domingo, 22 de março de 2009

Porque será?

A propósito dessas palavras, repetidas, de Manuela Ferreira Leite, um exemplo recente, para reflexão.
A Distrital de Lisboa do PSD, liderada por Carlos Carreiras, emitiu, há mais de uma semana, um comunicado sobre a presença de António Costa no programa Quadratura do Círculo e o facto de ser candidato às eleições autárquicas. Lembrou os precedentes de candidatos autárquicos, como eu e Fernando Seara, em 2001, termos saído de um programa desportivo até por a Alta Autoridade para a Comunicação Social também, assim, o ter entendido. Posição política com alguma relevância, sem dúvida. Correcta, no plano dos princípios. Que é importante serem lembrados. Embora , na prática, não faça diferença que António Costa esteja no programa , pois a situação só tem algum efeito quando ataca os seus adversários eleitorais sem que estejam presentes. E, nesses casos, a atitude fala por si mesma. No resto, na prática, é indiferente. Apesar de não o ser, repito, no plano ético.
A questão está em que esse comunicado, praticamente, não foi difundido. Que regime é este, que selecciona as notícias consoante as pessoas envolvidas? Que regime é este, que trata situações iguais de modo diferente? Aliás, não são iguais um programa desportivo e um programa político.
Este é só um exemplo do que se tem passado com o PSD. Tem havido muitos e muitos continuam a existir. Por isso, também, o PSD não é ouvido. Quando acordarão algumas pessoas para esta realidade do regime que faz sentir os seus efeitos a níveis inadmissíveis?

16 comentários:

Anónimo disse...

O "Sistema" acordou.As campainhas tocaram em S.Bento e no Lg.Município e os habituais escribas de serviço começaram a "trabalhar". Sobre um determinado Congresso, nada. Agora, sobre "nada" grandes notícias no DN e no Público de hoje. Para achincalhar. O habitual...a pouca vergonha de sempre! Atá quando?

Lynce disse...

Em momentos mais complicados, o PPD/PSD soube ultrapasar essas dificuldades que refere. Não é novidade para ninguém que a comunicação social, na sua generalidade, foi tomada de assalto pelos correligionários socialistas.
Vamos ter que dar a volta à questão. Pior do que uma má decisão é não se tomar nenhuma, e, em último recurso, usaremos as mesmas armas com que esses senhores minaram todos os grandes centros de decisão, comunicação social incluida.

Sandra N. Martins disse...

Meu Caro Dr.:

Já tratou aqui várias vezes (e nunca é demais insistir) a forma pouco correcta como certos órgãos de comunicação social se têm vindo a comportar ultimamente. Exemplo paradigmático, o incrível anúncio à Antena 1 que, entretanto, já foi retirado do ar. Porém, apesar de todos os obstáculos, e mesmo mantendo o silêncio (e a CALMA), o Sr. Dr. está a conseguir ser ouvido. Está a ser ouvido pelos cidadãos de Lisboa que procuram uma alternativa conhecida e credível ao actual estado de coisas; está a ser ouvido por quem deseja a dinamização da sua cidade e a sua projecção para o futuro; está a ser ouvido pelo próprio primeiro - ministro Sócrates...que dedicou grande parte da sua intervenção na AR a falar de... Lisboa!

É que o seu silêncio está-se a agigantar, a tornar-se de tal forma ensurdecedor, que não pode deixar de ser ouvido. Toda a gente o ouve e toda a gente o comenta.

Que importam figuras geométricas como quadrados e círculos face ao gigantismo desse silêncio?

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Santana Lopes vou enviar-lhe um mail que lhe enviei a dias e que o reformulei no seu conteudo.
Um abraço
Ricardo Araújo.

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Pedro Santana Lopes já muito se escreveu aqui no seu blogue e noutros, sobre a comunicação social e qual o seu papel.
O papel da comunicação social em Portugal é o de estar de bem com o poder, pois só assim fica a ganhar.
O povo tem memória curta, mas de vez em quando é preciso avivar a sua memória, lembrando o que foi o episódio do professor Marcelo aquando da sua passagem pela TVI, isto em pleno mandato em que V. Exa. era Primeiro-Ministro, quase caíram os sinos do Carmo e da trindade.
Agora o que assistimos é o governo socialista a controlar todos os canais de televisão, como se fossem seus veículos de comunicação, olhemos para o novo programa da TVI, onde assistimos a jornalista Fernanda Câncio, a defender o governo com unhas e dentes, como se fosse uma advogada de defesa, bem como a ser arrogante com todos os demais colegas de programa, depois temos António Costa outro defensor acérrimo deste Governo, que neste momento é candidato autárquico a câmara de Lisboa, aproveitando-se de um programa para fazer campanha pela sua câmara como pelo seu partido.
Dr. Santana Lopes isto bateu no fundo, é necessário refazer a democracia, para que todos possam ter as mesmas igualdades de direitos.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.

Jorge Dinis disse...

PORQUE SERÁ?

Porque VALORES, como Honra, Dignidade, Honestidade e (sobretudo) "VERGONHA NA CARA" não fazem parte de gente como "essa gente".

Mas, apesar de tudo, o POVO É JUSTO, e saberá dar o respectivo "correctivo" a "essa gente".

joyce disse...

Dr. Pedro Santana Lopes


Pensando bem...

"Algumas pessoas vêem as coisas como são e perguntam:
"Por quê?"

Sonho com coisas que nunca existiram e pergunto:
"Por que não?"

(Bernard Shaw)

JML disse...

Aqui pode ser lida a a posição do PSD sobre a participação do Dr. António Costa, candidato a presidente da CML em programa de análise e comentário político - http://confraria-laranja.blogspot.com/2009/03/junto-aqui-posicao-do-psd-sobre.html

Francisco Azevedo Brandão disse...

A imprensa em quase todo o mundo foi sempre um «contra-poder», totalmente livre e independente dos poderes político e económico, capaz de denunciar os atropelos à lei e à ética governativa. Em Portugal, sob a égide deste governo, está de cócoras em reverência a tudo quanto dele dinama, por mais corriqueira e inútil que seja a informação. É uma triste e lamentável vassalagem de uma imprensa que já foi livre, sujeitando-se agora a ser veículo de propaganda eleitoral de um governo e de um partido à deriva e sempre a reboque das ideias dos outros, como indigentes à espera da «sopa dos pobres». Mas , Dr. Pedro Santana Lopes, não se apoquente porque a verdade vem sempre à tona da água, e como a procissão ainda vai no adro, mehores dias virão para que a imprensa abra os olhos e arrepie caminho. É minha firme convicção que a vitória final será sua para bem de Lisboa e de Portugal

Rui Rodrigues disse...

Caro dr Santana Lopes:
Há coisas que tem de ser ditas.
Uma delas é que esse poleiro em que o dr Costa faz propaganda despudorada á sua (não) acção como presidente de câmara de Lisboa foi-lhe arranjado pelo Pacheco Pereira e pelo Lobo Xavier(mas esse não interessa para aqui)quando o Jorge Coelho saiu.
E o sr Pacheco Pereira sabendo que o Dr Costa era presidente e recandidato escolheu-o para o lugar.
Quis lá saber do PSD,quis lá saber da Câmara de Lisboa,só lhe importou meter lá o amigo.
E essa deve ser a verdaeira razão porque não mudou o recenseamento eleitoral;para poder votar no "irmão" Costa.
Até apostava...

Pereira disse...

De facto a comunicação social Portuguesa anda de mal a pior talvez porque foi atingida por um virus chamado poder.
Mas para haver uma maior transparência porque não propõe V.Exas que programs televisivos desta natureza tenham representantes dos 4 maiores Partidos com assento na Assembleia da Républica?
Não acha que o POVO Português já atingiu a maioridade da democracia e sabe ler e ouvir a opinião de cada qual?
Bem sei que me dirá que não interfere na linha editorial de cada uma das estações televisivas ou das rádios, mas penso que a si Srº Drº o ouvirão a mim é que não pela certa.
Lanço-lhe daqui este desafio democrático.
Sempre a considerá-lo

Anónimo disse...

O Seara não vai ser candidato a nenhuma Câmara?
E não está em nenhum programa na televisão?

Anónimo disse...

Tenho reflectido ao longo do mandato deste desgoverno do preclaro Engº José Sócrates, e tenho aqui deixado a minha humilde opinião que o meu amigo faz o favor de publicar, dando voz assim a alguns dos meus pensamentos.
Digo-lhe sinceramente, nunca vi tamanha e despudorada vergonha como a que se passa neste momento neste país.
Hoje, se alguma dúvida tinha, estou convencido da acção criminosa de lesa democracia do Exmo Dr Jorge Sampaio e respectivos amigos do golfe de uma estratégia concertada de erradicação do governo que o Pedro presidiu. Hoje, escutando o ensurdecedor silêncio das personalidades políticas e jornalistas deste país perante o que se passa à frente deles, só me posso convencer da urdidura de contornos repugnantes.
Imagine os casos que vão comendo o regime como térmitas, serem protagonizados por si?
Imagine se o Magalhães, o Freeport,a Cova da Beira, as offshores a ERC, o BPN e o BPP, a negociata da Energia Solar, a negociata das Minas de Aljustrel e mais as inúmeras infâmias de lesa estado fossem sequer, insinuadas consigo como PM?
Imagine que mesmo com o país à beira do colapso e da intervenção do FMI, o senhor professor da boa moeda,não escreve nenhum artigo para correr com a má moeda?
É triste não é? É Portugal.
E insistem estes asnos falidos pela ganância e que perderam tudo, nos negócios de usurários do regime de oportunidades só para alguns mais os asnos que nos roubam todos os dias do alto das reformas que premeiam a mediocridade e o lazer com que se serviram do estado e dos nossos impostos, que só uma maioria absoluta poderá salvar o país.
Acredite quem quiser nestas almas penadas que passam pela vida, roubando aos outros a vida, servindo-se como hienas dos moribundos e roubando tudo aos pobres e remediados para pôr nas mãos dos amigos de oportunidade e conveniência.
Não precisamos de maioria absoluta nenhuma para sermos honestos.Não precisamos de maioria absoluta nenhuma para ajudarmos o nosso semelhante. Não precisamos de maioria absoluta nenhuma para sermos justos. Não precisamos de maioria absoluta nenhuma para dar o exemplo.
Este governo, este presidente, não dão o exemplo. Desgraçam todos os dias os portugueses, sobretudo aqueles que não dependem do estado, nem lhe bebem nas margens do prato, mas contribuem para o lauto banquete destes vampiros com impostos exacerbados e políticas proto fascistas de controlo dos cidadãos. Oxalá, alguém venha por nós, porque o desvario da aleitação comunitária termina em 2013 se não for antes com a total "septicémia" do sistema económico-social mundial.

Um abraço e lembre-se que vão fazer de tudo para o descredibilizar. Vai valer tudo.
Só não deitam o túnel do Marquês abaixo uns dias antes porque deve dar muito nas vistas. Mas...nunca se sabe.
Vista o seu melhor equipamento de guerra civil. Eles sabem quanto você vale e têm medo de si, por isso com ar de quem o menoriza estão sempre a conspirar.
Já agora, diga lá aos "attaché de bidelberg" da SIC como o Ricardo Costa que já é tempo de deixar de falar do Governo Santana Lopes e do Santana Lopes por tudo e por nada. Já chateia. Ele tem muita coisa para investigar em Portugal se quiser ser um jornalista a sério e trabalhar, claro. Por exemplo o destino do dinheiro do patrão e as rendeiras de bilro da alta finança portuguesa.

Ernesto Sousa

Jorge Cabral disse...

Caro Pedro,
A minha simpatia na verdadeira Social Democracia não é dissociável da crítica pertinente e atenta, inclusivé, às acções que considero reprováveis dos sociais democratas.
A actual Presidente do PSD foi quem gerou o imposto mais injusto que até hoje existe, o Pagamento Especial por Conta. Está provado que este imposto, a par do seu percursor, são máscaras de roubos escancarados, constituindo a mais gritante prova da falta de dimensão de estadista da Dra.Ferreira Leite.
Não deve ela agora queixar-se de que a não ouvem, eu diria mais, ninguém a quer ouvir, e provavelmente também a quererão ver o menos possível.
Julgo todavia que poderia redimir-se se viesse a público admitir esse gritante erro, comprometendo-se em corrigi-lo. Enquanto o não fizer, dificilmente será considerada como alguém em quem possa confiar-se. E não se ouve quem não nos dê confiança - em política isso é imprescindível.
Lamento a derrota que o PSD haverá de ter nestas próximas eleições se a sua Presidente não vier muito claramente assumir um rumo diametralmente oposto àquele que tomou quando ocupou o Governo.
É claro que haverá sempre quem não discuta estes aspectos e seja fiel ao Partido, mas infelizmente esses não serão suficientes para se atingir a vitória, com muita pena da de muitos outros, onde me incluo.
Por isso esta lamuria soa-me a patética e a alguém que ainda não percebeu que a essência da política reside na competência associada à confiança.

ICE disse...

Denuncie sem queixume.
Queremos líderes fortes; razões que se impõem sem artifícios; vozes que se congregam pelo sentido de justiça mais do que pelo amparo dos fracos e injustiçados. Seja mais guerreiro do que menino.

Flor do Vale disse...

É importante fazer a exposição deste facto e já agora, de importância também ler o comunicado feito pelo Dr. Carlos Carreiras. Sobre esta questão, dar uma vista de olhos ao post do João Mota Lopes no blog Confraria Laranja (que o próprio já aqui referiu) ajudará a conhecer melhor a posição do PSD / Lisboa.
Pela ética e pela transparência!