domingo, 18 de abril de 2010

Equilibrio


Sinceramente, também é demais! Então, o censurado é José Sócrates pelo desabafo que teve com Francisco Louçã? Eu estava a ouvir o debate e logo reagi quando o Líder do Bloco de Esquerda afirmou que o Primeiro - Ministro, com o passar do tempo, ia ficando do referido modo... Lá está: tem de haver respeito de parte a parte, mas a um Primeiro - Ministro é devida uma especial consideração. Como a um Presidente do Parlamento, como, de modo mais significativo, a um Chefe de Estado. Nem se está a falar das pessoas, pois, nesse plano, à partida, o respeito que merecem é igual. É à função que exercem, ao cargo que ocupam.
Nestas matérias, não há gostar mais ou menos, e também não é caminho alegar - se que a pessoa A ou B, por vezes, não se dá ao respeito e é desagradável.
De qualquer modo, aqui, o que me surpreendeu, e até chocou, foi constatar que não houve uma palavra de censura para Francisco Louçã e que só José Sócrates foi criticado.
Eu penso que a censura deve ser repartida por igual mas, a haver um que tenha de ser mais responsabilizado, deve - o ser quem faltou ao respeito.
O cargo de Primeiro - Ministro acarreta especiais responsabilidades? Sem dúvida. Mas eu compreendo a reacção de José Sócrates.

23 comentários:

Anónimo disse...

Concordo em absoluto com o que diz. Mas deixe-me colocar a questão ainda de outro modo. Ou seja, o Prof. Louçã foi um rapaz a quem até se achava alguma piada com aquelas manias trotskystas.As pessoas ouviam-no e um desculpável sorriso surgia no rosto de quem o ouvia ou lia. Depois o Prof. Louçã ganhou a legitima importância de ser deputado e está convencido que pode dizer todos os disparates pela boca fora, faltar ao respeito a qualquer pessoa, mesmo ao respeito institucional. Mas o Prof. Louçã faz mais. Constantemente diz uma qualquer coisa, e depois não a demonstra e prova.Um destes dias, também num debate com o PM afirmou que o PM "lhe disse a ele" que empresas estratégicas não seriam vendidas, e que o PM tinha mentido, pois até sabia quem estava a comprar essas empresas. Bom, o PM respondeu que ele apresentasse essa prova e que até devia abrir mais um inquérito parlamentar. O Prof. Louçã limitou-se a apresentar aquele sorriso amarelo, amarelo. E ficou-se. O que me surpreende neste comportamento é saber que Francisco Louçã é um homem muito inteligente e que se deixa enredar nestas banalidades.
Gostava mais do Prof. Louçã quando era um rapaz a quem se achava piada.Declaro que sou militante de base do PSD.

Jorge Diniz disse...

Um diz que o outro é "desonesto"; o outro diz que cada dia que passa está mais "manso"!
Por isso, estão bem um para o outro. E nem se diga que o cargo de 1º Ministro "...é devida uma especial consideração...", porquanto essa "especial consideração" tem de partir necessariamente de quem ocupa o cargo. É o velho ditado: RESPEITA PARA SERES RESPEITADO, e nesse aspecto o actual Primeiro Ministro tem sido pródigo em "exemplificar o oposto"! Aliás, ele e todo o seu grupo.

Anónimo disse...

Eu não sei se compreendo a reacção do Sócrates, mas é totalmente inadmissivel a reacção do PM.

Num país decente "imaginário", como se sabe, em que o PM se daria ao repeito, sem dúvida, o Louça seria apontado e até mandado retirar da sala.
A reacção do Sócrates numa feira dá inevitavelmente aquilo que sabemos, ao qual eu já tive oportunidade de assistir.

Não coompreendo, também, a sua comiseração pelo Sócrates, quando ele não teve nenhum respeito por si e, sobre um tema (recorrente-M da economia) que só me dá vontade de rir (por enquanto).

Pedro Ferreira disse...

Quer a nuvem vulcânica, quer o dito do ex- economista chefe do FMI ("Portugal vai indo ao fundo..."), mereceriam mais o seu enfoque, mas vc lá sabe.

Um destes dias Sócrates ainda lhe pede desculpa das patifarias que lhe fêz...mandando uma mensagem pelo Sampaio.

Francamente.

JB disse...

Isso não é de estranhar.O povo costuma dizer nestas circunstâncias, que são farinha do mesmo saco. O frei Louça é useiro e vezeiro nestas "bocas", deve ser porque a sua bancada acha graça, tal como achou graça o ministro truculento dos militares, quando a tia do frei Louça foi trazida à baila.

JB disse...

Bom a resposta está desenquadrada ou está actualizadissima. Tia (feminino) manso (masculino)???
Querem ver que o Louça tem 2 tios do mesmo sexo casados um com o outro!!!??
Só pode.
Penso que a terminologia nada tem a ver com diplomas de fim de semana.
Tirem-me desta inquietação.

Anónimo disse...

Esta coisa do respeito mútuo entre o Governo e os Deputados é só de gentlemens, coisa da Velha Albion, onde se usam punhos de renda ou botões de ouro, qual botão de camisa de costureira do Páteo das Cantigas, qual quê. A realidade é que a classe politíca está despretigiada, mas não é assim que lá vamos, à decência do confronto de ideias e de projectos.Grita-se, gesticula-se, ofende-se a inteligência de cada um, enfim, um rosário de chatices que deve repugnar a muita gente que lá está. Já compreendi há muito a razão de VPV sair da Assembleia, intempestivamente. Começo a compreender a razão de PSL não estar lá.Mas, ainda assim, devia estar.Permita-me, com todo o respeito, dizer-lhe que é preciso ouvir a sua voz, mesmo com as habituais polémicas que gera.Declaro que sou militante de base do, como diz, PPD/PSD.

A Mim Me Parece disse...

Cerca de 80 anos antes e muito mais intempestivamente saiu dela AOL. Que só lá esteve três dias!

asmodeux disse...

meu deus um ex-primeiro com tanta verve e só 7 comentários
ou os outros eram insultos
ou só estes 7 é qwe prestavam
Louçã ou o ex-peregrino da igreja do Rato
é assi fortuna mundis
hoy preso na capela do rato uns anos despois deputado

respeito num parlamento nunca houve muito nem durante a monarquia nem na 1ªrep nem na ASSEmbleia dita nacional
as ditas elites sejam de qwe qwadrante for
aqreditam que as suas verdades e mentiras são superiores às dos outros

Romeu disse...

Caro Pedro,é verdade que o nível do debate parlamentar vem baixando progressivamente.
Mas isto é um fait divers.
O drama reside nas patifarias que vêm fazendo ao povo português,destruindo tudo o que o vituperado regime anterior ergueu.
Onde pára a reserva de ouro que o papão Salazar deixou a todos os portugueses?
Onde está o progresso e bem-estar prometido pelos salvadores de 74?
Isso devia merecer mais a sua atenção(peço perdão pela arrogância).
Porque estão ricos todos os protagonistas políticos e mais pobres e endividados todos os restantes(salvo as clientelas)?
Ser-se social-democrata é sobretudo ser-se justo e ter-se uma visão particular da sociedade,em que se caminha para o bem comum,a valorização do povo português como um todo,não esta pilhagem miserável a que o PSD tem feito silêncio.
A sua voz já foi galvanizadora,provávelmente porque era mais jovem,mais entusiasta.
Bem sabe que esses valores basilares é que criam empatia com as massas sequiosas de deixar um futuro mais risonho aos seus descendentes.
Cumprimentos.

asmodeux disse...

tendo em conta a falta de capacidade discursiva e argumentativa dos outros comentários o PSL ou quem lê os coment´´arios deve...
o que me espanta é que com 5 milhões de eleitoras e eu cheguei aqui pelo blog de uma tão poucas façam comentários
é a vida Fama Fumus
Sem querer dar conselhos, já lhos tentei dar durante a sua breve ascensão podia por um counter no blog

Pedro Coimbra disse...

Não podia estar mais de acordo.
Goste-se, ou não da pessoa(e eu até nem gosto nada, e você também não!), é o Primeiro-Ministro que está a ser alvo de um comentário idiota.
Ainda para mais no Parlamento e numa sessão parlamentar.
Não há respeito por nada e por ninguém?

Cinderela dos Pés Grandes disse...

Como não gosto de nenhum deles, suponho ter um razoável grau de isenção ao afirmar que, neste caso, é Louçã a merecer censura: falou alto e bom som, na qualidade de deputado, colocando o debate ao nível da apreciação das qualidades de um podengo.
Mas talvez o arfante cavalheiro considere o hemiciclo como coutada onde se caçam votos... isso explicava muita coisa!

MARIA JOSE FERREIRA disse...

ACHO QUE JOSE SÓCRATES TEM TIDO PACIÊNCIA DEMAIS,TEM DE HAVER MAIS RESPEITO NESTE PAÍS.

Anónimo disse...

Por mais que possa compreender não posso deixar de lembrar que para se ser respeitado tem que se ter um comportamento responsável. Puxar pelos galões só fica mal, um General tem que ser admirado pelas suas tropas!
E infelizmente para todos nós Sócrates tem sido de uma grande irresponsabilidade, seria exaustivo mencionar todos as cegadas em que esteve e está envolvido.
Outros foram bem mais mal tratados sem o merecer, e não estou a falar de Guterres ou de Barroso.

Anónimo disse...

MANSO - Brando de génio; pacífico; sossegado; domesticado; não silvestre; lento; brando (in Dicionário da Língua Portuguesa - Dicionários "Editora" - 5ª Edição)

Porquê tanto alarido? Porque o analfabetismo invadiu a classe política e só se conhece um linguajar vernáculo e político? Porquê?

Anónimo disse...

Depois e ver o que se passou com Jardim na Madeira em relação ao PM, nada já pode estranhar nestes políticos.750 milhões de euros, calaram Jardim. O mesmo preço que Figo cobrou por um pequeno almoço com o PM.
Há pessoas que melhoram com o tempo, outras ficam cada vez mais na mesma.É certamente derivado aos nervos.
C.S.

Marcelo Al disse...

"Sócrates é fixe!" pá
"Porreiro, pá!"
"Manso é..., pá!"
E gente que saiba falar nesta "terra", pá?!

Um abraço (pá).

Anónimo disse...

Muito bem Dr Santana Lopes. O que é demais é demais.
A ironia do destempero doentio contra o PM é que quem ganha com isso é o próprio PM.
Depois as luminarias do lapis (como por exemplo o incrível Henrique Monteiro)"explicam" que o povo é bera, que não leva em conta as malfeitorias que eles apontam...
Com consideração
C.V.

Jorge Diniz disse...

"...750 milhões de euros, calaram Jardim. O mesmo preço que Figo cobrou por um pequeno almoço com o PM..."????

Haja bom senso! Multiplicar por 100é honesto?
Figo cobrou 750 mil (em prestações).

Anónimo disse...

Dr. Pedro Santana Lopes
Não percebo o tom de donzela ofendida pelo adjectivo "manso" usado por F.Louçã relativamente ao PM. Não me parece nada desrespitador.Se ele tivesse dito "menos arrogante" ninguém se sobressaltaria. Grave é quando o PM se dirige aos deputados dizendo "Oh Sr. Deputado, não se excite!" - mas ninguém se pronuncia.

Francamente, não percebo.
Está tudo louco?????

Vou ter de reconhecer que o PM consegue mesmo fazer passar a imagem de vítima. Isto está a ficar perigoso...


MC

O monárquico disse...

Em primeiro lugar acho triste que os jornais discutam estes assuntos comezinhos. No entanto, estas pequenas atitudes permitem-nos conhecer melhor quem nos governa. Não me agrada o carácter de Louçã. Quem provoca e quem responde não merece a mesma pena. Lembro-me, uma vez, em miúdo, de levar tareia de um colega. Respondi-lhe. Fomos os dois de castigo.....Igual....Mas eu apenas respondi...apenas me defendi....Não foi justo. Louçã provocou, tentando humilhar o primeiro-ministro, sem se comprometer, como os cobardes. Considero Sócrates incompetente como governante, mas, pelo que vejo, não considero que seja uma pessoa de mau carácter. Já Louçã não lhe gabo o carácter.

Anónimo disse...

Não foi o Socrates que se definiu com “animal feroz”?
Manso
adj.
1. Que não é bravo.
2. Benigno.
3. De génio brando.
4. Sossegado, tranquilo.
5. Domesticado.
6. Cultivado (vegetal).
7. Sereno.
8. Plácido.
9. Não silvestre.
10. Lento, brando.

Onde está o insulto?
Apenas discordo do tempo, não foi ao longo do debate que ficou mais manso. O Sócrates amansou quando se soube das escutas das conversas com o Armando Vara. Agora depois da destruição já irá ficar mais bravo!
As suas atitudes no parlamento é que não têm justificação, como justificação não tem o facto de até ao presente não ter apresentado um pedido de desculpas. A injuria não foi feita ao Louça, porque este não está no parlamento em representação próprio mas em representação do povo, portanto o Sócrates ao dirigir-se a ele deste modo não o insulta mas insulta quem ele representa.
Espera do presidente da assembleia da república, não zeloso de formalismo (p. Ex. Da forma como um secretário de estado se deveria dirigir ao parlamento) que já tivesse tomado uma posição pública.
Para que gastar 10 milhões de euros nas comemorações dos 100 anos da república quando se enxovalha uma das suas maiores instituições?