domingo, 11 de janeiro de 2009

Distracções

Cada vez que sai uma notícia, de um certo tipo, a "central de manipulação" responde, quase automaticamente, atacando outros. Para distrair. Ainda me lembro da anterior...

9 comentários:

António disse...

Curioso é o vai-vém do caso Freeport ao sabor da aproximação dos calendários eleitorais.

Curioso é também observar como «O Público» faz uso desse vai-vém.

Lynce disse...

Penso que se está a referir aos Estatutos dos Açores...mas há muitas mais. Aliás, este (des)governo é pródigo em desvios de atenções. Sempre que uma má notícia sobre a governação, está para sair, aí estão eles no seu melhor, a fazer aquilo que realmente sabem: procurar imbróglios seja lá com quem for.

Anónimo disse...

A forma como a comunicação social vem sendo pressionada ultimamente no nosso país é, de facto, impressionante. Com o responsável máximo da ERC a impor até, ao Jornal Expresso, o afastamento de um jornalista de uma entrevista que concedeu a este semanário.

Quanto ao mais, concordo plenamente consigo: a calma é, neste momento, fundamental. Mas é impossível não nos indignarmos! Só quem não tem argumentos recorre a estes ataques vis!

Um abraço,

SN

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes isto tudo faz lembrar o tempo da outra senhora, mas com uma diferença, no tempo da outra senhora só saíam as notícias que interessavam, agora sai nos jornais, mas aparece sempre alguém a desvirtua-las, antigamente chamava-se censura, agora chama-se rasura.
Mudou o estilo mas a finalidade manteve-se
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.

Joao disse...

Vejamos os critérios adoptados:
Linha 24 funcionamento uma vergonha os enfermeiros são despedidos mas a ministra elogia o seu trabalho. Aumentos da gasolina não havia consertação de preços (inclusivé o governo accionista de uma gasolineira nad podia fazer) diz a Autoridade da Concorrência mas no caso da industria panificadora já existia concertação de preços e toma lá a multa. E há mais casos Freeport, Liscont e os os contentores, as adjudicações directas das obras publicas até 5,1 milhões etc. etc. Voltamos ao tempo dos jobs for de boys e o "cigano" sou eu. Conheço caso de tributação de imposto trabalho por conta d'outrem a pessoa emigrada desde 2001 e tem que o pagar se não quer os seus bens penhorados. A resposta do fncionário foi que ele também pagava os seus impostos. Somos tributados mesmo pelo que não devemos. Comprem viaturas electricas, amigas do ambiente e façam uma viagem até ao Porto para ver o que custa, esquecem-se de referir a autonomia das mesmas. Estamos a ajudar o sector automovel. Em contrapartida para os bancos tudo. O buracão do BPN aparentemente não é só de 750 milhões mas bem maior. Portugueses invistam no BPN é seguro porque NÓS o ESTADO assumimos o buraco dos outros.
Gestores com ordenados milionários mesmo não exercendo funções isso também eu queria porque não. A constituição de Portugal diz que todos somos iguais mas a constituição do nosso PM diz que uns são mais iguais que outros.
Onde anda a oposição? Estar calado às vezes não é o melhor remédio. Quero acreditar que o país ainda tem solução e existem politicos capazes para resolver tanta incompetencia junta. CONTO CONSIGO.

lisboeta disse...

A esperteza à portuguesa

Pois, chegam ao ponto de distrair a "malta", com o muro de contentores. Quando no fundo queriam viabilizar o terminal na Trafaria.
Mas agora com o aval dos lisboetas!
É assim que se fazem negócios em Portugal.Esquecem estes senhores que há portugueses que não dormem. Este tipo de manipulações é absolutamente vergonhoso pois não são os interesses do meu país que estão a ser desenvolvidos, mas sim interesses privados. Com a conivência de quem faz os planos estratégicos.

Betâmio de Almeida disse...

O primeiro-ministro utilizou o debate quinzenal entre Governo e deputados na Assembleia da República para fazer novos anúncios para a área da Saúde. José Sócrates anunciou a criação do primeiro banco público de células umbilicais e o aumento da rede de cuidados continuados.

Meus caros, isto agora vai ser assim até ás legislativas... Grandes "anúncios" em cada intervenção do PM só para Inglês ver...

Cá estaremos para ver se assim não é...

Rui de Brito disse...

Quanto à CALMA, estou de acordo. Siga a sua intuição.

Anónimo disse...

Dr. Pedro Santana Lopes, eu não sou do seu partido. PPD/PSD, eu fico um pouco mais para a direita.
Mas sempre votei na sua candidatura a Lisboa, e desta vez assim o farei se Deus quizer.
E farei com que amigos/as meus tambem o faça, vou fazer de formiguinha para que possamos viver em sossego nesta Lisboa, e que Lisboa tenha mais brilho.
Os meus cumprimentos
C.B.