quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Melhor


Gordon Brown e Alistair Darling apresentaram, hoje de manhã, o plano Inglês para estabilização do sistema financeiro. Pareceu-me o mais conseguido de todos os processos de intervenção que até agora foram conhecidos. Na prática, representa uma nacionalização parcial e a prazo. Ninguém, ou quase ninguém, defende , no Mundo de hoje, o caminho das nacionalizações. Mas, como explicaram o Primeiro-Ministro Brown e o seu Lord Chancelor , deste modo, afigura-se como a solução mais prudente e mais eficaz. Não há só empréstimo aos bancos do dinheiro dos contribuintes, mas, antes, compras de posições accionistas que serão de novo vendidas quando a situação normalizar.
Parece tudo mais claro e mais seguro, deste modo, para os mercados e para os agentes económicos.

15 comentários:

Jorge Dinis disse...

CONCORDO, EM TESE, CONSIGO.
No entanto permita-me que lhe diga o seguinte:
Em qualquer plano de estabilização (sobretudo financeiro) o que é primordial prende-se COM A CONFIANÇA, CREDIBILDADE. Ou seja, as pessoas têm de acreditar na BONDADE (leia-se sinceridade) dos seua mentores. Assim sendo, para eu acreditar nesse plano TÊM DE ME DIZER O QUE FARÃO AOS RESPONSÁVIES (i.é os que lucraram com a crise), QUAL O PREÇO QUE PAGARÃO?
SEM ISSO, NÃO ACREDITO EM NENHUM PLANO. MAIS AINDA, SEM OUVIR DE OUTROS POLÍTICOS ALGO SOBRE ISTO, Não seise poderei ter CONFIANÇA.

Hernani Caroço disse...

até poderão constituir, a longo prazo, bons negócios para os estados. Mas terão eles unhas para estas guitarras?

Miguel Vaz Serra disse...

Dr.Santana Lopes
Tem razão quando diz que eles "parecem" ser os mais objectivos,mas eu não me esqueço quem era o Ministro das Finanças no tempo de Blair,quando andaram décadas atrás da economia LIBERAL ( e "bota" liberal nisso )Norte Americana.Ou seja que ele Brown fez a mesma política económica que anda agora a limpar.Mas lá como cá a oposição existe e para isso estão,para fazer um contra-governo sólido,construtivo e clarividente.No reino unido até têm um governo de "sombra" e cada um deles fala da sua especialidade.Tal e qual como cá...Hoje vi parte da peixeirada do AB ( Assembleia do Bulhão ).Tenho que dar os Parabéns ao PM.Não pela eficácia,não pela inteligência,não pela honestidade,não pela verdade dos factos,não pela dignidade,não pela boa vontade,não pela democracia plena exercida,não pela disponibilidade moral e política de ajudar a quem realmente precisa,não pela boa saúde económica do País.....mas pela forma como em 3 anos aniquilou a oposição.Os média TODOS trabalham em uníssono para este Governo de uma forma que nem nos melhores tempos do estado novo.As pressões valeram a pena,as entidades reguladoras são totalmente reguladas,e passo o pleonasmo,pelo estado,portanto está tudo sob controlo á boa maneira antidemocrática.Aí Manuela Ferreira Leite tem razão.
Vi horrorizado como um PCP moribundo,alucinando naquelas ideias completamente mortas, enterradas e esquecidas pelo MUNDO, faz portanto uma oposição cómica em que o PM ri e com toda a razão,eu acho que nem era capaz de responder ao estar no chão a contorcer-me.Um bloco de esquerda reaccionário,passado de moda,com um "sacerdote" a moralizar tudo e todos ( só não pagou foi os 4 milhões de euros á CML pelo atraso provocado no melhor túnel jamais feito em Lisboa,o do Marquês ),um CDS populista em que já nem o Dr.Portas acredita,e digo-o com uma mágoa muito grande,e um PPD-psd mudo,sem agressividade alguma,sem vontade de nada,sem objectivos de momento...e o momento é tão importante...Portanto e com o maior pesar,dou os parabéns a José Sousa,o nosso tão .......diferente de tudo jamais viso...Primeiro Ministro.

inquieta disse...

Cada um tem o que merece. Os ingleses têm Alistair Darling e nós Teixeira dos Santos. Darling falou objectivamente para anunciar um plano de 'resgate financeiro', que prevê uma injeção de liquidez no montante de 360 bilhões de dólares para apoiar o sector bancário. Teixeira dos Santos falou na reunião do Eurogrupo 'assegurando' a liquidez dos bancos que operam em Portugal sem plano nenhum. 'Cachun à ça place'...

Saudações inquietantes

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Pedro Santana Lopes aqui esta uma solução que merece o apoio de todos, ou seja não se empresta dinheiro a quem faz asneiras, mas pelo contrário compra--se as posições de maneira a garantir o bom funcionamento das instituições.
Agora no fim destas nacionalizações só falta responsabilizar os culpados e puni-los com penas bem severas de maneira a demonstrar a todos que as asneiras não saem impunes.
Agora só falta chegar a conclusão que o que é estatal afinal é melhor do que o privado.
Dr. Pedro é tempo de olharmos para estas consequências e tirar as devidas ilações, não deixando que se privatize os principais pontos estratégicos de um País, como por ex. Águas, EDP, Gás, Combustíveis, Banca, etc.
Não podem ser os contribuintes a pagar sempre as asneiras destes novos gestores, nem podemos pagar ordenados fabulosos a esses gestores quando as coisas correm bem e quando correm mal ninguém os chama a coacção.
Um grande abraço, atenciosamente.
Ricardo Araújo.

David do Nascimento Moreira disse...

Eu bem avisei num comentário que fiz anteriormente que no fim de Setembro a crise ia-se tornar muito visivel...

A Crise é verdadeira ou é falsa ? Penso que é as duas coisas.

Apesar de não saber muito bem como é que estas coisas funcionam, acho que posso colocar a seguinte questão:

mas como é que o dinheiro desaparece??


Bem, o dinheiro uma vez criado não se destroi, a não ser que hajam pessoas que queimem notas ou enterrem moedas...

Uma vez que a população aumenta é preciso mais dinheiro a circular nos mercados, mas o que eu acho que acontece é que existem "sugadores" de dinheiro, isto é, pessoas às quais o dinheiro vai todo ter... Um bom exemplo disso são os donos das grandes multinacionais.

Outros exemplos serão os mercados paralelos, deve haver muito dinheiro nos mercados paralelos, com o tráfico de drogas, fugas ao fisco, etc. dinheiro este que acaba sempre por entrar no mercado normal, pelo menos uma boa parte... por exemplo um traficante de droga gosta de ter um bom carro e vai ter de pagar o carro, a não ser que o trafique ou roube, mas mesmo assim a empresa que fabricou o carro teve de pagar a matéria prima e a mão-de-obra, ou seja, o valor real do carro sem lucros...

Mas o dinheio anda aí. De um lado para o outro, poisando na conta deste ou daquele, amontoando-se nas furtunas desta ou daquela pessoa multimilionária.

Estas pessoas multimilionárias emprestam o dinheiro a juros, alguns, outros investem na bolsa, outros querem apenas ficar com as contas churudas e não investem porque já não há garantias de rentabilidade. O dinheiro fica do lado de lá, deixa de existir, deixa de estar disponível.


Enfim... Mas há dinheiro. Se não houvesse dinheiro era mau sinal, queria dizer que já não haviam árvores para produzir papel, sim porque o dinheiro é o ser humano que o produz, não é obra de nenhum extraterrestre, portanto só estamos em crise porque queremos, porque a população mundial também está a estagnar, porque não há crescimento económico, porque está-se a explorar em demasia os recursos ambientais, não podemos estar sempre a crescer! e portanto estamos num periodo de abrandamento económico...

Por outro ponto de vista, se não houvesse dinheiro como é que o estado injectava dinheiro?


Por isso eu acho que esta crise financeira é uma farsa, mas ao mesmo tempo está a acontecer e, a meu ver, o objectivo dela será a implementação de uma economia global, única, como se o mundo fosse um só pais, uma só moeda, um só governo, e isto vai acontecer com a desculpa que será melhor, porque não voltarão a surgir destas crises financeiras desse modo, mas eu acho que vai ser bem pior, tanto para a economia como para os cidadãos, estes seres humanos que habitam a terra...

abraço Dr. Pedro

Anónimo disse...

Dr.Santana Lopes
Porque não comentar a situação dos portugueses. Onde está a coragem politica que se lhe conhece?
Os portugueses sufocam com esta situação onde familias inteiras passam mal por causa dos "roubos" que são praticados (aumento dos combustiveis quando o petroleo baixa, aumento da Euribor quando o BCE baixa a taxa de referência, etc.) Aparentemente o unico politico que ainda tem a coragem para ser gual a ele mesmo é o Dr. Alberto Joao. Sei que a sua situação na politica não é a mais confortável mas penso que se voltar a ser o politico em que muitos acreditam talvez as coisas tomem novo rumo. Onde está a oposição em Portugal?

Miguel Vaz Serra disse...

Dr.Santana Lopes
Melhor é o preço do Petróleo.A queda tem sido diária,já nem 80 euros custa,está a qualquer coisa como 78 dólares o barril.O amigo Chavez enganou-se,dizia que nunca baixaria dos 100,que o tempo do Petróleo barato tinha acabado.Todos os média Portugueses que vivem da especulação,notícias extravagantes e tendenciosas,alarmantes e que têm o poder nefasto e perigoso de desmoralizar o povo que perde a confiança dia a dia,também eles faziam capa de jornais,revistas e notícia de abertura dos Telejornais quando o Petróleo subia 2 o 3 dólares.Ajudando o Governo e a GALP a subirem logo depois da meia noite a gasolina e gasóleo.Agora desce 10 dólares em 2 dias e ninguém fala nisso.A GALP não baixa,mas ainda sobe os preços.Mais que escandaloso é nojento o comportamento da GALP com a bênção do PM...isso é que é mesmo escandaloso.Escandalosa também a votação das "vizinhas" hoje na AR.Porquê?Porque só as vizinhas dizem mal das preferências sexuais das filhas ou filhos das pessoas do prédio,mas depois têm elas filhos e filhas que optaram por relações com pessoas do mesmo sexo,são amigos deles,recebem-nos bem em casa,aliás como deve ser,mas de cara á sociedade são homofóbicas."O que é que os vizinhos ou a família pensariam disto meu Deus!!!Essas votariam não a uma coisa que em consciência votariam sim.Por isso ser o voto das "vizinhas".Lamentável em pessoas de bem,inteligentes e deputados de uma Democracia com mais de 3 décadas em pleno Séc XXI.
Mas há mais.Ontem ficámos a saber que o PM "irrita" Pacheco Pereira.Como já tem quem ele queria na Presidencia do PPD e assim não tem ninguêm do partido para o irritar,agora finalmente irrita-se com o Senhor Pinto de Sousa.Disse na televisão estar muito irritado com a arrogância anti-democrata do PM...e das políticas pouco claras,económicas e contratais de certas empresas,"amiguismos" etc..Tardou 3 anos em ver isso?Fraco comentador então...Também ficámos a saber que António Costa não gosta dos Alemães.São arrogantes e tem a mania que sabem sempre tudo e têm complexo de superioridade,disse.Criticou inclusivé a PM alemã por ser precisamente assim.
Alemão turista de Lisboa:cuidado que o "Alcalde" da Capital não gosta da vossa "raça".E eu que cantei tantas vezes com uma grande amiga minha que andou na escola alemã,as músicas da Nina Hagen em Sesimbra.Sempre pensei que eles eram tão bons ou tão maus como os Portugas.Afinal somos muito melhores,tão bons que a crise não chega aos nossos Bancos ( ainda bem )e o nosso Senhor Sousa,PM,anda tão contente que de Norte a Sul do País faz campanha eleitoral com um ano de avanço a distribuir Computadores, ás crianças, de uma Empresa que deve dinheiro ao Estado e está metida em tribunal por isso mesmo mas que tem as melhores relações comerciais com o mesmo!!!6ª feira negra,bolsa a cair em todo o Mundo,Moscovo e Viena tiveram mesmo que fechar para travar o descalabro..mas..mas ali ao lado andava o BUS da selecção portuguesa com os Ronaldos da vida ( esses sim não precisam pensar....) e o povo todo na rua a gritar e a tirar fotografias...Nada como o Football para fazer esquecer que estamos á beira da ruína planetária e que temos o pior Governo que esta nação jamais viu desde 1908...O melhor..então,no seu melhor....................

Jorge Dinis disse...

Os gestores da AIG, ao que li e ouvi, depois de saberem que o Governo "injectou" 85 milhões na empresa, "reuniram" num resort de luxo, na Califórnia, para "meditarem.
O preço dessa "reunião/meditação" foi (ao que li e ouvi) de 440.000 Dólares, e no progarama dessa "reunião" jantares cujo preço mínimo foi de 300 dólares e tratamento de manícure e pedicure.
PERCEBE AGORA QUANDO DIGO: PRIMEIRO RESPONSABILIZEM ESSES (porque são de lé) E ESTES (porque são de cá) GESTORES (leia-se também políticos a eles ligados)PROFISSIONAIS, fazendo com que PAGUEM E, EM SEGUIDA, SERÁ (como consequênia) INSTAURADA A CONFIANÇA.
ASSIM É QUE NÃO.

Jorge Dinis disse...

Li o comentário de Miguel Vaz Serra.
Tenho de lhe apresentar os meus mais sinceros elogios pela forma como desnuda o "Ministério da Propaganda" engendrado e montado pelo noso Primeiro Ministro.
Não posso estar mais de acordo com:
"...os média TODOS trabalham em uníssono para este Governo de uma forma que nem nos melhores tempos do estado novo.As pressões valeram a pena,as entidades reguladoras são totalmente reguladas,e passo o pleonasmo,pelo estado,portanto está tudo sob controlo á boa maneira antidemocrática."

PARABÉNS pela análise feita ao Engº José Socrates: "Não pela eficácia,não pela inteligência,não pela honestidade,não pela verdade dos factos,não pela dignidade,não pela boa vontade,não pela democracia plena exercida,não pela disponibilidade moral e política de ajudar a quem realmente precisa,não pela boa saúde económica do País.....mas pela forma como em 3 anos aniquilou a oposição."

Aliás, não foi para isso que hà 3 anos votei no P.S. (leia-se Engº José Socrates).
Hoje sei que fui enganado, mas TEREI OPORTUNIDADE DE CORRIGIR ISSO (eu e muitos outros).

joyce disse...

Dr. Pedro Santana Lopes


Simon Heffer, o ultraliberal colunista do jornal britânico "The Daily Telegraph", disparou ontem todos os sinais de alarme depois do pacote do primeiro-ministro Gordon Brown de socorro e semi-estatização dos bancos:

"Todos somos socialistas agora", começou, em artigo de página inteira. E fechou: "A intervenção, ou melhor, interferência, do Estado em assuntos financeiros e econômicos só pode levar à esclerose, à supressão da livre empresa, ao aumento dos impostos, à inanição em investimentos, à falta de inovação, ao atraso tecnológico e ao aumento do poder do trabalho organizado".

Viva o socialismo globalizado, para salvar o Mundo da crise.

Francisco S. Arruda disse...

Dr. Pedro santana Lopes

A actual situação Portuguesa também deve merecer um post seu.
E para quando falar da avaliação dos professores?
Já reparei que tem nos favoritos, o "tempo de teia", da Teresa Marques. Dê uma vista de olhos também pelo "A educação do meu umbigo" .
Talvez alguns Portugueses desejassem saber qual a posição do PSD em relação ao assunto. É que ainda nada foi dito pela Dra. Manuela Ferreira Leite.

Bem haja
Francisco S. Arruda

"Andava a evitar tocar no assunto que me consome, a (des)avaliação docente, mas é mais forte que eu... A pressão que este "modelo" exerce sobre nós, professores, obrigando-nos a assumir onus de realidades que nos transcendem, valorizando cargos em detrimento de competências científicas, técnicas e pedagógicas, incentivando reacções de melindre entre colegas e, baseando-se em documentos demagógicos que apenas visam o protagonismo de actores políticos (com vista a angariar militância junto de uma opinião pública alheia à verdadeira realidade escolar), ESTÁ A DAR CABO DE MIM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O que se passa não é mais que uma estratégia de interiorização de obediência, levando os professores, por natureza cumpridores, a uma servidão cega (já no "Admirável Mundo Novo" se falava algo do género... robotizar mentes, fabricar mão de obra, dominar, esmagar, etc etc etc...).
Vejo-me hoje num sítio que não é o meu. A Escola existe como veículo de Ensinar, Formar e Educar, e não como meio burocratizante que demite os professores daquilo a que se propuseram e dedicaram incondicionalmente ao longo da suas carreiras até hoje.
É URGENTE parar! E que pela primeira vez, na história da carreira docente se ouçam a vozes dos professores dizerem: NÃO FAÇO!!!!!!!!!!!!!!!!!"

http://www.sempalavrasinterditas.blogspot.com/

Kruzes Kanhoto disse...

Será que um dia os bancos agora nacionalizados vão distribuir dividendos pelos accionistas (contribuintes)?!

GMV disse...

Dr. Pedro Santana Lopes,

no meio de tantas notícias pessimistas e análises realistas, de crises mundiais e de ditaduras nacionais disfarçadas, hoje, pela manhã, ouvi uma que me deu uma grande satisfação.

Se for mesmo verdade, se o canditado do PSD à Câmara de Lisboa for o senhor, queria dizer-lhe que o meu simples voto, mais uma vez, já é seu.

Com a maior admiração.

AP disse...

O sucesso de qualquer plano, creio eu, passa mais pelas intenções dos grandes empresários, do que dos lideres políticos, cujo silêncio é por demais incómodo. Pois esta situação foi provocada por eles e não pela classe politica, desta o que queremos saber é se irá intervir para chamar à justiça todos os que provocaram esta situação.
Será que os agentes económicos já perceberam, de uma vez por todas, que é necessária mais produção e menos especulação? A ver vamos...