domingo, 23 de agosto de 2009

Entrevista ao Público

Se quiser, leia.

http://jornal.publico.clix.pt/noticia/23-08-2009/se-vencer-as-eleicoes-o-terreiro-do-paco-fica-como-estava-antes-17630909.htm

10 comentários:

Manuel Carmo Meirelles disse...

Como sempre, Santana Lopes respondeu com objectividade a todas as perguntas, deixando bem claro quais são as suas ideias para Lisboa. Santana Lopes não tem por hábito refugiar-se nas meias palavras e à medida que a campanha vai avançando, os lisboetas vão ficando completamente esclarecidos, quer através da imprensa, quer através do Blogue da candidatura, quer pessoalmente, por mail ou telefone.
Numa entrevista, o papel do entrevistador é fundamental. Se este não tiver uma boa prestação e não colocar as perguntas mais importantes e pertinentes da actualidade política, o entrevistador não vai ter oportunidade de responder e pode a entrevista não atingir os objectivos. Neste caso, foram abordados temas de interesse para a cidade e Santana Lopes esteve bem, reafirmando muitas das coisas que já tinha abordado antes.
Em termos de esclarecimentos, Santana Lopes vai muito à frente do seu principal opositor que até agora não teve grande empenhamento no esclarecimento dos cidadãos lisboetas.
Gostei da forma como respondeu às questões e apreciei fundamentalmente a coerência relativamente a posições antigas.
Parabéns e votos de grande sucesso.

JB disse...

Quando a coragem acompanha a honestidade nas pessoas, dá sempre gosto ver que o triunfo é o resultado. E fazem-nos por eles mesmo sem precisar de enganar as pessoas, de não se auto camuflar. Ainda que digam o contrário o actual Edil vive sob a bandeira do seu partido, porque ser conhecido por fazer obra, só se for a actual confusão do Terreiro do Paço. Força Dr Santana Lopes, e por favor não seja tão brando ao mostrar o que se tem feito mal em Lisboa, ou melhor o que não se tem feito, porque é nada

paula disse...

boa noite, PSL

Informei, há dias, acerca de comentários sobre o apoio de um tal Joao à sua pessoa no site do PRD.
Depois disso mtos comentários vão sendo feitos por lá.
Nota esta para o informar que esse senhor e esse blog se incomodam muito acerca da sua candidatura.
Informo-o novamente. Estarei disponível para ajudar.

Catarina Gonçalves disse...

Boa tarde Dr Pedro Santana Lopes

Sim, o Terreiro do Paço como antes, pois a criação de espaços “vazios” em centros históricos urbanos, sem vida, sem luz e sem uma componente lúdica-cultural torna estas zonas pouco atractivas e produtivas, numa cidade cosmopolita como é Lisboa. É necessária a criação de riqueza e investimento. A relação de Lisboa, neste caso o terreiro do Paço e a sua frente de água assenta em questões de sustentabilidade urbana e de coerência programática. Concordo com a gestão dos ministérios noutro ponto da cidade, podendo dar lugar a um espaço público com esplanadas, jardins de água, passeios, … e um ‘pólo’do museu da cidade.

Um Terreiro do Paço como um “lugar de sossego”.

Catarina

InêsTavares disse...

Caro Dr. Pedro S. Lopes:
como não consegui colocar este comentário no «Público», permita-me que o coloque aqui. Estive das 13:03 até às 14:25 em "aguarde". Fiz este em paralelo...
:::::::::::::::::::::::::::::::::

HÁ UM PROJECTO, HÁ IDEIAS. Aliás esta entrevista não põe em ênfase o que é mais importante e que consta do programa. Lisboa precisa de mais investimento nos seus habitantes, na sua qualidade de vida e menos em obras para dar lucro às Motas-Engis deste país. Mais cosmopolitismo não é só 'retundas', é mostrar aos miúdos de Alfama que Lisboa tem um rio e que se chama Tejo -há-os que não sabem disso!

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes a sua entrevista ao público foi bastante esclarecedora.
Tocou em bastantes pontos estratégicos para a cidade, como o Aeroporto da Portela, a nova travessia sobre o Tejo, a requalificação urbana e principalmente o terreiro-do- paço, praça com toda aquela frente de rio, que noutra cidade por essa Europa fora, já a muito que seria uma das suas ex-líbris, como uma praça de lazer, onde todos possam e devam se sentir bem e desfrutar da mesma.
Deve continuar assim com toda essa energia, informando os Lisboetas e não só, sobre o que pretende para a sua cidade, fazendo assim o que deveria ser feito por todos aqueles que nos representam, ESCLARECER.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo

Jorge Diniz disse...

Li no em PORTUGAL DOS PEQUENINOS, o POS "AS TÉNIAS".
Sobre tal POST, disse o seguinte:

Ou seja, "este Moita" é mais um...

Na verdade, concordo que "as ténias comem o alimento do hospedeiro".
Por isso, se "este Moita" fosse "(H)omem - parece ser só omem -, em coerência diria: NÃO ACEITO SER CANDIDATO PELO PSD (já agora, PPD), PELO QUE QUEM SE IDENTIFICA COM O PSD NÃO VOTE EM MIM. MELHOR, DEVIA DIZER: DESISTO DA MINHA CANDIDATURA, PORQUE NÃO QUERO QUALQUER LIGAÇÃO AO PSD DA Drª MFL. Mas não o disse, porque é omem - não é H!!!

Sandra N. Martins disse...

Entrevista bastante esclarecedora, a demonstrar as profundas diferenças existentes entre as duas candidaturas a Lisboa. A candidatura "Lisboa com Sentido" apresenta propostas concretas, cuja finalidade é promover a melhoria da qualidade de vida de quem vive e trabalha em Lisboa. E tem para a cidade uma visão estratégica, de futuro e de empreendedorismo. Visão na qual se inclui um projecto que colocará a nossa Lisboa onde ela merece: o projecto do Arq. Frank Gehry. Um projecto com sentido.

maria lisboa... disse...

Dr.Pedro
Roseta perdeu o tino e perdeu-se nas teias do partido que ela mesmo tinha e bem deixado por falta de tudo quanto há e mais...A sede de poder falou mais alto e esbarrou-se,estendeu-se ao comprido. Alegre certamente só de nome, depois de tudo o que passou estes dias com o "seu, muito dele" movimento. Deve ser de anca, porque os cidadãos já eram...
O vídeo das J's elucida bem em que se tornou Roseta. Pois Fernandes e Costa já se sabia.
http://www.youtube.com/watch?v=c60yXYBsOs0
Roseta diz um milhão de vezes que "nós não estamos disponíveis para coligações com o PS" Olhe..nós é que já não estamos disponíveis para tanta cambada de malandragem....haja um mínimo de decência e dignidade humana já que política caiu há muitos anos, dona Helena...

Antonio Fernandes Pina disse...

Exmº. Sr. Dr. Santana Lopes

Eu li a entrevista e muito sinceramente nada foi dito a favor de Lisboa e dos Lisboetas. Lamento dizê-lo mas a entrevista ao Público é demasiado pobre e sem conteúdo.

Com os melhores cumprimentos.

Assina: António Fernandes Pina