terça-feira, 30 de setembro de 2008

Para meditar

Dá muito que pensar a rejeição do Plano Bush pela Câmara dos Representantes dos EUA. Não só pelas consequências, mas, também, pelos motivos das decisões principalmente dos que votaram contra. Como dá que pensar o movimento, após a queda da abertura, de alguma recuperação, por parte das bolsas europeias. Que efeitos, verdadeiramente, produziria este Plano Bush? Qualquer Plano a aprovar tem de deixar bem claro, aos EUA e ao Mundo, que tem mais de regenerador do que de panaceia para iludir mais um tempo os erros de um sistema que, em boa medida, se esboroou.

15 comentários:

Passaralho disse...

Bom dia

Eu só digo e acho que para salvar outras almas, vidas, economias e países até, que se conseguiria com investimentos bem mais pequenos, nunca o sr Bush teve interesse ou pressa.

É evidente que é uma questão melindrosa e preocupante, mas se eu tiver dificuldades na minha vida, por mais equilibrada e honrada que a leve e tenha, não vem nenhum plano Sócrates ou plano Cavaco para me salvar. A mim e a milhões deles por esse mundo fora.

E alguns precisavam de tão pouco...

Cumprimentos,

RBJ Van der Styles Bing disse...

Caro Dr. Pedro,

antes de mais os meus mais respeitosos cumprimentos.
Não posso deixar de concordar com aquilo que afirma, mas o que mereceria por certo uma meditação, e profunda, tal como a crise, eram os motivos da mesma.
De facto, algo falhou que não seria concebível que falhasse. Em linguagem futebolística poderíamos dizer que o bandeirinha ficou a dormir e não assinalou o impedimento!
Não se poderá também esquecer o calendário das eleições americanas para tentar perceber se todos aqueles sorrisos e cumprimentos não eram afinal uma importação deste país à beira mar plantado! Afinal, não temos apenas sol e praia...
Depois de anos no poder a governar como governou, tenho dúvidas que houvesse a vontade política de fazer com que o presidente cessante saísse como herói.
E agora, um pouco de reinação sadia: uma medalha de mérito em certas e determinadas pessoas é apta a provocar alergias! Deveria mesmo haver a divulgação de todos os políticos com alergia a condecorações para ou serem excomungados ou arranjar-se um material alternativo!

PB disse...

Plano americanizado para americanos e sugador do sonho europeu que claramente poderia substituir o sonho americano do éculo anterior. É pena a Europa não estar unida, que não está. A U.E. tornou-se demasiado membrada para se constituir numa só e única voz.

Jorge Dinis disse...

De: Jorge Dinis (diniz.jorge@clix.pt)
Afinal fui mesmo censurado! (a propósito d' A LÓGICA)
Embora espere o mesmo, oxalá labore em erro (e, se assim for) apresento este comentário sobre “Para meditar”.
As consequências do “ GRANDE PROBLEMA” (senão único) da chamada gestão profissional, são agora (infelizmente) mundialmente conhecidas.
Com efeito, desde há cerca de 20 anos, que se começou a inculcar massivamente a ideia de que os gestores eficientes e eficazes eram “raros” (quase uma espécie em vias de extinção, pelo que, como “mentes brilhantes”, deveriam escapar ás regras dos comuns mortais; ou seja, regras próprias, ordenados fabulosos e (sobretudo) desresponsabilização.
Em Portugal o fenómeno foi copiado á escala da nossa cultura política dominante (leia-se: "centro político").
Assim sendo, não concordo minimamente com a sua posição expressa neste comentário. Desde logo, o Secretário de Estado, mentor do Plano Bush, foi (ao que li) durante os últimos trinta anos um especulador que fez fortuna, e que, sem o “TAL PLANO”, poderá vir a perder a sua fortuna (assim ganha) estimada em cerca de 500 milhões de Dólares.
Mais ainda, esses "melhores", que decidiram com aligeiramento de processos na selecção, devem serem responsabilizados civil e criminalmente, SÓ ENTÃO SE DECIDINDO POR "um plano regenerador dos erros de um sistema que, em boa medida, se esboroou".
Caro DR. Pedro Santana Lopes, em tempos idos remeti-lhe a seguinte mensagem:
{{As "verdades condicionadas" é um conceito aplicado há muito pelo chamado "centro político", que mais não é que o centro de interesses de muitos políticos "profissionais". Políticos esses agora instalados e que mais não pretendem do que de trazer à colação o "bloco central". Ou seja, o bloco do "vamos rodando: agora seguro-te eu; amanhã seguras-me tu", que estão a tirar (leia-se roubar) a possibilidade de quem tem mérito ascender a cargos de direcção do PAÍS, como fizeram com o meu amigo (permita-me que assim o trate) Pedro Santana Lopes.
Com efeito, esses arautos da "verdade condicionada" (utilizando técnicas que misturam um pouco de verdade, com muitas mentiras e grande dose de perfídia - manipulando a verdade pela omissão e pela distorção) colaram-lhe uma imagem de incompetência e leviandade desde que foi primeiro-ministro, que não corresponde à verdade.
NÃO DESISTA DE LUTAR CONTRA ESTA CAMBADA DE INTERESSEIROS.}}

Um apelo: Não DESISTA DE LUTAR.

Carlos Alberto Silva disse...

Parece incrível o que está a acontecer. Sou liberal e adepto da economia de mercado e, penso que desta vez ela também deve de funcionar.
Estamos a falar dos Estados Unidos onde a Estado nunca actua no mercado, deixa-o funcionar ecolhe dele os seus dividendos.

Mas quero essencialmente falar de Portugal. O nosso governo, este e todos os anteriores dos chamados da economia de mercado ou economia liberal, sempre tem deixado o sector financeiro actuar a seu bel prazer. São as offshores, são o não pagamento de impostos, são os benefícios fiscais (que de beneficios são só para os bancos), etc, etc
Eu recordo-me de ainda bem recentemente a banca portuguesa anunciar lucros de mais de 100 milhões de euros ao trimestre. Não nos podemos esquecer que estes bancos enriqueceram com empréstimos altissimos aos cidadãos e ao próprio estado.
Hoje, se qualquer empresário necessita de um empréstimo para um projecto de internacionalização ou para um simples investimento, a banca envia como resposta a a época não está para empréstimos.

E o que devemos de pensar de um governo, nomeadamente dos governos PS que realizam obras pendurados nos empréstimos bancários por si consumidos ou consumidos por empresas particulares na realização de obras a que o estado chama de "investimento privado", tal como o caso das SCUT's.

Coitado deste povo, que vê um governo preocupado com o que se passa nas empresas privadas, como é o caso da banca e não se preocupa com as centenas de milhares de famílias que estão a entrar em bancarrota, muitas delas, devido ao facilitismo concedido por essa mesma banca.

Acorda PORTUGAL.

Está na hora de aceitar pelo meno desta vez o conselho do nosso primeiro-ministro. Está na hora da MUDANÇA.

Tal como diz o Obama. WE CAN

Viva Portugal

Carlos Alberto Silva disse...

Parece incrível o que está a acontecer na banca americana e um pouco por toda a banca mundial.

Sou liberal e adepto da economia de mercado e, penso que desta vez ela também deve ser deixada a funcionar. Estamos a falar dos Estados Unidos onde o Estado nunca actua no mercado, deixa-o funcionar e recolhe dele os seus dividendos. Estamos a falar de um sector onde os senhores de Wall Street com um simples sussurro ganham milhões. Estamos a falar de um país onde é permitido a toda a gente ter a habilidade para ter êxito e também é permitido ter a habilidade para fracassar. Não sabia é que fracassar está limitado ao sector financeiro, aos senhores de Wall Street. Os mesmos que de certeza já deixaram cair milhares de empresas e desta forma deixaram cair milhares de empregos porque a sua religião, e bem, é o lucro.

Mas quero essencialmente falar de Portugal. Do nosso governo, este e todos os anteriores dos chamados da economia de mercado ou economia liberal, que sempre deixaram o sector financeiro actuar a seu bel prazer. São as offshores, são o não pagamento de impostos, são os benefícios fiscais (que de beneficios são só para os bancos), etc, etc. Recordo-me de ainda bem recentemente a banca portuguesa anunciar lucros de mais de 100 milhões de euros ao trimestre. Lucros esses na sua grande maioria são dos empréstimos para a Habitação pessoal, onde até existiam bancos que nos ofereciam um cheque para comprar a mobilia só para passar o empréstimo para a sua instituição.
Não nos podemos esquecer que estes bancos enriqueceram com empréstimos altissimos aos cidadãos e ao próprio estado. Hoje, se qualquer empresário necessita de um empréstimo para um projecto de internacionalização ou para um simples investimento, a banca envia como resposta um NÃO, porque, dizem eles a época não está para empréstimos, não existem mais recursos com tanto empréstimo para tudo e para nada. Ele é a casa, ele é mais um Shopping, ele é mais um aeroporto, ele é mais um avião, etc, etc.

E o que devemos de pensar de um governo, nomeadamente dos governos PS que realizam obras pendurados nos empréstimos bancários por si consumidos ou consumidos por empresas particulares na realização de obras a que o estado chama de "investimento privado", tal como o caso das SCUT's. Estes recursos não são infinitos. Mas se o estado consome estes recursos, o que sobra para as empresas privadas? Onde poderão elas recorrer a fundos financeiros para apoiar as suas exportações, criar novas unidade fabris, internacionalizar as suas empresas?

Coitado deste povo, que vê um governo preocupado com o que se passa nas empresas privadas, como é o caso da banca e não se preocupa com as centenas de milhares de famílias que estão a entrar em bancarrota, muitas delas, devido ao facilitismo concedido por essa mesma banca.

Acorda PORTUGAL.

Está na hora de aceitar pelo menos por uma vez o conselho do nosso primeiro-ministro. Está na hora da MUDANÇA. Temos que correr com estes burocratas despesistas do dinheiro alheio. Acusam eles de o Major em Gondomar oferecer varinhas mágicas com o dinheiro dele e o nosso primeiro-ministra anda a oferecer computadores a quem não precisa com o dinheiro de nós todos. Sim, alguém terá que pagar a factura e no final será sempre do bolso dos portugueses.

Tal como diz o Obama. WE CAN

Viva Portugal

Carlos Alberto Silva

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Pedro Santana Lopes, penso que o Governo Americano não devia interferir, e que a votação foi certa apesar de que na próxima votação já não terei tanta certeza se o não irá ganhar.
A economia Americana foi, é e será sempre uma economia liberal, sendo assim o mercado tem de trabalhar por si só, não podendo em momentos de crise socorrer-se dos apoios estatais.
Antes é necessário apurar responsabilidades, porque se assim não for amanhã teremos uma nova crise.
É necessário deixar falir algumas empresas sejam elas bancos ou outras quaisquer, pois só assim o mercado funcionará normalmente.
O mercado dos capitalistas afinal também mete muita água.
Será que aqui em Portugal vamos continuar a privatizar tudo e todos?
Ou será que o melhor é manter as empresas mais importantes sobre a alçada do Governo?
Deixo aqui duas questões para todos meditarmos.
Com os meus cumprimentos, atenciosamente.
Ricardo Araújo.

joyce disse...

Dr Pedro Santana Lopes

Nada melhor que elucidar:

"Imprensa segue ignorando o que é essencial

Pelos comentários deixados aqui no blog por alguns leitores, nem todos, é claro, se vê bem a cegueira ideológica e o antiamericanismo dominante. Trata-se de uma insanidade torcer para a desgraça americana já que sobrará exatamente para a parcela mais necessitada da população de lá e, sobretudo, daqui também.

No post abaixo com base num artigo de Ann Coulter levanto uma questão fundamental que está ligada a duas instituições financeiras denominadas Fannie Mae e Freedie Mac que no dia 7 deste mês sofreram intervenção do governo americano.

Essas duas empresas teriam operado um esquema financeiro, em articulação com o governo Clinton e o Partido Democrata, de viés politicamente correto. E sabem como é. Quando o politicamente correto orienta ações financeiras mais adiante aparece uma tremenda conta para pagar em forma de escândalo.

Na mesma linha de Coulter

(http://www.anncoulter.com/)

escreve Kevin Hassett, no site da Bloomberg

(http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=aSKSoiNbnQY0 )

que também me referi abaixo. Em certa altura de seu comentário, Hassett fulmina:

“Mas agora sabemos que muitos dos senadores que protegeram Fannie e Freddie, incluindo Barck Obama, Hillary Clinton e Christopher Dodd, receberam apoio financeiro dessas empresas durante longos anos”.

Vocês podem cotejar os dois artigos aos quais me refiro nos posts abaixo. Chamo a atenção principalmente dos jornalistas que estão cobrindo a crise americana. Vão atrás que a coisa é grande. Lamentavelmente esses artigos que cito estão em inglês, mas aposto que é pauta quente.

O que não adianta é ficar entupindo os jornais com fotos chocantes de operadores de mercado desesperados.

Tem é que investigar aquilo que parece ser – pasmem – manobras populistas do Partido Democrata americano que influirão diretamente no resultado das eleições presidenciais daquele país. E mais, podem ter um efeito funesto sobre a economia.
Quem sabe você, que está aí torcendo para os norte-americanos afundarem não está pagando a conta da campanha de Hussein Obama, hein?"

http://aluizioamorim.blogspot.com/

joyce disse...

Dr. Pedro Santana Lopes

Ainda sobre a crise, nunca é demais
outros esclarecimentos.
Transcrevo um bom comentário do post "MOMEMTO DE LUCIDEZ" de 30/09/08 no blog:
http://coturnonoturno.blogspot.com/

"Coronel:

e' interessante ver como todos os governantes do mundo que tem um pingo de socialismo e/ou globalismo nas veias esta' a exigir que o Congresso (Camara de Representantes) americano aprove alguma versao do "bailout". Hoje vi na televisao a Angela Merkel a dizer exatamente o mesmo que o Lulla: a culpa e' dos americanos e eles tem que resolver o problema. Esse DNA contaminado com socialismo e/ou globalismo impede-os de ver que o "bailout" e' um cao perseguindo o proprio rabo. Quanto mais tempo ficar nessa perseguicao inutil, mais tarde vira' a verdadeira solucao pela auto-correcao do mercado. Vamos ver por quanto tempo o Congresso americano vai aguentar. Por enquanto a pressao dos americanos que mandam e-mails e telefonam aos milhares vai sustentando o bom-senso. Hoje o mercado acionario reagiu bem, embora por motivo errado: esperanca de que o "bailout" seja aprovado logo. Enquanto isso, os bancos vao se adaptando: o Citybank comprou a Wachovia, e um consorcio de bancos alemaes deu ajuda ao Hypo que estava insolvente. Repito o que venho dizendo: so' o mercado agindo sem as algemas do governo pode alocar os recursos de maneira eficiente.

Hereticus

PS: Obama NAO e' americano, mas conhece bem o paiz que ele decidiu destruir. Ele usa as tecnicas que aprendeu com os piores politicos de Chicago. Se o eleitorado americano nao for capaz de ver isso, nao se tratara' apenas de lavagem cerebral promovida pela grande imprensa dominada inteiramente pela Esquerda chic. Ja' sera' morte cerebral, e estaremos por tabela, todos perdidos. Continuo aconselhando os amigos aqui do Coturno Noturno: livrem-se das moedas podres, quer sejam dolares, euros ou reais. So' o OURO pode salvar suas economias, se esse "bailout" for aprovado."

AP disse...

Recomendo vivamente a leitura do livro "Gestores, não MBA's" de Henry Mintzberg. Estão lá as todas as causas desta crise provocada pelos EUA. Tudo se resume às suas práticas de gestão cujos resultados estão à vista.

Pedro Azevedo disse...

Sobre a mais recente "fraude" do Governo: http://pedroacazevedo.blogspot.com/2008/10/magalhes.html

Adérito, o tasqueiro disse...

Boa noite,

Pessoalmente acho que o plano Bush/Paulson apenas serve para adiar o inevitável.
Mas todos temos uma réstia de esperança de que não seja bem assim.

Saudações Tasqueiras :)

Miguel Vaz Serra disse...

Dr.Santana Lopes
Mais grave que o derrubar há muito esperado do liberalismo económico selvagem e de pura especulação é o facto de todos os reais culpados não só serão jamais julgados como ainda levaram para as contas numéricas suíças números jamais imagináveis pelo ser humano que pisa pedras da calçada como eu.Bom mais grave do que isso só mesmo o facto de pagarmos nós,os que andamos a pé,a dívida desses.....como chamar...mmmmm acho que não posso...
Votações?!Nos USA?!Mas não vejo diferença alguma dos USA para a Rússia ou Países da UE.
Quem vota?Os políticos.Que querem 99% dos políticos?Poder.Portanto qualquer votação que os faça sonhar em que por isso perdem o tacho,simplesmente não votam no que os faria perder o poleiro.
Mas isso é em todo o lado.E eu apesar de estar a escrever no blog dum político,faço-o de barriga cheia pois o Senhor deve ser dos poucos que diz o que pensa e faz o que deve ser feito e por isso..olhe...foi convidado por Sampaio a ir a eleições.
Olhe hoje o que aconteceu á boa maneira da Acção Nacional.Parecia que estávamos no tempo do Marcelo Caetano.O PS votou como deve ser votado.Ou seja,são obrigados a votar mesmo que seja voto de consciência o casamento de pessoas do mesmo sexo.Isto acontece num País da UE onde as directivas do parlamento da mesma foram há anos muito claras e onde até a vizinha Espanha,católica de profissão,ultrapassou este problema.Porqué?Porque vêm aí as eleições,só e mesmo por isso,porque o PS assim que ganhar outra vez as mesmas,vai propor essa mesma união,como se algo deles tivesse partido como têm feito com propostas do PP e do PPD-psd.
Meditar sim...e muito...mas nos hipócritas políticos do planeta
e claro..no preço do petróleo que já descheu a 90 dólares...

Miguel Vaz Serra disse...

Dr.Santana Lopes
É verdade que certos assuntos parecem não ter nada em comum.Errado.Tudo está sempre ligado..faz parte da lei do universo.Nada morre,tudo se transforma.Carlos do Carmo,voz incontornável da música Portuguesa fez 45 anos de carreira.Brilhante.Se pudéssemos copiar uma "alcunha",eu copiaria a do grande Sinatra e chamar-lhe-ia "a voz",porque do Carmo é realmente "a voz", única.Mas onde foi festejar?Não foi no Coliseu de porta aberta com o seu povo,que o fez, que tantas vezes foi ouvi-lo á festa do Avante quando em tempos difíceis ninguém o queria ouvir em Portugal pelas ligações perigosas ao PCP,não...foi para o Casino Estoril,com a chamada ( coitados...) elite...é verdade...o lixo que virou luxo...nada morre..tudo se transforma....algo mais para meditar...a transformação das gentes...algumas até delirantes como a paixão do PCP pelo Bloco de Esquerda e vice-versa...quem diria...hoje vou fazer "Ioga".......

Miguel Vaz Serra disse...

Dr.Santana Lopes
Peço desculpa de aborrecer sempre com o mesmo,mas é que tenho meditado tanto tanto tanto sem conseguir chegar a conclusão alguma que não posso deixar de desabafar o facto DA GASOLINA TER SUBIDO OUTRA VEZ!!!!Isto é....é....é....pois..é....isso mesmo..O Petróleo já baixou dos 90 dólares.Teve há uns dias a maior queda de preço dos últimos 4 anos Deus nosso.Tenham santa paciência,senhores do lobi PS,mas isto ainda vos vai custar a eleições,vai vai......Don't push it!