quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Nota de esclarecimento

Retirei do post "Liberdade à Portuguesa" uma referência que fiz ao facto de José Pedro Aguiar Branco ser Presidente da Assembleia Geral da Impresa, sociedade proprietária do Expresso.
O texto era sobre Ângela Silva e essa referência é descabida, mesmo infeliz. Pode dar origem a interpretações de intenção que nunca tenho, seja com quem for, quanto mais com pessoas que respeito e considero.

3 comentários:

paf disse...

A ser verdade (e é...) que o seu ex-ministro da Justiça, o Dr. José Pedro Aguiar-Branco exerce o cargo de presidente da Assembleia Geral da Impresa, não vejo de que forma a referência que faz a esse facto no seu "post" possa alguma vez ser "descabida" ou "infeliz". Ou será que acredita que esse facto e a forma como o PPD/PSD e os seus actuais dirigentes são tratados nas páginas do jornal "Expresso" é apenas uma mera coincidência?!
Entendo o seu cuidado e elegância de trato, mas já viu o que seria se fosse ao contrário...?

Anónimo disse...

Caro Dr Pedro S. Lopes,

Um gentleman preocupa-se sempre
mais com a reputação de um amigo do que ele próprio.
É o seu estilo...e fica-lhe bem. Mas não se deixe condicionar demais, concordo que, por si, talvez não dispusessem da mesma cortesia.

Erenesto Sousa

Miguel Moreira disse...

“O ser humano é feito, entre outras coisas, de sonhos, ideais, expectativas...

O futuro, apesar dos percalços e obstáculos do presente, sempre se desenha com bons ventos, melhorias e conquistas. Por isso, sempre devemos prosseguir lutando, doando o melhor de nós na busca dos objectivos e metas.

Nesse percurso, à medida que nos esforçamos, alcançamos degraus intermediários e vitórias parciais que nos animam e estimulam avante. Ser reconhecido pelos que nos cercam, parentes ou colegas de trabalho, é um grande incentivo.

Aprendamos a elogiar as boas atitudes, as ideias felizes, os esforços sinceros daqueles que caminham connosco; digamos-lhes o quanto foi importante trabalhar juntos dedicadamente.

Evitemos abrir a boca para a crítica desalentadora, tendo em mente que colhemos tudo o que plantamos. O rigor desanima e afasta, tanto quanto as bajulações excessivas.

Elogiar é reconhecer as virtudes e os esforços dos outros, assim como gostaríamos que fizessem connosco.”

Do livro "Pequenas Atitudes", de Joamar Z. Nazareth

É com esta dedicatória que lhe quero dizer, alias como lhe disse recentemente na Assembleia da Republica numa visita, na qual tive o privilegio de conversar pessoalmente consigo, ainda que, fossem uns breves minutos, mas que serviram para confirmar o que já pensava da sua pessoa.

Um grande sentido humanista, com o “defeito” de ter o coração muito perto de tudo o que faz, todavia, com um PS com estas características, (completo domínio da comunicação social, perseguição nos locais de trabalho aos cidadãos que opinem contrariamente ao seu pensamento totalitário, forte pressão e selecção dos painel-eiros tv-pagos que nos fazem arrepiar a alma com a falta de isenção e independência politica, alguns dos ditos barões do PSD que se nutrem com o sistema, e por isso, só lhes interessa o homem que eles controlam quer vá no PS, quer vá no PSD, etc...) é necessário cerrar fileiras e por muito que vá contra a sua natureza o PSD muitas vezes terá de alinhar pelo mesmo diapasão do PS, repare bem na entrevista do Sr. Presidente da Câmara de Lisboa deu no programa Mesa para 4, do Rádio Clube Português (RCP)!!! classifica o "Público": "Indigno". No caso do casino de Lisboa, que rapidamente fez esquecer o negocio entre os ex-sócios do Sr. Ministro da Justiça, e o Estado. etc...

Eles não querem uma guerra leal, estão dispostos a destruir o PSD com a ajuda de alguns dos barões.

Cabe ao PSD resistir nesta guerra desigual...

Miguel de Almeida Moreira
Apúlia - Esposende