sábado, 19 de março de 2011

Sporting

A campanha do Sporting está mais interessante, menos imprópria, mais genuína no que mostra de cada uma das candidaturas.

Ontem estive em Madrid com Pedro Baltazar, na reunião com Florentino Perez, competente e afável cidadão, empresário e Presidente do Real Madrid que conheço, desde há uns anos, num grupo de excelentes amigos espanhóis.

A viagem e a reunião permitiram confirmar a consistência do projecto do candidato. Até na escolha do treinador o demonstra. É a sua opinião, depois de ter estudado muito sobre o assunto. Muitos lhe fizeram outras sugestões... Ele foi ouvindo durante semanas e, com simpatia, mnteve a sua opção. Tive ocasião de lhe dizer que isso me agradou: confirmar que decide com fundamentação. Escolhe o treinador com lógica, inserido num organigrama onde vão entrar outros elementos que vai garantindo com serenidade. Já disse, també, que quer manter José Couceiro como mannager. Ouvi -o a tratar de dois outro elementos, um Português e outro Holandês, para essa organização com nexo.Comparem este caminho com outras listas: já falaram de treinadores holandeses, brasileiros, e acabam por anunciar um Português a reboque de resultados europeus.

O Sporting precisa disto: de uma equipa que mande no Sporting, que respeite os seus compromissos, mas que não se confunda com a Banca, nem com empresas de construção, nem com outros clubes. A mística que esta equipa quer está bem traduzida na decisão de acabar com o fosso e de criar a bancada Victor Damas. Os sócios, sempre a pensar na bancada para os adeptos, mais próximos da equipa, a empurrar a equipa para a vitória.

Esta semana vão chegar sondagens. Até de empresas ligadas a outras candidaturas. Percebe - se, aliás, na Imprensa mais ligada aos adversários do Sporting, que candidaturas promove e qual quer diminuir. Sabe - se como correu nos Stromps, nos Cinquentenários e com outras estruturas do clube. Sente - se na magnífica campanha de marketing, na serenidade de um caminho.

Aceitei candidatar - me à Assembleia Geral e tenho acompanhado o trabalho que se faz quebrando, em alguns momentos, a distância que a minha vida profissional impõe. Tenho lido o interesse de alguns - que sempre me desvanece - pela minha pessoa e pelo tempo em que presidi ao clube. Estará na altura, 15 anos depois, de fazer algumas notas sobre as campanhas que sempre suscito. Vamos ver quando consigo. Hoje é dia do Pai. Graças a Deus, tenho Pai e sou Pai. O meu Pai e os meus Filhos merecem todo o tempo para eles.

8 comentários:

o cusco....... disse...

Madrid...que inveja..
A minha cidade mãe de coração onde vivi mais de 12 anos....
É bom que o Sporting tome um rumo credível pois assim o merece!!!!
Sempre que a Banca se mete no desporto, mata-o.
Já agora, relembro que o Sporting não são 11 gajos a correr atrás de uma bola e a ganhar ordenados injustificáveis.
Sporting é uma rede de distintas actividades desportivas!
O Futebol é uma minoria dentro desta imensa instituição.
Que se fale mais das outras coisas!!!
Já é hora.

Lamas disse...

Sou sócio do Sporting e estou indeciso entre Pedro Baltazar e Bruno Carvalho.
Descarto completamente Godinho Lopes e gostava que Abrantes Mendes tivesse uma lista mais forte.
Posso confiar em si?

zé paulo fafe disse...

Caro Pedro,
É verdadeiramente extraordinária a devota atenção que uma secção semanal do "Diário de Notícias" te dedica. Por tudo e por nada, a propósito e a despropósito e vá lá saber-se a mando de quem (saber até se sabe, mas nem vale a pena perder grande tempo com isso...). É o lado "melga" de uma "vespa" atarantada e certamente obcecada num hipotético lugar que lhe permita trocar a Av. da Liberdade por outras paragens... Como se diz... "'tá bem abelha"...
Abraço,
ZP

Teresa disse...

A prioridade do Sporting é o futebol. Para ganhar, o plantel é importante, mas o treinador pode ser decisivo. Saber escolher não é só uma questão de competência; é também uma questão de intuição.
O Sporting não tem tido intuição nas últimas escolhas.
Agora, parece voltado para a escolha de um treinador estrangeiro.
Isto numa altura em que temos três treinadores portugueses nos quartos-de-final da Liga Europa.
Isto numa altura em que o treinador vencedor da Liga dos Campeões é português.
Isto numa altura em que o vencedor de várias Ligas dos Campeões de África é português.
Será que os últimos treinadores do Sporting falharam por serem portugueses?
Não terá sido por falta de condições estruturais?
Jorge Jesus até é sportinguista, mas o Sporting não soube vê-lo a tempo.
André Vilas-Boas até estava a mostrar serviço, mas o Sporting não conseguiu contratá-lo.
Se repararmos, os dois mais recentes treinadores campeões passaram pelo Sp. de Braga.
Dizem que Domingos é defensivo? No ano passado e com orçamentos inferiores, ganhou aos grandes. Este ano, já ganhou ao Sevilha e ao Liverpool.
Já na Académica, Domingos mostrou que é um treinador que acrescenta algo às equipas.
Os treinadores estrangeiros de quem se fala estão ao nível das equipas que treinaram, não acrescentaram nada.
Para quem quer ser campeão a curto prazo, é demasiado arriscado apostar no desconhecido.
Não basta conhecer um clube. É preciso conhecer o futebol português.
Como sportinguista sedenta de vitórias, penso que Domingos será a aposta certa.
Mesmo que o seu objectivo seja, um dia, treinar o Porto, terá uma motivação muito grande em mostrar serviço.
E mostrar serviço no Sporting passa por ser campeão.
Nenhum outro me convence.

Maria José Ferreira disse...

Acho bem que o DrSantana Lopes regresse ao Sporting.
Acho até que lhe vai dar sorte,por intuição.
Não percebo de técnicas de futebol,mas a verdade é que há muito tempo que não se ouve um rugido do Rei da Selva.
Abraço amigo.

FranciscoB disse...

Conselhos de um Benfiquista,

Deixem de regular as decisões pelos resultados do SLB... Se o SCP estiver em penúltimo na Liga mas o SLB em último não há crise... o treinador e os jogadores são bons...

Juntem-se ao SLB na luta contra o Xistrema, que já conseguiu estender os tentáculos à política na última década, conforme muito bem sabe...

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Santana Lopes, o seu clube de coração tem de tomar um rumo serio e credível, um rumo que rasgue com o passado.
O Sporting ultimamente tem sido governado por gente que não entende de futebol, gente ligado a banca, onde os números é que contam, mas nem nesse plano souberam vingar.
O Sporting tem de voltar a ser um grande clube da Europa, e espero que os sportinguistas na hora de votarem olhem para trás e não caiam nos mesmos erros, não se pode escolher os presidentes pelas promessas que fazem e que não vão cumprir, como se faz na política, pois é dessa maneira que tanto o País como o clube se encontram na rua da amargura.
Era bom que o candidato que V. Exa. representa vencesse estas eleições, pois pelo que tenho ouvido, de todos eles, Pedro Baltazar é o que inspira mais confiança e o que fala mais verdade.
Espero que a reunião que teve com Florentino Perez desse para tirar as boas ilações que fez do Real Madrid um dos melhores clubes do mundo.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo

JOSÉ disse...

Hoje tomai conhecimento do seu blogue.
Acho que,numa primeiros leitura leio textos que são indiretas (?) seja mais explicito,porque quem levou tanta porrada, não que ter medo.
Força.
Sobre o nosso Sporting. Eu voto sem dúvida em Bruno, porque, como votei em P.Cristovão que fugiu, ou fingiu, para outro lado.Voto contra e estado do SCP, maltratado e mal governado. O Pedro que foi Presidente do nosso Clube sabe muito bem como são as coisas e necessidade imperiosa de serem alteradas. E para alterar não basta ter 15 milhões, é preciso ter carisma, força , determinação e entrosar-se com o Clube. Pergunto: P.Baltazar conversou com as "claques"? apresentou o seu programa. Se não o fez, perdeu e assim não entende a vida do clube. Eu sei que Bruno fez isso, falou, explicou, talvez ganhe essa batalha. Pode dar poucos votos mas demonstrou que entende aquele grupo de "gandas malucos" que cantam noventa minutos. Eis a diferença. E há outras.
Por isso Voto em Bruno e a todos os sócios que estejam em duvidas aconselho voto em Bruno, porque pior do que está não pode ficar.
Com esta conversa toda vou dar-lhe um dado: tenho 63 anos e alguma experiência de vida.Por isso é que penso assim. Aliás o problema do SCP é uma questão política, ou seja de natureza da (de) classe que desgovernou o Clube. Não estou a dar nenhuma indireta a si, mas ao seu patrão de nome Roquete, que bem intencionado não viu o nível da massa para fazer o pão. O P.Baltazar tem razão: O clube não é uma Empresa.
Boa saúde para si.
SL
JCRibeiro