sábado, 16 de fevereiro de 2008

Eleições Americanas-I

Jonh McCain deu hoje uma excelente entrevista à CNN, no programa de Larry King. Sem dúvida que a segurança que transmite será muito importante, na hora do voto, para muitos Americanos. Se for Barak Obama o Democrata escolhido, será um impressionante contraste. O que McCain representa tenderá a aparecer cada vez mais em muito diferentes paragens. Se for Hillary Clinton, as diferenças, a todos os níveis, serão muito mais ténues.

11 comentários:

Anónimo disse...

Só a vitória de Obama pode iniciar o ciclo de mudança nos Estados Unidos que impeça a derrocada do sistema económico global tal como se encontra estruturado. A gestão das expectativas, mesmo que não mude muita coisa, é essencial para um novo fôlego na economia e para impedir a ruptura do sistema financeiro. Até porque com a vitória de Obama, os Estados Unidos poderiam ter um período de dezasseis anos de liderança democrática, tempo suficiente para que as mudanças e os equilíbrios instáveis do Ocidente se restabelecessem, num tempo em que a China cresce a um ritmo cada vez mais intenso e com tentações hegemónicas mais acentuadas.
Vitor Fonseca

Lino Fragafreitasfraga@sapo.pt disse...

Concordo plenamente com o seu comentário.
Ainda não consegui compreender, é a fobia que vai no nosso País em alguns, ditos, fazedores de opinião, a começar por Marcelo, em quererem o Barak.
Deve ser um misto de estupidez, encapotada de pseudo intelectualismo, que assola este nosso Portugal.
Como dizia Alexandre Herculano em 1838 “Meu pobre Portugal, hei-de chorar-te!”

Flávio Gonçalves disse...

Preferiria o Ron Paul, mas certamente que não chegará lá...

Shivaram disse...

Para quê perder tempo com esses assuntos, quando por cá tem tanta coisa para explicar.
Podia começar pelo Casino Lisboa, a seguir podia ser os negócios da Ponte Galante na Figueira da Foz e para terminar, podia comentar o caso Portucale.

Tenha vergonha !

Vá fazer aquilo que tanto sabe, ou seja, nada !!!

PS: com certeza este comentário nem sequer vai ser publicado, mas pelo menos vai ser lido e dessa forma vai ficar a saber o quanto gosto de si.

Aldrabão !

A.Mello-Alter disse...

O Barquinho da Carreira
Lembram-se do poema? “O barquinho da carreira, faz que anda mas não anda…”, é a imagem que me dá sempre Manuel Alegre.
Ele lá bem no fundo é mesmo um leão feroz. Mas como há muito já perdeu os dentes, ruge, ruge e no fim, dorme…
Este Manuel Alegre, é o que de melhor podia acontecer ao PS de José Sócrates. A tão esperada oposição que faz falta a qualquer governo e que não temos visto nos últimos tempos.
Á esquerda, as coisas estão complicadas. O Bloco não tem tamanho nem passado político. O PC, não consegue demarcar-se da velha imagem cinzenta da “cassete”
À direita a coisa ainda está mais complicada. O CDS do Portas versão/dois, tenta fazer ouvidos moucos aos escândalos que não vão dar em nada, pois claro, estamos em Portugal. É só deixar cair no esquecimento. O tempo tudo apaga e os cofres continuam cheios. O bom Paulinho das Feiras já não entusiasma ninguém. Tenho a certeza que se for apanhado nalgum mercado pela ASAE, certamente será detido por estar fora do prazo de validade.
No PSD, perdão PPD/PSD, as coisas nunca estiveram tão mal. A “Evita” de Gaia, consegue ser ainda pior que o “Mini” Marques Mendes. As coisas estão tão mal, que já nenhum analista político se atreve a dar-lhe a mão. E os Barões, cadê eles? Só quem o pode salvar, é o Circo Ambulante montado por Santana Lopes para percorrer o país. Como na Roma antiga, esta terra anseia mesmo por Pão e Circo.

Resta-nos o bom do Manuel Alegre a fazer de conta que é oposição. E os do Sócrates, a fingir que estão incomodados com a nova “sensibilidade”.

Editado em Rosamarmore

Adriana disse...

Antes que seja mal interpretada, aviso que não conheço o Dr. Santana Lopes. Lamento mas n concordo com shivaram. Todos os assuntos devem ser discutidos sejam nacionais ou internacionais. Mas se todos gostassemos do vermelho que seria do verde...
Quanto as eleições americanas, se vivesse nos EUA eu votava Hillary Clinton. Não só por ser uma mulher mas por concordar com as suas ideias e a sua vitalidade. Mas não sei se o Mundo esta preparado para ver uma Mulher a frente dos EUA.

Adriana

Bruno Maia disse...

A Srª Clinton não irá resolver nada, sem falar que caso ela seja vencedora 2 familias controlam os EUA durante muito tempo. (Bush e Clinton).
Preferia JMCCain, que foca os pontos principais para uma melhoria dos EUA.


Quanto ao comentário do Shivaram gostava que provasse tanto o "aldrabão" como que o resto correspondeu a algum crime.

Abraço

Odisseu disse...

Há pessoas que fazem gáudio da sua má educação.Acreditam que debitar uma dúzia de lugares-comuns,reveladores da sua boçalidade,lhes reserva um lugar no panteão dos bajuladores a soldo do caudilho socialista.
Centrando-me no tema,peço aos nossos amigos comentadores que me elucidem objectivamente que mudanças preconiza o Sr Obama.
Apelo á minha memória e recordo uma miríade de personagens e partidos políticos que já desfraldaram essa bandeira da mudança.O que vimos como consequência? Sem dúvida o triste panorama que hoje contemplamos em quase todos os planos da vida nacional.
Será que os cidadãos eleitores nunca se cansarão da verborreia demagógica? Da retórica,sem substância,repetida ao infinito,de consequências prácticas nulas?
Vale a pena votar em estereótipos? O candidato negro,o candidato feminino? Onde nos levará esta visão aberrante do fenómeno?
Aproximam-se tempos difíceis.Talvez a humanidade nunca tenha sido colocada perante uma problemática tão complexa como as que vão pender sobre todos nós nas próximas décadas.
Confesso com o necessário desassombro que não vejo na prosa jornalística,que entendo o candidato Sr Obama como o Cavalo de Tróia.Mesmo lendo alguma imprensa americana não encontrei ainda quem conheça bem o que vem alojado no seu bojo.
Assim acho grande parte das análises supérfluas.
Em política não é boa práctica disparar tiros na escuridão!

Anónimo disse...

Lamento ter de deixar o meu comentario anonimo mas infelizmente se assino vivo repercusoes no meu emprego, como tenho vivido ultimamente, pois sou funcionario publico.
A ditadura, ou seja o tempo anterior ao 25 de Abril, deixou graves sequelas neste povo português gosta de politicos com atitudes paternalistas (como Sampaio ou Soares), este povo gosta que lhes deêm ordens.Não lhes preocupa promessas não realizadas ou o caracter moral ou ético pois este povo vive do desenrasca aqui! No fundo como aquilo que fez Sócrates no passado teve que se desenrascar. Este povo gosta que pensem por eles (como um professor Marcelo ao domingo).
Às vezes quando esperneiam levam um cartãozinho amarelo ou um puxam de orelhas como crianças se tratassem.
Não estam preparados para politicos que responsabilizam cada cidadão, que têm verdadeiras preocupações sociais com repercusão a longo prazo, e não fazem demagogia.
O tempo deste povo é uma temporada de futebol, e os lenços brancos são mostrados ao treinador, mas quando ganham 5 a 0, a um clube de 3ª divisão aì já são os maiores!

O país está doente, na saúde, na justiça, na educação. Na universidades, os professores que fumam charros com os alunos, que exprimem a suas opções sexuais de forma explicita, e perseguem quem não pensa como eles.

Julgo que será uma geração que está em causa, uma geração que andou a brincar às revoluções durante 30 anos.
Admira-me a sua coragem, em acreditar eu já tinha desistido.
Obrigado

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes, temos de olhar paras as eleições Norte Americanas, com olhos de ver e olhar para um povo, que deve ser dos mais democratas, senão vejamos, temos a concorrentes a Casa Branca nada mais nada menos que, uma mulher, um "negro".

Todo o mundo est expectante com estas eleições, pois temem ter a frente de uma Nação daquele género uma mulher ou um “negro”, mas não nos podemos esquecer que se trata do maior País democrático do mundo, onde se pode constatar que qualquer Americano é e poderá ser Presidente daquela Nação e onde se diz que há muito racismo, e é bom lembrar que na América só existem 11% de “negros”, assim sendo o cenário muda completamente de figura e o que constatamos é ver uma Nação a olhar para o futuro e ver que é preciso mudar e essa mudança só se dará se o vencedor for Barak Obama.

Podemos constatar que o povo não vive obcecado com os Velhos do Restelo como nós aqui chamamos, eles olham em frente e vêem um País a precisar de mudança, sendo que e conforme V. Exa. diz, Barak Obama é a maior mudança, mas eles assim o querem e desejam, porque estão cheios de ver sempre lá os mesmos sejam Kennedy sejam Clinton sejam Bush, é tempo de mudar é tempo de dar oportunidade aos outros, mas perante isto ainda vemos uma Europa incrédula a olhar como é possível os Americanos darem uma vitória a um jovem e ainda mais grave sem ideias.

Temos de lembrar que os que a muito lá estão, estão viciados e as suas ideias estão completamente obsoletas, para isso é necessário estes jovens para que o mundo volte a renovar-se, mesmo que essas ideias ainda sejam imaturas, mas acima de tudo são democráticas e livres.

Olhemos para os Norte Americanos, e tiremos algumas conclusões do que é necessário fazer na Europa e principalmente em Portugal, que é a necessidade de renovar toda a nossa classe política, pois encontra-se obsoleta de ideias, conforme temos constatado.

Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.

Nélson Faria disse...

Eu não deposito tanta confiança na capacidade de Barack Obama. Considero-o um fenómeno político e um óptimo modelo para se ir buscar boas práticas.

Prefiro-o a Hillary (sem sombra de dúvidas), é uma figura inspiracional e motivadora e isso é muito importante; mas é preciso muito mais para ser líder da América.

Por enquanto, e sem Rudy na corrida, venha McCain.