sexta-feira, 19 de março de 2010

Versão com toda a Verdade sobre a falsidade (4,12min)

15 comentários:

joyce disse...

Dr. Pedro Santana Lopes


Mais comentários para quê?
As imagens, valem mais que mil palavras!

Anónimo disse...

Pois...

Então em quem se vota?

Anónimo disse...

Pois é, a verdade do que se passou está aqui. Para ver, ouvir e reflectir.

A verdade, é que ninguém se opos à votação da norma. E quando foi votada, passou por maioria.

Eu, que lá estive, votei a favor consciente do teor da proposta.

Porque tal como o dr. Santana Lopes disse, e bem, não podemos continuar a fazer o jogo dos adversários. Não podemos. Nem o mais anónimo dos militantes, nem aqueles que nas televisões, jornais e rádios se fazem ouvir.

Agora também acho estranho, senão mesmo inportuno, que os quatro candidatos à presidência do Partido, quais virgens ofendidas, venahm a terreiro apregoar que com eles esta norma não seria apresentada nem votada.

Por favor meus amigos, mas porque razão não disseram isso no sítio certo? Isto é, no Congresso?

Sérgio Loureiro

a disse...

Meu Caro Dr Santana Lopes, desculpando a linguagem, é uma porra apanhar os outros em flagrante.Parabéns pela sua coragem.

henrique disse...

Boa noite meu caro companheiro Pedro S Lopes, como seu amigo e apoiante desde sempre, quero dizer-lhe que eu pessoalmente gostaria que fosse um pouco mais duro com certas personagens que gravitam no nosso partido,mas sei que o senhor é assim,,,,não gosta de esmagar,,,gosta de ser conséndente, mas mão vale apena,estar com mais paninhos quentes com essa gente, no proximo congresso o sr, vai subir novamente á tribuna e arrasa com eles de vez, estou farto cansado, e nem sei o que dizer disto tudo, mas eu vou votar em quem e para quê,,,se os canditados nem sabem defender uma proposta aprovada no congreso, vão defender o quê.

mantenha-se atento atuante pois o sr continua a fazer muita falta ao nosso partido e a portugal.

um abraço h santos

JB disse...

Peço desculpa Dr. isto nõ tem nada a ver com o post e sei que nõ vai publicar mas não resisti:
Um avião está prestes a despenhar-se.

Há 5 passageiros a bordo, mas o avião só dispõe de 4 pára-quedas

O primeiro passageiro diz:
“Sou o Ronaldo, o melhor jogador de futebol do mundo. O futebol precisa de mim. Não posso morrer, devo isso aos meus fãs.”
Apanha o primeiro pára-quedas e salta.

O segundo passageiro, o Dalai Lama, diz:
“Eu sou o pensador mais importante do mundo. De mim depende o karma, o desenvolvimento da humanidade e a sua evolução. Não posso abandonar este mundo no ponto mais crucial dos meus estudos” Apanha o segundo pára-quedas e salta.

O terceiro passageiro diz:
“Eu sou o grande José Sócrates, Primeiro-ministro de Portugal, Secretário-geral do PS e candidato a uns tachitos no futuro. Tenho uma enorme responsabilidade na política nacional como garante do trabalho dos meus amigos sem qualificações que distribui pela administração pública. Por eles e pelo povinho que enganei, não posso morrer.”
Apanha um pára-quedas e salta.

O quarto passageiro, o Papa Bento XVI, diz ao quinto passageiro, um rapazinho de escola:
“Já estou velho. Vivi a minha vida como um homem de bem e pastor de almas. E ainda que acabado de chegar a Papa, deixo-te o último pára-quedas, tu tens toda uma vida à tua frente para viveres. Tu não podes morrer.”

O rapazinho pisca um olho ao Papa e diz:
“Não se preocupe que não há problema algum. Também há um pára-quedas para si. O grande Primeiro-ministro e Secretário-Geral do PS saltou com a minha mochila da escola, que tinha o MAGALHÃES lá dentro”

JB disse...

Mas mesmo assim, depois de se ver que houve uma votação, ainda há maldizentes, o do costume Pacheco, com o seu ódio de estimação e uma Sra que escreve no CM, que fala em sound bytes (nós sabemos que sabe inglês), e que agora é Coelhete.

Pedro Soares disse...

Dr. Santana Lopes,

Ainda se recorda de ter sido presidente do Sporting Clube de Portugal? Não acha que devia dizer qualquer coisita sobre o descalabro do clube e sobre a gente que actualmente o dirige? Quinze anos volvidos sobre o projecto Roquette, que você personificou, o clube está como está, e você nada tem a dizer sobre isso? Está à espera do quê para falar publicamente disso- da falência do clube?!

Cumprimentos cordiais

Afonso Henriques disse...

Caro Dr. Pedro Santana Lopes, julgo que é claro para toda a gente que todos os militantes sabiam o que estavam a votar, e que quem teve oportunidade de exercer o seu direito de voto o fez em plena consciência e da forma que lhe pareceu mais conveniente.
Sempre apreciei a sua combatividade, que neste momento particular, parece ser pela não extinção do seu PPD/PSD, estranho assim, que prolongue a discussão sobre este tema, quando o que está em causa são os resultados das eleições directas e as consequências que os mesmos terão para o partido e para o país.
Parece-me preocupante que os militantes, a acreditar nas tão apregoadas sondagens, se preparem para entregar o partido a Pedro Passos Coelho, pela simples razão de a sua candidatura, ele próprio, e as pessoas que o apoiam terem enormes responsabilidades no estado em que está o partido.
Talvez esteja na hora de chamar as coisas pelos nomes e dizer a quem possa não saber, que o grande obreiro desta candidatura é o Eng. Ângelo Correia, que nos últimos três anos, juntamente com alguns amigos, se tem dedicado com particular zelo a destabilizar o PSD para que Passos Coelho chegue a líder. Este não é um serviço prestado ao partido e muito menos ao país. É apenas o cumprimento de uma agenda pessoal, que justificou comportamentos que me escuso de comentar. É a esta gente que querem entregar o partido e quem sabe o país? A bem de todos nós, esperemos que não.

Pedro Ferreira disse...

Para quem foi Primeiro-Ministro, vê-lo a discutir o artigo x dos Estatutos, se a atitude y dá ou não expulsão, fáz pena...

Não se dá conta?

Não se dá conta que a sua intervenção no Congresso, cheirou a "agarrem-me-que-vou-acertar-umas-coisas?"

Não se dá conta, que todos percebemos que nas suas intervenções e nas alterações aos estatutos há muito de ajuste com o Pacheco, com o Cavaco, com o Sampaio e outros na penumbra?

Eu sei que foi injustiçado, quando PM, mas esperava-se uma outra volta por cima...

Imagina aqueles que tanto cita actuarem assim?

A porra da política portuguêsa está intragável, não é só por causa deles, é também por causas nossas...

Que Deus que tanto invoca, o inspire a resistir à tentação do palco e dos microfones...

Overdoses fazem sempre mal...dedique-se a outras causas.

Anónimo disse...

Depois de ler todas estes post de quem gosta, de quem o apoia, mas também de quem compreende as suas motivações.
Só tenho uma palavra a dizer, vale a pena bater-se por um Portugal melhor e vale a pena lutar por um futuro melhor, tem sido essa a sua motivação.
Neste país descrente, é difícil para alguns compreender que há gente que tem um elevado sentido patriótico, de dever com Portugal.
Estamos fartos de políticos vaidosos que se regem por ambições pessoais ou económicas.

Anónimo disse...

Dr. Pedro Santana Lopes,
Não posso dizer que não foi para mim uma surpresa a sua proposta de "abstenção de 60 dias de comentários destrutivos" (prefiro chamar-lhe assim). Por uma simples razão: não devia ser necessário transformar uma atitude de bom-senso e companheirismo numa lei. Isso devia ser sentido por cada um dos militantes do PSD, devia estar "no sangue". Mas não. A necessidade de protagonismo falta mais alto e o horror ao anonimato é visceral... Por isso, o Sr. Dr. sentiu necessidade de criar uma lei.E eu entendo-o e por isso concordo. Comparando com a família, todos nós vamos interiorizando que não devemos andar a dizer mal dos nossos gratuitamente e muito menos para fazermos de nós os bons, os que sabem sempre o que fazer. Para dizer mal dos nossos bastam os outros.Tudo se quer na justa medida e na altura certa, é a isto que chamo bom-senso.
Quanto às reacções dos três candidatos a líder, percebe agora por que razão lhe escrevi a dizer q n servem, nenhum deles, as necessidades do País? Parecem umas baratas tontas na ânsia de conquistar apoios. Parece-me até que mais do que cativar as pessoas estão mais interessados em conquistar a Comunicação Social. Não é o País que querem governar é mais atingir os seus objectivos políticos. Não me convencem.
Não é desta que o PSD vai conseguir. Nisto o PM tem razão: O PSD não vai ficar por aqui. E ele todo contente, a ganhar tempo, continuando a explorar a classe média, a pedir para fazermos sacrifícios e a distribuir lucros aos milhares pelos seus muchachos.

Do que vi do Congresso, devo dizer que não gostei da intervenção um pouco acircalhada do Presidente da Câmara... Uma versão menor do Tino de Ras, penso ser este o nome. E quanto ao Dr. Jardim que atitude tão grosseira a de se levantar e sentar-se junto ao PRangel depois do "perdão" de PPCoelho. Este conjunto de atitudes também contribuem para a (des)credibilização do Partido. Dizem que é liberdade e abertura, eu chamo não saber-ser e não saber-estar...
E o Sr. Dr. não se candidatou :(. Provavelmente fez bem. Não será a altura certa.


Neste momento digo "Viva o voto em branco!"
Quero no entanto ressalvar alguns jovens políticos que me apraz ouvir, nomeadamente no programa "Corredor do Poder", João (PCP) Ana Drago (BE), Nuno Melo (CDS-PP)e Marco António (ás vezes) e ainda Artur Semedo.

Estou cansada das ratazanas políticas...

Sobre um comentário que lhe é pedido aqui sobre o futebol (Sporting), sugiro-lhe que se abstenha de comentar, muito menos depois do que se passou ontem entre SLB e FCP - uma vergonha, o retrato do País. Pobre Polícia. São eles e os professores: enxovalhados e desautorizados!

Por mim, os desafios de futebol deixariam de ter adeptos a assistir até ao final da época. TODOS. Jogavam sozinhos sem assistência até aprenderem a ser civilizados. E a Comunicação Social ainda perde tempo a dar tempo de antena ao (ir)responsável por uma claque... E dizem eles: isto faz parte do espectáculo.
Política e Futebol cada vez mais de mãozinha dada. "Diz-me com quen andas..."

Boa Sorte, Portugal!


MG

Vitor Manuel disse...

No Sábado fez-se a limpeza ao país. O Benfica gostou tanto, que deu continuidade no Domingo. Na próxima Sexta, vai ser a vez do Passos fazer a limpeza no partido.
Se não for assim, nunca mais lá vamos e porquê? Porque vossas excelências, dirigentes do PSD, não conhecem a realidade do país, não é só o Sócrates, não.

Anónimo disse...

Não se pode perder o rumo, nem o sntido de humor...

Oi, boa tarde.Sou Mário Dias, sou Brasileiro e sou proprietário de várias quintas no Douro.Sou ainda produtor vinicola e responsável pela colocação no mercado de um novo vinho que em breve estará pronto a ser comercializado.Contacto com Vexas porque me foram referenciados por uns colegas Portugueses como "prestadores de um serviço da maior qualidade e preços acessíveis no que concerne a rolhas".
Como não tenho possibilidade de entrar telefonicamente em contacto com Vexas queria perguntar o preço da rolha.Ao procurar na internet informações sobre o assunto, deparei-me com a lei da rolha que pelo que percebi foi aprovada recentemente no vosso país. Gostava também de perguntar em que se traduz essa lei para não fazer asneiras.
Muito obrigado e aguardo resposta breve.
Mário Dias

Estimado Mário Dias.
Agradeço o seu email e interesse pelos nossos produtos.
Somos uma empresa com um vasta experiência na produção de rolhas, de granulados e aglomerados de cortiça.Não é por acaso que somos uma das firmas com mais prestigio em Portugal, sendo frequentemente o nosso nome associado aos melhores vinhos.
A verdade é que já contamos com mais de 60 anos de história.
No que concerne à "lei da rolha" não se preocupe pois isso não é lei nenhuma nem se aplica a nós.Foi uma lei que os militantes do PSD aprovaram que impõe o silêncio até à data das eleições.
O melhor seria contactarmos telefonicamente para acertar pormenores. Se nos fornecesse um número que pudéssemos utilizar seria o ideal.
Melhores cumprimentos,
Alberto Luís

Boa tarde,
agradeço desde já a vossa simpatia e o belíssimo histórico que me apresentou:
Tantos anos a produzir rolhas, granizados e aglomerados de cortiça é de facto obra.
Engraçado,aqui no Brasil, na zona onde moro, os granizados são servidos em copo e não engarrafados e "enrolhados" como o fazem (e que delicia que são) mas ao abarcar todo o processo (da produção do suco à comercialização) certamente os vossos lucros são bastantes maiores.
Sr. Alberto neste momento era importante para mim saber preços para saber se me compensa a deslocação para negociar. São rolhas normais o que eu pretendo sem grandes especificidades.
Diz-me que a lei da rolha não é lei nenhuma e pelo que diz nem tem nada a ver com a vossa rolha.
Peço desculpa por achar estranho mas não consigo deixar de o questionar:
Está me a dizer que algo a que chamam "lei da rolha" não é lei nem mete suas rolhas?
Sr. Alberto, não me leve a mal a questão mas vocês estão ilegais?
Então é aprovada essa lei por um partido e a sua empresa, de dimensão considerável na produção de rolhas, não é contemplada pela lei?
Esse silêncio, que os senhores que militam com as rolhas deverão respeitar até ao dia que me disse, significa que não podem celebrar negócios até à data das eleições?
Sinto muito mas eu não poderei esperar tanto tempo.
Saudações,
Mário Dias

Estimado Mário Dias
Há aqui um grande equivoco.
A lei a que se refere é apenas uma expressão utilizada em Portugal que nada tem a ver com rolhas e que não interfere nos nossos negócios.
É lei da rolha como pode ser lei da fita adesiva ou lei da tampa.
Compreende?
Aguardo então o seu contacto telefónico.
Cumprimentos,
Alberto Luís.

Claro que compreendo Sr. Alberto e agradeço o seu esclarecimento.
Rolhas, fita adesiva e tampas passarei a adquirir aqui no Brasil onde as pessoas podem falar sem estar a cometer ilegalidades.
Pedia que não entrasse mais em contacto comigo pois não quero ser acusado de cúmplice do que quer que seja.
Felicidades com os vossos "negócios da rolha".
Mário Dias

Texto publicado no blog "Mail de um louco" por João Pinto Costa


George Sande

Mário Rui Gomes disse...

O problema do Pedro, mesmo antes do 25 de Abril, era ser um visionário, uma pessoa à frente do seu tempo. Acho que sempre considerou a Presidência da República como o órgão que deve ter mais poder para modernizar o país.
No entanto, no seu voluntarismo, honestidade e competência considera (ou considerava até ao dia em que foi despedido de primeiro ministro) que todos são como ele.
É por ter esse motivo que não entendo como foi tão naif que não tenha previsto o que realmente lhe aconteceu.
A minha família é da Figueira da Foz, nunca votei em partidos mas em pessoas e sempre á esquerda, pelo que para a CMLisboa votei no Pedro.
Em minha opinião o PSD não tem razão para existir uma vez que é uma confusão não só de pessoas mas principalmente de convicções, com uma mistura de Democratas Cristãos, Populares, Liberais e Social Democratas/Socialistas.