sexta-feira, 10 de junho de 2011

Repovoamento

A causa do despovoamento do território foi finalmente assumida a nível dos Órgãos de Soberania. Saúdo o Presidente da República pelo discurso que hoje fez, nas cerimónias do 10 de Junho. Falo da referência que fez à Justiça territorial e da proposata de repovoamento do Interior do País.

Esta é uma das duas causas maiores por que me bato há muitos anos. Lembram - se da deslocalização de Secretarias de Estado no meu Governo? E, já agora, lembro o que quase ninguém terá em memória: em 2008, como líder parlamentar do PSD, escolhi para tema do agendamento potestativo a que tínhamos direito, o da desertificação e despovoamento do território. Na altura, muitos, no Parlamento, reagiram com incredulidade e até com ironia e sarcasmo. Mas, depois do debate, todas as bancadas reconheceram a importância do tema.

Nos meus artigos, nos meus discursos, há anos que falo do tema como de relevante interesse nacional. Por isso, porque entendo que é essencial para recuperar o País, fico muito satisfeito com esta atitude política de Anibal Cavaco Silva.

29 comentários:

Hugo Correia disse...

Dia em que perdi alguma vergonha e que passei a integrar a lista de comentadores deste espaço. O primeiro comentário. Foi há três anos no post "amigos"!... de 8 Junho de 2008.

«Os amigos sentem-se nas vitórias e principalmente nas derrotas e é com grande orgulho que sinto ser seu amigo, mesmo sem o conhecer pessoalmente. Este é o meu contributo de fidelidade a um Homem e político que tão bem pensa Portugal. Na minha opinião muito melhor que qualquer outro interveniente político. Não posso estar mais de acordo com o Francisco que muito bem comentou no post anterior. Quanto a este espaço, continua a ser o único que procuro com grande satisfação.

Grande abraço,

Hugo Correia»

A opinião e sentimento em relação a si não mudaram.
Não deixe de nos mostrar o caminho, mesmo que este venha a ser "reconhecido" só mais tarde, como na maior parte das vezes.

Arqª Patrícia Ferreira da Cunha Névoa disse...

E o que fez o Presidente da República, neste sentido,entre 6 de Novembro de 1985 a 28 de Outubro de 1995, enquanto foi Ministro?

Hugo Correia disse...

Permita-me a transcrição...

«A descentralização do Governo era outra questão inegociável. Quem viveu na província, durante pelo menos quatro anos, com responsabilidades públicas, tem a noção da urgência que representa a proximidade em relação aos centros de decisão. Tinha agora a possibilidade de corrigir um pouco esta distância e não deixaria de o fazer, para já com a deslocalização de algumas Secretarias de Estado.
Coloquei o assunto logo que convidei alguns secretários de Estado. Na Cultura e na Educação teria de haver Secretarias de Estado descentralizadas. No Turismo, determinei Faro como destino. E quis a Secretaria de Estado da Juventude no Norte - em Braga, onde a população dá lições de rejuvenescimento a todo o país. A Secretaria de Estado da Agricultura iria para a Golegã, no distrito de Santarém, graças ao entusiasmo do presidente da Câmara, eleito pelo Partido Socialista, José Veiga Maltez.
Queria prosseguir a política de levar os serviços do Governo para fora de Lisboa. Penso que é uma medida correctíssima, que dá mais importância às terras, mais movimento. É importante reverter o fluxo do êxodo rural, também com estes sinais. Como referi, um dos grandes problemas de Portugal é a desertificação. Apliquei este princípio nas minhas responsabilidades políticas anteriores, como em 1992, quando transferi a Delegação do Norte da Secretaria de Estado da Cultura, do Porto para Vila Real.


........

Hugo Correia disse...

........


Não estou sozinho nesta orientação. O ex-director, do Expresso, José António Saraiva, chegou ao extremo de sugerir, nesses dias, sem ironia, que a capital do País devia ser algures perto de Castelo Branco. «Por que não mudar a capital do País para a província? Por que não 'deslocalizar' a capital, instalando-a numa cidade já existente ou construindo uma cidade nova para esse fim? À primeira vista parece uma loucura. Mas à medida que se aprofunda o assunto, vão-se acumulando argumentos a favor. O grande problema do País, a prazo, vai ser a desertificação do interior» (Expresso, 7/8/2004). Como se vê, este articulista comungava desta linha de pensamento, inspiradora das decisões que tomei. Mas com a radicalidade que não subscrevo.
Só que a maioria dos chamados opinion-makers tentou menorizar a iniciativa. Referiam os custos das instalações das Secretarias de Estado, a facilidade das novas tecnologias, a escolha dos locais em concreto, tudo o que mexia sobre o assunto. Tudo, menos a razão de ser da mudança. E, como é proibido contrariar a tendência, o poder continua a ser instalado em Lisboa e no Porto, estimando-se que em 2015 três quartos da população portuguesa vivam nestas duas áreas metropolitanas.
Na mesma linha, realizei regularmente Conselhos de Ministros um pouco por todo o País: Bragança, Évora, Porto, Coimbra - até a bordo da Sagres, para melhor focar a atenção na importância do Mar no nosso futuro. O primeiro Conselho de Ministros «deslocalizado» foi no Porto, e logo a 30 de Julho. Nessa altura queria que o Conselho de Ministros reunisse, alternadamente, em Lisboa e no Porto, pelas razões que atrás referi. Nesse dia celebrei um acordo de princípio com Rui Rio, e ficou assente que a sede do Governo no Norte seria ali mesmo, no Palácio do Freixo.
Como aconteceria nos outros Conselhos de Ministros que realizámos fora de Lisboa, houve primeiro uma breve saudação do governador civil e do Presidente da Câmara da cidade anfitriã, à qual o primeiro-ministro respondia, numa cerimónia que não durava mais do que cinco minutos. Lembro, aliás, que Durão Barroso tinha reunido um Conselho de Ministros no Porto, a 31 de Julho de 2003, onde aprovara, entre outros, o diploma das sociedades de reabilitação urbana.

"Crise de 2004: Percepções e Realidade", págs.194/5/6, capítuloIII - "Governar até 2006", sob o título "Decidir o inadiável" - Pedro Santana Lopes (Novembro de 2006)

Ricardo Araújo disse...

Bom dia Dr. Santana Lopes, em relação aos discursos de ontem, o do Dr. Álvaro Barreto, foi um discurso que deveria ter sido ovacionado de pé, pois tudo o que disse é a mais pura das realidades.
Em relação ao Presidente foi um bom discurso, algo fora do que todos estavam a espera, mas acima de tudo muito importante, pois de uma vez por todas temos de assumir se queremos um País igual para todos ou se queremos um País todo virado ao litoral esquecendo definitivamente o interior.
Somos um País pequeno, com tantos habitantes como muitas das cidades por esse mundo fora, e no final tudo se concentra numa só cidade "LISBOA".
Sei que é difícil em algumas cidades do interior fazê-las evoluir mas existem outras que têm muito potencial, quer agrícola, quer económico, mas acima de tudo turístico.
A essas é necessário dar-lhes a devida atenção, não fazendo como o anterior Governo que tudo fechou e deslocalizou, deixando-as ainda mais desertas.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo

o cusco....... disse...

Cavaco que diz necessário o povo Português nascer 2 vezes para ser tão honesto como ele ( essa eu não lhe vou perdoar 100 anos que viva )
deve ele ter tido nesta, 2 vidas já.
A Arqt. Patrícia tem razão.
Critica e comenta coisas que ele mesmo deveria ter feito e nem em sonhos.
Será que era um irmão escondido gémeo de Cavaco Silva que foi 12 eternos anos PM deste País????
Na Polónia havia 2.
Um PR outro PM.
Tenho mais um forte arrepio de pensar que eles se poderiam chamar Sócrates e ser Portugueses!!!!!!!

o cusco....... disse...

Cavaco que diz necessário o povo Português nascer 2 vezes para ser tão honesto como ele ( essa eu não lhe vou perdoar 100 anos que viva )
deve ele ter tido nesta, 2 vidas já.
A Arqt. Patrícia tem razão.
Critica e comenta coisas que ele mesmo deveria ter feito e nem em sonhos.
Será que era um irmão escondido gémeo de Cavaco Silva que foi 12 eternos anos PM deste País????
Na Polónia havia 2.
Um PR outro PM.
Tenho mais um forte arrepio de pensar que eles se poderiam chamar Sócrates e ser Portugueses!!!!!!!

Carlos Alberto disse...

Essa das secretarias foi gira, meu caro Pedro mas convínhamos que não é por ái...

Vitor Nunes disse...

O Sr Dr Santana Lopes é capaz de se ter esquecido que Cavaco Silva já foi 1º ministro e estou aqui para o lembrar. Quanto a António Barreto,diz o povo, "bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz, não faças o que ele faz"Afinal este senhor não está ao serviço de um dos homens mais ricos de Portugal e um dos mais ricos do mundo? Ele também não foi governante? Já não há pachorra para os aturar e o Sr DR Santana ,o senhor devia estar zangado,muito zangado com esta comandita. Mas enfim,não se percebe.

ava n'tesma disse...

e da proposata .....

é um novo híbrido da SATA?

repovoamentos nem com Sancho nem com Fernando s'houvesse um Dinis ou um Pedro mais cru ou cruel

o Pedro V foi manso nã repovoou nada

este Pedro VII contrariamente ao Pedro VI

jogou com estratega brasileira e apesar disso ganhou

apesar da estratégia ser manta de retalhos

repovoar só se fosse com brasileiras

mas as mães de Bragança estão contra

aparentemente só os pais votam a favor

ava n'tesma disse...

http://www.blogger.com/comment-unsubscribe.g?blogID=1478533270106510096&postID=5231565976655602140

isto dos ID's e dos tráfegos

é o novo mago d'Id a fazer-se às urnas?

re povo a voar com sorte a 100 mil por ano as auto-estradas chegam aos aeroportos em 2 horas

e os voos para o trabalho braçal algures na europa estão baratuchos

repovoar a miséria?

só com atrasados mentais ou com mansas bestas

ava n'tesma disse...

somos um país de sôtores cheios de soluções e de bestas em ânsias de partir

é só...
eu tamém ia mas lá fora faz frio

Pedro Ferreira disse...

A FACHADA

Se o problema do reequilibrio territorial se resolvesse com deslocação de sec de estado ou quejandas há muito tudo estava reequilibrado.

Aliás Lisboa se calhar precisa também de ajuda, a pobre Cidade, experiência de tanta proveta nos últimos anos...

O problema é outro.

Como por o País a investir, a deburocratizar, a liberalizar, a reformar, a acelerar decisões dos orgãos de Estado, a atrair investimento estrangeiro, a credibilizar o Parlamento a ter PM's que em vez de dizerem, de forma convencida "o MEU governo...", se possam orgulhar do Governo de Portugal não com gestos popularuchos mas reformas que perdurem, a acabar com municipios de 3/4 000 eleitores sem medo do "é dificil...", a assumirem-se verdadeiramente liberais e sociais sem vergonha...

O que o PR disse, daqui por uma semana já ninguém lembra.

Disse o PR que é preciso uma política de apoio aos produtos da terra? Aos produtores portugueses, como têm os espanhóis, ingleses ou franceses?

Disse o PR que se deve abordar o rendimento da agricultura, para um paralelismo com outros sectores? Não!!!

O discurso político em Portugal anda pela rama, esvai-se na espuma das conveniências.

Portugal é uma colecção de frustrações políticas: quando no Governo, adiam, tergiversam, hesitam, assobiam para o lado.

Cá fora, antes ou depois do Governo, "ora aqui está a mézinha que tudo resolve, o discurso sobre o qua "ainda não foi dito"...

Nada se ganha, nada se perde, tudo permanece com os mesmos vicios e tiques dos descalabro.

Valha-nos ao menos a boa gestão do silêncio de PCoelho.

Nunca prometeu, nunca escreveu, só tem que fazer.

O resto tem sido fachada.

Banda in barbar disse...

Re povoando as póvoas

Atavismo?

Ancestralidade?

O deserto necessita de ser repovoado por minifúndios anti-económicos?

a floresta ganhará mais em quadrados de km2 ou em talhões de 300 metros?

repovoar o quê e como?

com velhos e cinquentões anafados?

demagogia e Barretes há de várias cores

sejam Barretos rosas Frígios ou Chapéus Algarvios

Banda in barbar disse...

Cavaco o Repovoador

Sancho o rei da auto-estrada

Dinis filho de Fernando o das Sesmarias?

ou sais de frança e de Lisboa e vens cultivar os 300metros quadrados no fim de semana ou tiramos-te a terra

cá por mim sempre pouco 1800 euros por ano

fiquem lá com a terra o vento e o frio
e casas a cair de podres com 150 anos e avaliadas em 60mil

e quanto mais velhas mais valorizam

sarává

repovoar jámé

Anónimo disse...

37 anos depois do 25 de Abril continua a ser muito difícil passar das palavras aos actos, esse é um dos grandes e graves problemas do país... é pena não se reconhecer definitivamente que tudo está concentrado em Lisboa e que isso não é bom para o país, nunca o foi e nunca o será!

João Fernandes disse...

Boa Noite, Drº Santana Lopes

Aproveito para o felicitar pelo bom comentário efectuado no Jornal da TVI este fim de semana passado.

Relativamente ao assunto em discussão no dia de Portugal o Dr. Barreto fez um grande discurso.

Lamento é que os agentes políticos desde 1976 não tenham conseguido arranjar uma solução para algo que está previsto na constituição (regionalização). Para além disso ao longo dos 30 anos o poder político consegui centralizar ainda mais o poder em Lisboa.

Até ocorreu um referendo em 1998 para a regionalização que foi apresentado por alguns partidos como a separação de portugal como um todo...

Resumindo os partidos vivem para os votos e não para Portugal.

No entanto acho que o Dr. Barreto poderia também ter optado por um discurso mais actual em que questionasse o cenário macro-económico.

Portugal com o GDP com comportamento decrescente, vai ter capacidade para pagar o empréstimo que contraiu (eu tenho sérias dúvidas)?

Por exemplo é já certo que a grécia vai fazer default a dívida embora a CE queira lhe chamar outra coisa, mais bonita.

Resumindo prob. de default:
Grécia -> 73,55%
Portugal -> 47,27%
Irlanda -> 46,05%

O discurso do Dr. Barreto era actual caso tivesse sido realizado no ano 2000. Hoje é 2011.

Isto sim devia ser o assunto em que os Portugueses deveriam ponderar.

LOUVA A GREVE PERMANENTE EM DEUS disse...

Podíamos importar uns jaus para a agricultura do arrozal

podiam esses novos jaus vir do Bangla que dexe

tenho um conhecido em Dacca que precisa de relocalizar nos bairros de lata uns 30mil agricultores que perderam as terras 1 ou 2 palmos de terra devido à monção ou a inundação

a 30mil em cada mês 4 a 7 meses por ano

repovoávamos a agricultura de regadio toda

e são melhores que os Thais....

arranjo tamém uns quantos chins
com experiência em fruticultura

esses são mais caros
não dá pra empilhá-los em contentores

Anónimo disse...

A única forma de repovoar é fechar os serviços públicos de Lisboa e Porto que tratam dos assuntos que só dizem respeito a "cada" interior.
Os assuntos e os rendimentos (ex: produção de energia)desses interiores, devem ser lá confinados.
Claro que eu vivo num interior e, portanto, esta forma de repovoar o meu interior só interessa a mim e nada a quem, não vivendo lá, tem vantagens idas de lá.

Desabafante disse...

Finalmente alguém se preocupa com a desertificação do interior, pena que Cavaco Silva não tivesse feito “mea culpa” admitindo ter sido ele o grande responsável pela degradação da agricultura e subsequente litoralização.
Não lhe ficava nada mal admitir que de quando em vez também se engana.

Desabafante disse...

Finalmente alguém se preocupa com a desertificação do interior, pena que Cavaco Silva não tivesse feito “mea culpa” admitindo ter sido ele o grande responsável pela degradação da agricultura e subsequente litoralização.
Não lhe ficava nada mal admitir que de quando em vez também se engana.

o cusco....... disse...

Repovoamento dos políticos para começar.
Depois o mesmo dos Banqueiros, “mercados” ,Gestores Públicos e Governadores dos Bancos de cada País que andam de cegueira propositada há décadas.
Falhanço total do Presidente da Comissão Europeia perante uma crise económica Europeia que devia ser travada e retirada das mãos dos especuladores a que os média chamam de “Mercados”.
São marginais, ladrões especuladores que fazem biliões à custa dos contribuintes europeus principalmente Grécia a quem levaram já à bancarrota, Irlanda e Portugal que foram todos vítimas de Governos Socialistas. Gostaria de chamar a atenção que já só sobram 2 Governos Socialistas na Europa. Os dois estão por um fio igualmente que todos os outros que caíram na maior das desgraças na Europa. O último a cair foi o nosso que deixou uma herança nunca vista desde a 1ª república ( 900 mil desempregados, bancarrota total ( nem dinheiro para ordenados havia nos cofres do estado liderado pelo maior crápula da história portuguesa, Sócrates ), uma dívida pública astronómica criada pelo Governo Socialista e seus boys sequiosos de euros ).
Espanha e Grécia têm os Governos por um fio. Terminará com a queda dos mesmos o ciclo Socialista que levou a Europa à bancarrota não sabendo travar os especuladores pois tem bastantes amigos a trabalhar nos mesmos. É a esquerda do Champagne. Grandes magnates com amigos na esquerda que especulam e levam os estados à desgraça pois têm os políticos comprados.
Todos os sabemos e temos “medo” de o dizer abertamente.
Ontem estive a ver os biliões que alguns ganharam até agora com a desgraça dos Gregos. Tudo assobia para o lado minha gente… Mete nojo.
Bastava criar um fundo Europeu. Só a Europa, ela num todo, poderia por divida no “mercado/especuladores/ladrões” por um Juro mínimo e então cada Estado iria a esse fundo “beber” o que necessitasse. Sem dramas, sem ladroagem, sem Empresas de rating que não passam duns vendidos que vomitam o rating consoante os “mercados” lhes pagam para desgraçar ainda mais os que já nem levantam a cabeça.
Muito dinheiro devem estar a fazer a Alemanha e França para não quererem pôr fim a isto de uma vez.
(continua)

o cusco....... disse...

(continuação)
Durão Barroso terá que um dia explicar porque nada fez para nos ajudar a não cair na desgraça e andou aos beijos a Sócrates todos estes 6 anos.
Victor Constâncio deveria ser levado a tribunal por negligência e “fechadura de olhos” durante anos aos Bancos Portugueses que só fizeram porcaria e andaram a jogar na “roleta por esses Casinos Mundanos” com o dinheiro de gente que levou toda uma vida a poupá-lo.
Continua tudo na mesma. Não aprendem mesmo. Até um dia que todos nós vaiamos aos Bancos levantar tudo o que lá temos e eles mesmo, accionistas, gestores de porcaria a ganhar milhões ao ano, fiquem na mais da profunda pobreza e bancarrota.
Os políticos que abram os olhos pois um povo desgraçado não tem NADA a perder. Quem perde tudo são os que têm. Eles!!!
Já agora e por cá, a nota negra, para variar, do ressabiado (íssimo) Partido Socialista Português que por culpa mais uma vez de Cavaco, agora quer vingar-se. Passo a explicar.
Cavaco que vive na pré-história vetou a lei que poderia permitir votar por correspondência, correio, internet etc como se faz no mundo civilizado. Tinha medo de perder se calhar, não sei. Nunca se sabe o porquê das coisas que se passam naquela cabecinha.
Agora o PS vinga-se com o querer impugnar os votos do famoso Jornal do Rio de Janeiro que se ofereceu para reenviar votos de residentes portugueses no Brasil.
PS esse que sempre criticou o PPD-psd de estar dividido, anda agora cada um a declarar coisas distintas.
Assis sai do Palácio Real onde a república finge reinar a dizer que nada fará que possa impedir o novo Governo de seguir caminho e do outro lado há um Pisco e Lello a dizerem bem o contrário.
A cadeira do outro ainda está quente e já o partido se desfaz em milhentas facções….
Não venham com essa história de que os militantes não têm culpa do que o Partido faz porque foram eles que votaram Sócrates.
Para cúmulo ainda votaram nele para Líder há umas largas semanas com 95% dos somente 15% de votantes que lá apareceram para votar.
Esse outro que devia estar sentado no banco dos réus como está o PM da Islândia, mas anda de férias pelo Brasil.

miguel vaz serra..... disse...

Dr. Santana Lopes
Este repovoamento é que era desnecessário não só porque já há suficientes incompetentes que se acham deuses ( a péssima lei assim lhes permite ) como é no mínimo, escandaloso.
Falo dos futuros Juízes que foram para o exame copiar porque não sabem a matéria. Se não sabem, não podem ser Juízes.
Muito poucas vezes concordo com o Dr. Marinho Pinho, mas esta vez votaria com ele.
"Marinho Pinto defende exclusão de futuros juízes apanhados a copiar"...
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=1879643
Não há palavras.
Não há sequer sentimentos que se possam exteriorizar perante tamanha aberração da natureza humana só possível em Portugal.
Nos USA por exemplo, seriam eles mesmo presos por enganar o Estado e darem um exemplo péssimo aos "citizens" : MENTIR
São estes senhores que depois vão decidir as nossas vidas em casos tão importantes como quem fica com as crianças num divórcio, se as Finanças têm razão em nos meter mão onde não devem, se quem matou à queima-roupa vai esperar o julgamento em casa no mesmo prédio onde vive o filho de 12 anos do homem que assassinou sem escrúpulos alguns, se os grupos mafiosos estrangeiros que matam por um punhado de euros nas gasolineiras podem passear-se como se nada tivesse nunca acontecido num País que os acolheu de braços abertos: Nós!
Muita coisa vai mudar ou estamos entregues às baratas da política. Li que o ainda Ministro da Justiça, o Socialista, está a ser investigado e fizeram-lhe “buscas”….
Define bem o Estado da Nação Socialista.
Veremos se Paulo Portas deixa passar esta.....

mikado está lixado disse...

Bolas com estes 23 já se tinha repovoado a colónia penal de Canha e toda a reta de Pegões

mais 23 e fica a companhia das lezírias com pessoal suficiente pra ordenhar o gado birtual

Repovoar porquê o latifúndio é mau e o minifúndio é bom?

há fazendeiros na Austrália e nos E.U.A e até na escócia que vivem a 60 e a 100 km da propriedade onde trabalham

qual é a difrença

nã é uma questão de repovoar

simplesmente arranjar agricultores que queiram investir tempo e dinheiro na actividade

transportar trabalhadores é igualmente fácil

milhões actualmente deslocam-se todos os dias para se sentarem numa cadeira ou irem a um ginásio

num é necessário que haja população in loco na merdaleja de baixo para que a aldeola tenha uma agricultura próspera

e acessibilidades estão ai ao monte

mikado tá lixado disse...

junto-me a vós

cavalheiros do repovoamento

repovoemos

mas com quê?

REPOVOAR O PAÍS COM GENTES DESTAS FELIZMENTE IMPORTÁMOS BRASILEIROS E UCRANIANOS INFELIZMENTE ESTÃO A DAR À SOLA
REPOVOAMENTOS COM ANÕES DE CIRCO

OU COM GIGANTÕES ACROMEGÁLICOS NUM DÁ NÃO

A TERRA A QUEM A TRABALHA NÃO FUNCIONA EM CEMITÉRIOS

NECESSÁRIO REPOVOAR COM PEIXES-VOADORES

E ELFOS COM PENDORES AGRÍCOLAS

QUIÇÁ COM HOBBIT'S DAS TERRAS MÉDIAS QUE GOSTEM DOS PEPINOS

QUE OS ALEMÃES JÁ NÃO QUEREM METER EM LADO NENHUM

OU UM MORDOR QUE TENHA GRANDES TOMATES OU PEQUENOS TANTO FAZ

QUE OS ALEMÃES TAMÉM NÃO QUEREM

E SE REPOVOÁSSEMOS COM ALEMÃES

ASSI COMÁ SI COM OS VÂNDALOS DEU CERTO

ELES AINDA ANDAM POR CÁ

basta ver o que os alemães fizeram no brasil nos últimos 200 anos

era o ideal repovoar com alemãs do Brasil

são alemãs e as mães de bragança já não se queixam daquelas bruacas que querem repovoar com o meu marido

e não necessitam de silicone ficando bastante baratas

baratas aí está outra ideia

repovoar com os Baratas e outros cristãos novos lá das Bandas de Idanha a Belmonte

ou com baratas mesmo
Blatta germanica ou
Periplaneta americana

isto de repovoar tem tantas possibilidades

Anónimo disse...

Este país é um país de injustiças em tudo:"Apesar de terem um sistema remuneratório equivalente ao dos restantes funcionários públicos, os trabalhadores do Fisco recebem, anualmente, um prémio de produtividade indexado à cobrança coerciva de impostos que acaba por representar um valioso complemento salarial.artigo 48º do diploma –, o Ministério das Finanças propõe que os dirigentes passam a receber o dobro (84% da remuneração base) e os chefes de finanças 1,5 vezes mais (52,5%). "Mas porquê que estes gajos recebem comissões e os outros funcionarios não?Se é o trabalho deles para quê pagar comissões para o fazerem?Alem disso,isto tudo somado quanto é que um funcionario ganha por mês?20 mil euros?

o cusco....... disse...

Não me parece má ideia que fechem a Av. Da Liberdade. O que me parece má ideia é ser pontualmente e sem haver alternativas capazes de escoar o transito.
O português é o povo que mais anda de carro apesar de se queixar do preço dos combustíveis. Cada família tem um carro para cada membro, assim como a casa de praia ou do campo. Somos um povo rico, uma metade. A outra não tem comida na mesa.
Ninguêm anda de transportes públicos e o mulherio adora arranhar as unhas de gel nos carros que os maridos lhes dão.
Mesmo que o colégio do “Bernardo” fique a três prédios de casa, vão de carro buscá-lo. “Assim a Tété vê que o Gonçalo me deu um BMW novo, tá a ver…”
É uma corja de novos-ricos que há 3 gerações viviam na Pampilhosa da Serra a cavar terra e agora usam nomes de cocó, pagam de empréstimos de carro e casas cerca de 3000 euros ao mês pois não têm um cêntimo na realidade. Perdem o trabalho e lá se vai tudo para o caraças.
Um dia voltarão às origens e começarão de novo. Aprenderão de que os carros e casas, os jantares nos Restaurantes de moda para ser vistos e não pela comida, são miragens que não levam a nada. Um vazio tremendo numa sociedade sem conteúdo e disforme.
Por falar em sociedade, vi hoje os Ministros do Governo PSD-CDS.
Deus queira que eu me engane mas há ali gente que não ficará nas pastas correctas. Teixeira da Cruz é uma delas. Devia estar na Educação e E. Superior, por exemplo.
Depois temos aquele fantasma de Nobre que se tivesse vergonha na cara tinha feito o favor ao PM Passos Coelho e ia para onde deve estar.
Não é esse tipo de “independentes” e de cidadania que necessitamos.
Nobre está a pôr PSD no ridículo, sabe-o, e não faz nada para aliviar o novo PM que o que menos precisa é um patego armado em homem de estado.
Portas nos Negócios Estrangeiros não é o cenário que eu criaria. Devia ter ficado com a Justiça e Admt Interna.
Desejo o melhor as estes dois homens que até agora foram discretos e meteram esta canalhada dos Jornalistas no sítio.
Só por isso vale a pena………………

Anónimo disse...

Dr. Santana Lopes, eu não sou ninguém, apenas e só uma portuguesa que lhe quer enviar o meu mais vivo reconhecimento, por ter sido o único português a ter a coragem de propôr o nosso FADO a património mundial.
Bem haja e muito obrigada.