domingo, 28 de setembro de 2008




PAUL NEWMAN: para além de actor marcante, uma personalidade que merece muita consideração nas suas várias facetas. Um Homem fiel a si mesmo e aos que amou. O Homem que os outros homens aceitavam, e aceitam, sem contestar, que receba os maiores elogios das mulheres. Contra factos, não há argumentos.
A partida de Paul Newman é das que faz sentir que o Mundo não fica igual. Como foi com Frank Sinatra. Ou com Amália Rodrigues.

Com Artistas desta dimensão,há este bem: ficam as suas obras.

9 comentários:

indy disse...

(Isto não é bem um comentário...)
Há pessoas extraordinárias, inesquecíveis. Pessoas que contribuem de um modo especial para o "bem" e que nos fazem acreditar que é possível.
Falo de Paul L. Newman. O actor, o piloto de Le Mans, o Pai que perdeu um filho, o humanitário, o marido.
O seu "Newman's own" encaminhou mais de 250 milhões de dólares para beneficência, fundou há 20 anos os Hole in the Wall Camps que já proporcionaram momentos de alegria e evasão a mais de 135 mil crianças com doenças graves que ao frequentarem o local usufruem de uma série de actividades que as deixam com boas memórias e acima de tudo, sorrisos de pura felicidade.
Em Janeiro deste ano Paul celebrou com Joanne Woodward 50 anos de casamento!!!
Em tempos, quando questionado sobre fidelidade, respondeu com uma frase que foi posteriormente adaptada por muitos:
"Why go out for hamburger when you have steak at home?"
Quanto à longevidade do seu casamento referiu que as diferenças entre ambos fortaleceram a união.
A sua querida Joanne abominava que corresse de automóvel, mas sempre apoiou incondicionalmente Paul. Para ele isso era amor.
A sua obra de caridade (que lhe sobrevive) deu-lhe oportunidade de receber, partilhar e dar muito "amor".
Ainda bem :-)

Flor do Vale disse...

Uma vida que ficará na nossa memória, um Homem que honrou os seus princípios até ao último minuto e percebeu que o Amor, qualquer que seja a sua forma, é a única energia que justifica a nossa existência! Uma grande lição que todos nós deveriamos ter em conta embora por vezes nos esqueçamos disso mesmo em nome de tantas outras coisas que não são tão importantes...
Um Ser cujo exemplo é uma referência...e com um olhar(inigualável) que nunca esqueceremos!

Anónimo disse...

Ficou a sua obra...isso nunca morrerá.

Descanse em Paz, Paul.

teresa

Açores- Independência! disse...

Tambem não sei se é bem um comentário...

Recordo-me de um filme que vi que focava a vida de um casal pacato.Aonde existia bondade e interdependência- um partiu.O outro ficou a aprender uma nova vida.De solidão.

Tenho na memória esse filme cujo nome e actores não me recordo.

Newman deixou-nos...

Hoje a noção de honra foi substituída mais vezes pela de utilidade? De prazer?

Tambem quem fica sente profundamente a tristeza...

É que quem fica bate-lhe a memória da convivência com quem foi digno...

inquieta disse...

Newman, o chamado 'EFL: excelente actor; filantropo e LINDO(de uma 'mulher' se atirar para o chão esperneando). Ficará sempre um vazio...

Vap disse...

"Um Homem fiel a si mesmo e aos que amou", mas, principalmente, um Homem que soube amar.
Por isso, para ele, era fácil ser fiel.
A sua grandeza vem precisamente da sua enorme capacidade de amar.
Deus abençoou-o duplamente!
Na beleza física - um dos homens mais bonitos do mundo - e na beleza interior.
Até o nome é curioso.
Newman - Homem Novo.
O Homem que até os Deuses achariam perfeito!

joyce disse...

Dr. Pedro Santana Lopes

Apesar do sucesso rápido, ele demorou a ser levado a sério, o que ele creditava à sua beleza e famosos olhos azuis.
Já posso ver meu epitáfio:
"Aqui jaz Paul Newman, que morreu um fracassado porque seus olhos ficaram castanhos", afirmou.

Ele foi comparado a James Dean e Marlon Brando, nem sempre para seu benefício. Para o crítico David Ansen, ele não possuía a presença física dos outros dois, mas era mais próximo da realidade. "Newman é nossa grande estrela peso-médio", escreveu.

Um grande actor que se foi!
Paz à sua alma!

Jorge Dinis disse...

joyce disse:
“Pelos comentários deixados aqui no blog por alguns leitores, nem todos, é claro, se vê bem a cegueira ideológica e o antiamericanismo dominante. Trata-se de uma insanidade torcer para a desgraça americana já que sobrará exatamente para a parcela mais necessitada da população de lá e, sobretudo, daqui também.”
Para si, Joyce:
À hora a que falou como estava? Sóbria, assim-assim ou “não quer dizer”?
A interrogativa é pertinente, conquanto em nenhum comentário anterior ao seu (incluindo o meu) descortino “cegueira ideológica” ou “antiamericanismo dominante”.

O que vejo, sim, é preocupação pelo resultado final (nefasto) dos decisores (GESTORES PROFISSIONAIS – leia-se políticos) que conduziram a este RESULTADO!

Outrossim, em comunhão com os comentários imediatamente anteriores ao seu:
“Está na hora de aceitar pelo menos por uma vez o conselho do nosso primeiro-ministro. Está na hora da MUDANÇA. Temos que correr com estes burocratas despesistas do dinheiro alheio.”.

Leia-se (acrescento meu) NÃO VOTEM NO PARTIDO SOCIALISTA, sobretudo Eng.º José Sócrates, que se fartou de mentir e MANIPULAR A INFORMAÇÃO.

BASTA!!! BASTA!!!, mais ainda:

BASTA!

Anónimo disse...

Paul Newman era um Homem com H grande. Faço minhas as palavras de Flor do Vale "um Homem que (...) percebeu que o Amor, qualquer que seja a sua forma, é a única energia que justifica a nossa existência! Uma grande lição que todos nós deveríamos ter em conta embora por vezes nos esqueçamos disso mesmo em nome de tantas outras coisas que não são tão importantes...

Paul Newman não serás esquecido!

C