequência.

6 comentários:

cefariazores disse...

Subscrevo, a politica não pode limitar-se a estratégias calculistas de ganho e perdas de votos, relegando para segundo plano o fundamental: a definição de soluções consistentes que garantam o futuro.

Zé da Póvoa disse...

O governo, desde que tomou posse, sempre fez questão de dizer que queria "ir além da troika". Alterou o acordo inicial pelo menos 5 vezes, em alguns casos de forma siligiosa, sem dar a menor informação aos outros partidos e, em especial, ao PS. Chegou-se ao cúmulo de se tomar conhecimento de decisões muito importantes através da imprensa internacional.
O desprezo dos governantes por Seguro tem sido aviltante e agora esperam que ele se disponha a subscrever a política criminosa que Passos pretende impôr para acabar com o Estado Social! Se queres ...toma!!!

miguel vaz serra....... disse...

Estimada/o "cefariazores"
Num Estado de Direito, normal, com homens sérios e honestos, políticos de verdade e verdadeiros e com uma Democracia saudável, não esta bosta que nós temos por cá (uma mistura de ditadura Parlamentar com aval de outra ditadura, a Presidencial),talvez as suas palavras fizessem todo o sentido. As suas e as de Pedro Santana Lopes.
Mas infelizmente nada disso acontece em Portugal.
Bom, nem em Portugal nem na Alemanha por exemplo. Aquela "mulher-homem" que por lá comanda as tropas também está a afundar toda a Europa pensando nas eleições dela.
O PS nunca foi um Partido de gente muito séria e isso pode ver-se pelo percurso que fez ao longo destas nocivas décadas de pseudo-democracia.
Sempre que foram poder saquearam tudo o que podiam e não podiam.
A cereja em cima do bôlo foi a ditadura Sócrates..........
Seguro só o está de nome pois toda a gente sabe que quando este Governo cair quem vai ser PM será Costa, o malabarista que está à frente da Câmara de Lisboa.Aquele que o PCP elegeu, única forma de fazer Pedro Santana Lopes perder em 2009. Mesmo assim ganharam muito "à rasca"....Foi necessário o arranjinho com a Roseta ou nem o PCP os livrava duma derrota.
Portanto quando Sócrates der as ordens, lá do exílio dourado em Paris de onde continua a mandar no PS, para se desmarcarem do "refundamento" de que Passos fala, depois tudo se esquece.
Seguro foi à vida e Costa diz que nada sabe disso pois nessa altura estava na CML.
É assim que se joga em Portugal e é assim que se ganham eleições.Com engano, mentira e promessas que nunca se podem cumprir. Basta ver como ganhou Passos Coelho estas últimas. O que disse,o que prometeu.O que criticou nos outros e o que está a fazer...
Tenho os vídeos guardados para não me esquecer de nada e lembrar aos meus queridos amigos quando tentam desculpá-lo.
Alêm disso e para terminar, não acredito já que nada de bom venha deste Governo, refundado ou não.
A mesmíssima Democracia SIM deveria ser refundada!!!! e toda este gente julgada pelos actos e omissões!
Repito sempre a mesma coisa mas aqui vai: Se por alguma razão não se pode cumprir o que se prometeu e foi baseada nessas mesmas promessas a nossa vitória, só há uma saída honesta, A DEMISSÃO!!!
Tudo o resto é marginalidade.

maria lisboa....... disse...

Ontem fui para a cama de tal maneira que o meu marido disse que me fosse embora do quarto....Tremia, bufava, suspirava, grunhia, entrei em convulsões emocionais extremas....
Levantei-me, bebi uma valeriana quente com um biscoito Holandês (os alemães, todos os productos germânicos aliás, foram BANIDOS do seio familiar). Mesmo assim foi um horror para adormecer...
Ás 4 da manhã acordei aos gritos:"coup d’État"!!!!
Estava a ter um pesadêlo....
UM TERRÍVEL E INDIGERÍVEL pesadêlo!!!
A volta do terrível socialista a Belêm!
O culpado de tudo isto.
Da ditadura Sócrates depois do golpe ao ainda jovem Governo estável e de maioria parlamentar do Primeiro Ministro Pedro Santana Lopes.
O Presidente que fez com que o País caísse nas mãos dum punhado de mafiosos.
O culpado de que de 80 mil milhões de dívida pública passássemos a mais de 200 mil milhões em 4 anos de Governo Socialista.
É que eu tinha lido um artigo sobre a eventual recandidatura de Sampaio à Presidência da República.
Verdade seja dita que depois de ter 2 vezes Cavaco e duas Sócrates como PM.....TUDO É POSSÍVEL NESTE PAÍS!!!
Foi por isso que tive a noite mais medonha dos últimos anos. ( algo parecido aconteceu em 2005... )
Povo português!!!
Portugueses e portuguesas!!!
POR FAVOR abram esses olhos de uma vez por todas e tranquem as avós de lenço negro no dia das eleições!!!!!!!!!!!

o cusco....... disse...

Certeira a sentença de Gondomar sobre o "Major"....
O julgado e condenado senhor a dois anos de cadeia (suspensa,lógico, se fosse eu estava a ver o sol aos quadradinhos) diz que daqui "não saio daqui ninguêm me tira"....
Não duvido nem um momento.
Estamos no País do Paraíso Criminal onde não há justiça alguma de nada, quanto mais de alegados pequenos focos de tiques mafiosos.
Certeiros os insultos a Durão Barroso...o ex-PM pensa que vai lá para fora "bostar" postas de pescada quando lhe apetece em 3 línguas para que ninguêm possa dizer que não as entende e nada lhe acontece. Pois é.
Ontem em Portugal andou a fugir do povo mas o povo apanhou-o na mesma. Ouviu de tudo e pela cara estava com medo...
Olhe, compre um cão, ou leve um daqui que o que mais há por cá são "cães"! A sorte é ser Portugal, se fosse no Reino Unido, França ou Espanha tinha levado um merecido par de sopapos na cara!
Certeiro o voto negativo do CDS Madeira ao escandaloso OE que este Governo quer aprovar no escritório de negócios dos Partidos Portugueses, ou seja a AR.
Certeira a miséria de cada vez mais portugueses no desemprego e dos que por já lá estarem há muito tempo perdem todas as ajudas. Gente que esteve a trabalhar décadas e a descontar mais de um terço do seu ordenado para sustentar as PPP's e a Banca fica sem sequer dinheiro para comer.
Passos Coelho deve estar orgulhoso, aliás rasgo novo da sua personalidade.
Quem o ouve falar no défice e na porcaria que o ditador Socialista assinou antes de ir viver "à custa da mãe" para Paris, com a Troika, nota que o PM tem um orgulho imenso em cumprir toda aquela bosta. Mesmo que isso signifique a morte total e irreversível da economia do País.
Afinal o que é que isso interessa se a Banca e as Empresas amigas não são (de momento) afectadas?
Certeira a convulsão social que este Inverno começará e que culminará no princípio do próximo Verão.
Cá estaremos para ver a destruição de montras, edifícios, carros, casas, Fábricas e tudo por onde passarem.
Talvez assim aprendam que nada justifica esta anormalidade e insanidade.

miguel vaz serra....... disse...

«Sei de um país que, contra todas as evidências his­tó­ri­cas, con­ti­nua a julgar-se de “bran­dos cos­tu­mes”. Sei de um país que, uma vez mais, vive tempos peri­go­sos. Onde o desen­canto é geral, a deses­pe­rança abso­luta, o futuro, dir-se-ia, é coisa do pas­sado. São tem­pos que deviam convocar-nos, humil­de­mente, a apren­der com o pas­sado.
E a primeira lição talvez devesse ser a de reco­nhe­cer que não há, na mito­lo­gia por­tu­guesa, mentira mais perigosa do que a fábula dos “bran­dos cos­tu­mes”.»

Pedro Norton