terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Tratado de Lisboa

Entrada em vigor do Tratado de Lisboa. Uma data a assinalar. Mais uma vez, cabe felicitar Durão Barroso, José Sócrates, Luís Amado e a Diplomacia Portuguesa, (com um destaque particular para o tão discreto quanto eficiente Nuno Brito).

10 comentários:

José Carlos Silva disse...

Algo de imprevisível está para acontecer! Será que chegamos ao limite das nossas capacidades? Será que o poder, a ganância, é assim tão forte que vai acabar por nos destruir? Terá chegado o momento da natureza fazer a sua selecção natural? Será que estamos assim tão “cegos” que já não conseguimos ver os sinais que estão a degradar a vida humana? Estaremos nós no princípio do fim? Para continuarmos a viver num mundo de mentira e de ganância, digo-vos que mais vale acabar com tudo isto de uma vez por todas! Este é o meu sentimento. Como Ser humano tenho vergonha de fazer parte dum mundo onde o que conta é apenas eu e só eu. Então para que servem os outros? Os explorados que só servem para nos sustentar! Façam-mos alguma coisa, antes que nos aconteça algo mais! O Natal começa e numca acaba. Não se esqueçam disto! A solução para os problemas poderão estar aqui! Certamente que estarão (...)não é verdade!!!

ATRIBUTOS disse...

E sobre isto, também penso, assim:

http://atributos-1.blogspot.com/2009/12/1-de-dezembro-como-passar-chamar-se-o.html

Cumprimentos

José Magalhães

ATRIBUTOS disse...

E sobre isto, também penso, assim:

http://atributos-1.blogspot.com/2009/12/1-de-dezembro-como-passar-chamar-se-o.html

Cumprimentos

José Magalhães

Anónimo disse...

Dr. Santana Lopes,

Independentemente das "parabenizações"(imagino que já devem constar do novo acordo ortográfico) este tratado não foi referendado. E, num caso em que foi referendado, foi chumbado.
Também não foi discutido cabalmente nem sequer explicado de forma clara e simples ao comum do cidadão, o tal que vota.
Como alguém me disse um dia" a memória é o maior auxiliar da justiça"

M.C.

silva disse...

Custa-me assistir a uma manobra de publicidade e marketing turistico de promoção do país, como se fosse de facto importante ter o nome de Lisboa.
Infelizmente com tantos palácios maravilhosos, até com a possibilidade e motivos para fazer a cerimónia no Castelo de São Jorge preferiu-se uma cerimónia numa estupida tenda (provavelmente aquela que serviu o Rock'in Rio no parque da Bela Vista), com projecção bacouca na Torre de Belém, não sabemos valorizar as nossas jóias com boa iluminação.

Quanto ao Tratado de Lisboa, tenho sérias dúvidas quanto a sua eficácia. Enquanto a Europa não promover os valores, as tradições e cultura dos seus diferentes povos não vai a lado nenhum, valorizar exclusivamente as trocas comerciais, promovendo uma economia única após a primeira crise do mundo global revela não terem aprendido nada.
O futuro dirá quem tinham razão, entretanto e para já após a crise está 0-1 ao intervalo, a ver vamos se alguém marca na segunda parte!?

Dina disse...

Caro Dr. Pedro
Concordo plenamente , que estão todos de Parabéns !
Demonstramos também que somos óptimos organizadores de eventos (Cimeira Ibero-Americana) e até conseguimos simular tribunal arbitral reunindo consensos inesperados numa «dança» de »golpes de rins» e «saidas de cena». Notável de facto !
No entanto estou um pouco confusa com as poucas palavras de Ramalho Eanes , quando disse que o Tratado de Lisboa terá ficado aquém das espectativas... O que é que ele quererá dizer com isto ?

Mariz disse...

Esqueceu-se do nosso amigo Zé Bouza Serrano....

Abraço meu
Mariz

Anónimo disse...

Sr Dr Pedro Santana Lopes

Pela parte que me toca, não parabenizo ninguém, que a palavra não é Portuguesa, e o acordo ortográfico é uma aberração.
Tal como o Tratado e a Malfadada Carta de Direitos da União, que afinal no Ponto 2- Direito à Vida, não é ela que está em vigor, mas a outra, a do Direito à Morte.

Aqui, sinto como o Comentador José Carlos Silva, e apoio M.C. na questão do Referendo, ou melhor da ausência dele.~
Nenhuma Assembleia seja da República seja do que for, tem poderes para abdicar da Nacionallidade em nome de toda um Povo.

Esta manobra, feita à revelia dos Povos da Europa, e a favor de um grupo de Tecnocratas de duvidosa extracção, será um dia paga.

E os Miguéis de Vasconcelos que nos traíram pagarão caro essa traição.

Cumprimentos

M. F.

Anónimo disse...

Comentador MF:

A "parabenização" era exactamente isso, não percebeu a "chalaça". Esta minha mania de falar por "chalaças"...o acordo ortográfico tanto que é uma aberração que ninguém lhe liga nenhuma. É que nem na escola das criancinhas os professores lhe ligam pevide E fazem eles muito bem.
Até o Saramago, invento de jangadas já disse alto e bom som que não muda nada.
Agora esta coisa do "tramado de Lisboa" (outra chalaça) é que pode mudar algumas coisinhas. Não sei se para melhor se para pior, sei que à revelia e isso não é bom.
Os politicos não percebem uma coisa fundamental:tudo isto é muito bonito, mas só existe enquanto as pessoas quiserem. A Europa tem que servir os cidadãos e não os cidadãos servirem a Europa.O referendo do "tramado", na Irlanda foi claro: chumbou-o! O resto, são manobras de diversão.
Esperemos para ver...


M.C.

Anónimo disse...

Não partilho dessa alegria, pelo contrário, a minha intuição diz-m que mais uma vez fomos enganados. Dei-me ao trabalho de ler aquela "xarada" do Tratado, imprimi-o a partir da internet, informei-m dentro do possivel e não me convenceu. O tempo dirá...A propósito, não se conhece nenhuma versão integral do tratado, porque será?
Manuel Silva,
Ota