sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Irreal

Como será possível que os dirigentes das centrais sindicais afirmem que a greve geral teve cerca de 90% de adesão?
Antes do mais, greve geral a sério leva a que tudo feche: no sector público e no sector privado. Restaurantes, correios, farmácias, centros comerciais, táxis, escolas, liceus, Universidades... 90%?
Onde?
Nos transportes aéreos, no Metro e noutras empresas de transportes, houve, sim senhor. Mas essas são áreas onde a greve de uns leva à inactividade de outros.
Na Santa Casa da Misericórdia, por exemplo, pelos números que pedi, ao fim da tarde, a adesão foi de 6,79%. Números que incluem o Hospital da Parede e o Centro de Alcoitão. Ou seja, a esmagadora maioria dos trabalhadores apresentou - se ao serviço e sem que nada tivesse sido feito nesse sentido.
Não estou sequer a emitir opinião sobre os fundamentos da greve. E, obviamente, deve ser respeitada. Mas, por Amor de Deus! 90%, Onde?

5 comentários:

Ana Tsep disse...

Dia de Greve Geral... Saio de casa 20 minutos mais cedo, porque em dia de greve há trânsito na certa! Atravesso Lisboa pela 2ª Circular... Para meu espanto... nada de trânsito! Mas para maior espanto, quando a uma média de 80 km/h chego ao IC19, oiço na TSF o jornalista dizer: "IC19 parado junto à 2ª Circular"... Olho para o lado e o trânsito passa fluente célere e com grandes brechas entre veículos: realmente: é Irreal!

Anónimo disse...

Nem com o "manifesto" daquele a quem na universidade de verão do PSD chamaram de "fixe".
Manifesto que agora vai passar a movimento... mas deve ser da minha visão e imaginação curtas...admitir Sá Carneiro "abraçado ao fixe"...

Anónimo disse...

Sá Carneiro usava a "fitch" no "fixe"...

Nuno Silva disse...

Ao ler o comentário de Ana Tsep fico a pensar: será que num dia de normal actividade o trânsito estaria também assim?

manel disse...

Os sindicalistas fizeram uma análise baseada no que lhes disseram entre as pessoas que privam com eles e destes 90% fizeram greve.