quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Inacreditável

Acabei de ver a reportagem da SIC sobbre a primeira noite dos comícios com música programados pela Câmara de agora até 11 de Outubro, dia das eleições autárquicas. Custo: 1,9 milhões de euros, com IVA.
A reportagem fala nessa coincidência temporal... Mas logo põe Maria do Céu Guerra a dizer que isso demonstra a preocupação política do candidato socialista com o Parque Mayer!... Não é brincadeira. Foi mesmo assim.

E de onde vem o dinheiro? Ninguém quer saber? Ninguém? Então, tanta indignação com dois milhões pagos por estudo e maqueta a um dos melhores arquitectos do Mundo - e para obra - , e agora esta "eleitoralada" não incomoda os indignados? De onde vem o dinheiro? De onde? Não sabem?

Quem se queixa de que não tinha dinheiro para casas no Castelo, gasta mais aqui do que era preciso para evitar que essas obras tivessem parado.

8 comentários:

Hugo Correia disse...

Que chegue rapidamente as eleições para que tudo isto passe a ser só um mau sonho. Infelizmente é assim, não há vergonha. Só nos resta aguardar.

Um abraço

Maria CÉU gARCIA disse...

1,9 Milhões de Euros...preocupação politica do Candidato com o Parque Mayer...é preciso não ter Vergonha Nenhuma...acho um Escândalo e os Srs jornalistas deviam estar mais atentos ao que são factos políticos...quem anda de porta em porta a pedir para ajudar os pobres deste país sabe o real valor de 1 Euro...mas não se preocupe Dr Santana Lopes..as eleições estão aí...e como diz o povo "Cá se fazem e...". Obrigado por estar atento por Lisboa e com Lisboa

são c. disse...

Não se preocupe, Pedro, é a hipocrisia no seu melhor...e a crescer até às eleições... :(

Manuel Carmo Meirelles disse...

De onde vem o dinheiro? Boa pergunta.Esses gastos supérfluos agora já não preocupam ninguém. Para quem tanto se queixou que não tinha dinheiro, agora que o tem, devia utilizá-lo melhor, em obras e não em propaganda.
Eu já tinha avisado que o homem é um verdadeiro artista e que à falta de obra para poder convencer os lisboetas, não olha a gastos para conquistar votos. Afinal, não gastou dinheiro em obras mas anda a gastá-lo em propaganda em benefício próprio, sem qualquer pudor pelas acusações que tem feito ao adversário por ter endividado a Câmara mas foi dinheiro gasto a fazer obras.
Espero que os lisboetas estejam atentos à campanha que o Candidato socialista vem protagonizando. Promoções feitas pela Gebalis a propósito de tudo e de nada e o Presidente lá está; mas está também em todo o lado, a despropósito, completamente deslocado e onde não faz falta nenhuma. Esta forma de actuar vai concerteza merecer a reprovação dos lisboetas que já verificaram que o homem não tem perfil para ser Presidente de Câmara.
Eu já constatei essa inaptidão há mais de um ano, a partir do momento em que constatei que o Presidente não só se recusou a receber a Direcção de uma Associação de Moradores como não respondeu nem mandou responder a mais de três dezenas de ofícios que lhe foram dirigidos, registados e com aviso de recepção.
Só mesmo quem o não conhecer é que lhe confiará o voto.

Pedro disse...

A forma do PS fazer politica é vergonhosa. Fazem-nos querer passar por burros, mal informados e ignorantes. Como é que têm descaramento para tanto? O que me preocupa verdadeiramente é o facto de muita gente ir na cantiga porque é realmente dificil acreditar que tamanho descaramento nas tomadas de posição, no roubo de ideias, de aproveitamento politico seja de facto tudo manobras politicas. Chegamos ao vale tudo.

Anónimo disse...

Já no Porto disse a Elisa Ferreira:

O dinheiro é nosso, o dinheiro é do Estado, o dinheiro é do PS.


Ninguém ligou. Nos jornais penso que só a Helena Matos.
Lapidar.

Spartakus.

www.bandeiranegra1.wordpress.com

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes, está-se mesmo a ver de onde vem o dinheiro, vem das obras que não foram feitas, vem do dinheiro dos contribuintes que deveria ter sido aplicado e que não foi.
Esta gente anda descontrolada, não sabe o que fazer, então acham que meia dúzia de concertos no Parque Mayer, lhes vai dar alguns votos.
Em tempos de eleição é necessário deixar dinheiro para fazer arraiais, festas comícios e foguetes, para entreter o povo, só que este tipo de folclore já não pega, o povo já não vai em cantigas, o povo quer é gente que faça obra, gente que faça pela sua cidade, gente que olhe pelos seus munícipes, e esta foi gente que só olhou para o seu umbigo e que esqueceu totalmente de quem os elegeu.
Quanto ao Parque Mayer, quando vemos pessoas que estão a frente de uma Câmara a deitar fora um projecto de um dos melhores arquitectos do mundo, só porque foram encomendados pelo seu antecessor, isto tem um nome, "mediocridade"
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo

Anónimo disse...

O dinheiro veio das contrapartidas do Casino Lisboa, que tanto foi criticado pelos que agora...gastam o dinheiro...delicioso.