sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Liberdade à Portuguesa


Ângela Silva é só um exemplo. É uma jornalista do Expresso que, há anos, vários de nós recebemos com simpatia e correcção e que todas as semanas diz bem de um grupo de quem gosta e mal de todos os outros. Portugal continua a ser uma paróquia e alguns jornalistas também são de bairro. Ângela Silva é um género de Maria João Avilez, embora, nos seres humanos, a cópia nunca seja igual ao original.


Para a a dita jornalista, Luís Filipe Menezes nunca podia ser líder do Partido. Luís Marques Mendes ganhava, de certeza o Congresso e as Directas e, se não fosse ele, deveria ser José Pedro Aguiar Branco que foi meu Ministro da Justiça. Foi essa a jornalista que deu origem à lamentável peça da inventona da "sesta", só porque quando atendi um telefonema seu lhe disse que estava no andar de cima - eram cerca de vinte horas - a tentar descansar um pouco, junto dos meus filhos, depois de um dia arrasador que tinha incluído um debate mensal, como Primeiro-Ministro, no Parlamento. Eu próprio, repito, atendi.


Penso que escreve hoje no mesmo jornal,Expresso, edição online ( e amanhã na edição impressa) que o facto de eu não ter sido convidado para um almoço me deixaria "isolado"(????)... Isto na semana em que o debate com o Primeiro- Ministro correu como correu, em que o PS veio atrás das posições do PPD/PSD no referendo e no Aeroporto, o tema importante para a primeira página do maior semanário português era um almoço de grupo.
Por isso é que não somos jornalistas... Porque não percebemos estes critérios. Mas quando ouvimos uma entrevista, como a que Francisco Pinto Balsemão deu esta sexta - -feira à SIC, gostamos muito de ouvir os seus conceitos sobre jornalismo e jornalistas. Porque não seguirão algumas pessoas o que diz?


Mas do que não gostamos, acima de tudo, é de um certo tipo de comportamento humano. Já enjoa. Um comportamento em que, com falsa simpatia, constantemente se pede para falar com algumas pessoas para tentar dar sustentação a textos de promoção de iniciativas dos "favoritos" de sempre. E bem podem perguntar: e ainda não aprenderam?... Têm razão, a culpa é nossa. Minha e de outros.


O mais extraordinário, porém, é esta tese de que Luís Filipe Menezes "nâo descola"!... Tem saldo positivo nas sondagens, tem vitórias políticas umas atrás das outras, mas "não descola". Balanços feitos ao fim de três meses. Ou antes: com menos de três meses,desde o Congresso de Torres Vedras, em 14, 15 e 16 de Outubro. É absolutamente extraordinário! Decretem que as pessoas de quem não gostam não podem exercer os seus direitos políticos. É preferível.
Ah, e é verdade, imaginem só: José Sócrates já há cerca de um mês que preferia Alcochete. Que visionário!... Deve ter tido a "visão", se foi há cerca de um mês, por causa da assinatura do Tratado de Lisboa... Ou terá sido depois da Cimeira UE - África? Se calhar foi Kadhafi que esteve a olhar para a outra margem quando esteve alojado no Forte de São Julião da Barra e descobriu que era melhor do lado de lá do rio.


VIVA A LIBERDADE!

4 comentários:

Klatuu o embuçado disse...

Negar mérito a uma vitória política em democracia é um absurdo político, mas há que diferenciar que chegar à liderança de um partido é uma vitória de significação política não comparável a chegar à liderança de uma nação. As expectativas, tão difíceis de mensurar, que levam militantes a inclinar-se para um líder, não são comparáveis ao teste das esperanças que a maioria de um povo decida depositar num só homem e no seu projecto.

O que faz um político não é explicável inteiramente pela Ciência Política, é algo comparável ao mistério de um talento artístico: uma mescla de inventividade, personalidade e carisma. Filipe Menezes tem personalidade, mas nem inventividade nem carisma. Não é Marques Mendes e não fará melhor nem pior.

Quando uma Pátria quebra a alma, perde a coragem do risco!

P. S. Jornalistas?! Salvo meia dúzia de já cansadas excepções, não existem neste País.

carlos disse...

Dr.Pedro Santana Lopes:
Com os meus cumprimentos quero dizer-lhe que a Angela Silva,de facto,é diferente da Menina Avillez porque a Angela não consegue ter amigos que,por sua vez, são amigos do PR,nem,muito menos,janta com ele e assiste,supremo desejo,aos seus estados de alma reflectidos na pele visível aos outros humanos,isto é, na sua cara.
Isto,Dr.Pedro Santana Lopes,está a roçar o perfeito absurdo porquanto,está tudo a ser escondido ao Povo Português com a condescendência do PR.
Como pode alguém,com algum discernimento,acreditar que é benéfico para o País retirar,lentamente,tudo o que qualquer velho acreditou?Como pode alguém acreditar que Portugal possa evoluir com uma política fortemente ligada ao desemprego?Como pode alguém acreditar que a mentira e o descrédito pessoal não passa duma simples acção política?
Eu não sou, concerteza!
Portugal tem de mudar e não mudou com aquela rapaziada que esteve na Alemanha em 73 e,mais tarde,em Macau.
Portanto,a mudança espera por si,Dr.Pedro Santana Lopes.
Aceite,por favor,os meus cumprimentos
c.monteiro de sousa

Anónimo disse...

Caro PSL;

É com estima que vejo este novo PPD/PSD a tomar as rédias desta coisa.


Aquela canalhagem começou a derrocada,o amigão do engºSr Sócrates está perdido...apertem com ele que o tipo deita-se...está em queda livre...tentaram fazer dele o CavacoII,mas é uma sombra, uma nódoa,não tem consistência e como as bases de formação não existem esfuma-se a cada minuto que passa.

É hora do LFMeneses apertar forte com o seu exército, e encontrar o caminho da salvação,

Viva o PPD/PSD

Zé ANTONHO

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes, ainda não tinha dado nenhum comentário acerca da liderança do Dr. Luís Filipe Menezes, nem do novo PSD, pois o PPD só se intitula e bem com V. Exa. e com o Distinto Dr. Francisco Sá Carneiro, que se hoje fosse vivo, decididamente o País não estaria nesta situação, porque jamais alguém tinha qualidades para o tirar da liderança desta nação.

Pois bem o PSD, é hoje um partido a roçar a banalidade, onde é de lastimar todos estes episódios que o acompanham desde a sua saída da liderança, comecemos por Dr. Marques Mendes homem que segundo dizem inteligente, mas a que a meu ver a única vocação que ele tinha era ser um bom parlamentar, só que isso não chega para ser líder e o resultado viu-se durante os largos meses que esteve à frente do partido. Sucedeu-se Dr. Luís Filipe Menezes que segundo dizem é um grande autarca, como muitos que existem no País, só que o seu tempo esgotou-se aí, porque para liderar um País é necessário que tenhamos alguém que saiba geri-lo de um modo credível e o Dr. L.F.M. fez obra em Gaia mas deixou a câmara com um endividamento, que é o maior de todas as câmaras, perante isto o P.S. ainda não disse nada pois está à espera da altura certa para arrasar com o Dr. L.F.M., conforme fizeram com o Dr. Carmona em Lisboa que obrigaram a câmara a eleições antecipadas e aqui não vai ser diferente.

Outro senão no PSD é que o partido está definitivamente dividido em facções, sejam elas Barrosistas, Menezistas, Mendistas e outras istas quaisquer e assim sendo nunca mais teremos um partido unido em prol do País conforme os Portugueses Clamam.

Este almoço só bem evidenciar o mal-estar que se vive dentro do partido, aonde já se perfilam vários candidatos à sucessão do Dr. L.F.M., candidatos esses que não têm qualquer tipo de pudor em mostrarem que são candidatos a candidatos.

Não podemos condenar uma jornalista só por evidenciar tamanha vergonha que se passa no PSD, no entanto acho que V. Exa. se deve defender dos actos que contra si são ditos, pois “quem não se sente não é filho de boa gente” e V. Exa. definitivamente deve-o ser.

Dr. Pedro Santana Lopes já vimos por estes dois anos de governação que a oposição não vai conseguir destronar o P.S., porque a sua credibilidade está tão em baixo que dificilmente se levantará a tempo de uma qualquer disputa politica, assim sendo hoje se o Dr. Francisco Sá Carneiro fosse vivo e com tamanhas asneiras que este governo tem feito, ele ganharia estas e outras quaisquer eleições com uma perna as costas. Se não é aproveitada esta ocasião onde todos os Portugueses contestam esta governação, mas que olham para a oposição e não conseguem deslumbrar nada de melhor, nunca mais ninguém tirará Eng. Sócrates da cadeira em 2009, assim sendo peço-lhe e acho que tenho esse direito pois perante tamanha confiança que venho a assistir no seu blogue muitos, mas muitos portugueses continuam a clamar por si para a liderança não do PSD, mas sim para a liderança deste País, nem que para isso seja preciso constituir um novo partido e desde já lanço aqui um repto a todos os Portugueses que se unam em torno deste projecto, de maneira que consigamos se ainda formos a tempo de mudar o rumo a este País, de modo a que possamos nos congratular com esta pequena nação que se chama Portugal e de quem nós devemos ter bastante orgulho.

Um grande abraço Cordialmente.