sábado, 16 de agosto de 2008

Os Antecedentes

O caso de que falo ontem, na minha coluna semanal do jornal SOL, o do projecto de remodelação do Museu dos Coches, demonstra bem como falta em muita Imprensa, de um modo particular em Portugal, aquilo a que se pode chamar de trabalho de arquivo.
Na verdade, vejo muitas vezes serem apresentadas como notícias de novidades, factos ou decisões que são a repetição pura e simples de factos ou decisões anteriores. Quantas vezes, em conversa com jornalistas, não tenho de os lembrar de situações que eles próprios trataram, nos seus jornais, nos seus órgãos de comunicação. É compreensível que não lhes seja fácil esse permanente exercício de memória, dada a natureza específica do seu trabalho. Com efeito, têm de estar constantemente a lidar com factos novos e a trabalhar sobre eles. É essa a tarefa própria da profissão que escolheram. Só que, anyway, penso que seria possível muito mais e muito melhor. É uma questão de treino, de aprendizagem Deve ser obrigatório para todas as notícias que se transmitem, fazer essa conferência sobre os antecedentes. Lembro-me de Joaquim Aguiar dizer sempre que todos os órgãos de comunicação devem ter sempre um departamento só de memória( ele dava-lhe outro nome).
As sociedades contemporâneas têm todas essa realidade para enfrentar: a sobrecarga informativa e consequente dificuldade de recordar informações anteriores. mas quem tem por missão, exactamente, informar, deve ser especialmente criterioso na qualidade e fundamento do que transmite.

14 comentários:

carlos disse...

Dr.Pedro Santana Lopes,boa tarde.
É muita verdade o que o sr escreve e se fosse feita uma leitura dos antecedentes de algumas notícias
não estaríamos - nós leitores - sujeitos a sermos obrigados a saber aquilo que já sabíamos e,o que é muito pior,tomarmos conhecimento das opiniões que certos escreventes têm sobre coisas,para as quais,reconhecidamente,não têm nem
conhecimento,nem preparação,nem suficiente inteligência para as compreender.
Não há qualquer dúvida que faz muita falta um departamento de memória.
cumprimentos
c.monteiro de sousa

:-) Isabel disse...

Cada vez mais me parece que o jornalismo enquanto profissão nobre está a morrer. Cabe-nos a nós instruirmo-nos para aprendermos a analisar e ler entre as linhas, pois se nos deixarmos "levar" pelo que lemos, acabamos por ser uns cordeirinhos a seguir um qualquer pastor.

rouxinol de Bernardim disse...

A memória é imprescindível para alicerçar a História. Analisar os contextos, compulsar momentos e factos; é imprescindível adentro de uma perspectiva historicista adulta e responsável

É pertinente e altamente acutilante este seu post.

Se se der à maçada de ler o meu mais recente verá que sem o saber estamos no mesmo diapasão.

Enfim, a História, a mestra da vida!

Ana Selimi disse...

…deve ser especialmente criterioso na qualidade e fundamento do que transmite; ora aqui esta uma bela frase Sr Santana Lopes e como foi o senhor que a escreveu deveria e poderia pensar e repensar o que ela quer dizer!
Sabe certamente que nada fez pelo nosso país e que continua sem nada fazer, sempre ouvi a minha avó dizer : quem muito fala pouco acerta.
Ja todos sabemos quem é e por quem é , ou faz de verdade algo por um país que anda à deriva , ou se retira e passa belos tempos numa praia qualquer ao sol( porque de sol percebe o senhor e muito).

Joaquina Barcelona disse...

O jornalismo que vivi implicava competência e liberdade. Nos melhores dias, juntava a graça ao rigor. Foi nos primeiros anos de O Independente. O lugar onde a memória - ou a lista dos antecedentes - se chamava informação elementar.
Ainda hoje, quando leio um jornal de fio a pavio, encontro sempre qualquer coisa digna de registo. Uma frase, uma peça inteira, uma excelente pergunta ou uma resposta inesperada pela positiva. Há jornalistas que mantêm a nobreza na profissão. Mas concordo que o clima geral é condicionado, ignorante e pouco amigo do saber.

Anónimo disse...

Ao ler o comentario aqui posto por uma leitora, que o drº sant.Lopes nada fez por este País,gostava de dar uma palavrinha:

Sou um veterano de guerra,estive na luta na 1ªhora no norte de Moçambique,nunca tive medo ou fugi á luta,depois por dever de ofiçio,viajei por varios países africanos e outros,conheço bem o meu País de alto a baixo, seus uzos e costumes e sabem uma coisa,sempre tive muito medo de uma coisa, sabem o quê A IGNORANÇIA.
os meus cump sou att.
h.santos

Eu disse...

Competência, liberdade e coragem. É só o que se pede ao jornalismo. Para quando um novo O Independente?

Pedro Madeira disse...

esta ana selimi deve sofrer de algum problema psicologio ou qualquer coisa do genero ou como o dr. santana falou de pouco conhecimento em relacao ao que se passou durante os +- 2 meses que o sr. santana liderou o nosso pais, enfim mais uma pessoa influenciada pela comunicacao social, pra mim o sr. santana e' o unico que ainda faz oposicao ao governo do maior charlatao que ja alguma vez presenciei como lider do governo.
Força Dr. Santana ainda existe muita gente do seu lado !

Silva disse...

Caro Dr.
É claro que têm memória!
Seria essa a ideia, no caso de alguns, ver oposição, comentassem. Imediatamente a resposta seria de que a ideia "foi de Pedro Santana Lopes, do seu governo", o responsavel.
A grande diferença é pretender assinalar a republica com os coches da monarquia, não faz grande sentido. Outra grande diferença é a adjudicação sem concurso, transforma o museu numa palhaçada encaputada de forum cultural.

Inês Tavares disse...

Se os jornalistas não andassem a soldo, teriam um arquivo e não faziam os disparates que fazem. mas como sabemos que o que fazem é pensado por «quiem tudo lo manda» nem vale a pena falar. Como a história do computador «magalhães» -cópia feita em Portugal de um MODELO velho, próprio PARA o 3º MUNDO.

Há uns tempos comprava/lia com frequência a «Time» e a «Newsweek» -deixei de o fazer. Os comentadores portugueses de política internacional e de estratégia traduzem os artigos e debitam-nos ipsis verbis por aì, como se fossem análises próprias.

Neste momento poupo uns Euros e sei que a inf. é dos falcões americanos. Simples -se concordo ou discordo é problema pessoal.

o_bufo disse...

Cara amiga Ana Selimi, independente das razões que a levam a criticar o Dr. Lopes, acho que são muito inoportunas...se de Sol percebe ele muito, o que diria da MFL que d´ele tem medo (do sol)e a sua imagem é nada mais que cinzenta e que nada abrilhanta uma liderança que se intitula "a verdadeira oposição", mas de ideias ainda nada ouvi e nem li...será assim até ao final????

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes, eu sei que é muito importante e deveria ser obrigatório que todas as noticias fossem verídicas, mas nós todos os dias deparamos com uma quantidade enorme de noticias que antes de as serem já as tinham sido, bem como outras que não passam de puras especulações e ainda outras tão cheias de falsidades, é por isso que hoje a comunicação social não tem credibilidade alguma, é pena que não se consiga fazer um filtro dos jornais que fazem informação e outros que só fazem desinformação, bem como não olham a meios para atingir os seus fins.
Eu sei que deve haver liberdade de comunicação, mas essa liberdade acaba quando se é ultrapassado certos valores e na nossa sociedade não a responsabilização nenhuma, seja no jornalismo seja em qualquer outra actividade.
Em relação aos antecedentes, V. Exa. é capaz de ter razão, mas no meu entender devemos esquecer todos esses antecedentes, bem como outros quaisquer, pois o nosso mal é estar demasiado agarrado ao passado, senão vejamos o que diz o governo PS em relação ao governo PSD e vice versa, estão constantemente a olhar para os antecedentes uns dos outros e esquecem-se completamente que a vida futura não é nem nunca será feita em caso algum desses antecedentes, (excepto aqueles que são história), mas pelo contrário a vida é de presente e futuro, não nos podendo lamentar que se fosse hoje as coisas eram completamente diferentes, porque isso é chorar sobre o leite derramado e isso todos os Portugueses se interrogam o porquê de não ter feito melhor.
Assim sendo é tempo de todos olharmos em frente e construirmos o futuro da melhor maneira, mas para isso é necessário que haja alguém que pense para a frente e que não deixe o país cair nos mesmos erros do passado, como neste momento está acontecer com o governo do Eng. Sócrates.
Com os meus cumprimentos, atenciosamente.
Ricardo Araújo.

:-) Isabel disse...

Ana Selemi, ainda bem que o Dr. Santana Lopes entende de sol. Como certamente sabe, os Portugueses adoram a praia. E eu prefiro ter a representar-me quem entenda e faça como o povo, do que os abafados que se julgam em cima de pedestais e olham para baixo para as nossas diversões de "povinho".
O seu comentário quanto ao Dr. Santana Lopes nada ter feito pelo país, é bastante injusto e incorrecto. Pergunte, por exemplo, ao pessoal da Figueira da Foz.
Quanto à sua passagem pelo governo, foi de muito curta duração, não lhe dando oportunidade para mostrar fosse o que fosse de concreto. Qualquer pessoa com um palmo de inteligência sabe que as medidas tomadas hoje, muitas vezes só meses ou mesmo anos depois mostram fruto.
Acho muito bem que o Dr. Santana Lopes fale, e que fale muito. Pois se ficar calado e compactuar com o status quo, aí que não passamos da cepa torta.
Eu, da minha parte, agradeço-lhe e peço-lhe que faça todo o "barulho" possível. É o que eu faço, só que eu não sou ninguém, sou mais uma entre muitas pessoas. No entanto, quando o Dr. Santana Lopes abre a boca, torna-se notícia. E ainda bem.

Miguel Vaz Serra disse...

Dr.Santana Lopes
O Senhor esqueceu-se com o passar dos anos, de ser educado?De ser bom Advogado?Dos trabalhos importantes que teve entre mãos?Dos que ainda estão a decorrer?NÃO.
Sabe porquê?Pois....
Aqui não há volta a dar.Ou se é bom naquilo que se faz ou não se faça e deve-se dar lugar a outro que saiba fazer.Sabe que nos Países de gente normal,eles derrapam 2 vezes,pois á 3ª já não têm onde trabalhar.
Podiam começar por pedir desculpa por dizer tanta mentira de tanta gente e confirmar as coisas antes de as publicar,e não falo de quem as escreve mas sim de quem as publica.Esses sim são a verdadeira escumalha mediática que se instalou em Portugal.E por falar verdade,fiquei a saber pela "Signora Selimi" aqui no blogue que o Dr. é um amante do Sol.Dou-lhe os Parabéns.Não há melhor coisa para a saúde e como diz o velho ditado,"mente sã em corpo são".Recomendo a essa Senhora que urgentemente tome uns banhos de sol pois parece que o mente se lhe vai....e como não podia deixar de ser... hoje ouvi dizer que Manuela Ferreira Leite foi vista!!!!!!Olhe,até disse á minha amiga São que hoje já podia dormir tranquilo pois afinal está viva e de boa saúde..as más línguas já diziam que se calhar tinha dado entrada nas Carmelitas e feito voto de silêncio..Bom...Como diz a mãe dum grande amigo Inglês,David,Lady Wendy,"If you have nothing nice to say,please,don't say anything at all"..........