terça-feira, 1 de janeiro de 2008

NEUTRALIDADE NECESSÀRIA

O aparecimento de mais uma lista nas eleições para a Administração do B.C.P. vem provocar uma nova situação com consequências em muitas frentes. Naturalmente que muda a realidade no próprio Banco mas, pelos fundamentos apresentados, claro que questiona a posição do Governador do Banco de Portugal. Na verdade, é injustificável que tenha lançado suspeitas sobre todos os que foram Administradores desde 1999. A atitude de Miguel Cadilhe, Bagão Félix e outros, só por esse motivo é compreensível. Mas, agora , o quadro é mais amplo e ninguém pode garantir derrotas ou vitórias.

Importa agora exigir que as empresas com maioria de capitais públicos ou goldenshares do Estado se mantenham equidistantes na disputa em curso. Só assim se poderá dizer que o mercado funciona livremente. Luís Filipe Menezes veio, ontem, exigi-lo e ainda bem Foi inteiramente lógica a sua argumentação. Aliás, penso que essas instituições mantiveram uma posição também tão neutra quanto possível, na disputa entre Jorge Jardim Gonçalves e Paulo Teixeira Pinto. Se essa orientação for assumida, tudo será mais claro. E as pessoas talvez voltem a acreditar que Portugal não está a recuar décadas na sua organização comunitária.

3 comentários:

Manuel Silva disse...

Duas referências:

1ª) Se estivesse no lugar do Dr. Miguel Cadilhe retomava a hipotese de fusão com o BPI

2ª) A mesma coerência quando da votação para de decisão da OPA sobre a PT.

Cumprimentos
Manuel Silva

Ana Narciso disse...

Desejo que este nó se desenlace o mais rápido possível e que o Dr Miguel Cadilhe ganhe as eleições. Não gostaria de voltar a viver um novo período de nacionalizações.

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes, já não é a primeira e possivelmente não será a última que neste País se levantam suspeições, mas como as anteriores em nada deram, estas possivelmente irão pelo mesmo caminho, caminho esse que é o caixote do lixo. É impensável em plena democracia e em pleno século XXI, que se levantem suspeitas sem haver indícios, como é impensável que haja indícios que depois em nada dão.

Em relação as duas listas que vão a sufrágio, era bom que ganha-se a lista do Dr. Miguel Cadilhe, não por ele ser do PSD, pois como já referi eu não sou partidário, mas por ser uma lista sombra deste Governo, o que fazia com que o Eng. Sócrates tivesse duas derrotas consecutivas, que era a perda no B.C.P. e consequente perda na C.G.D. Mas ainda assim fico a espera dos resultados, pois o Governo ainda tem uma palavra a dizer, pois é accionista em empresas que detêm acções do B.C.P., e se até agora a vitória parecia sorrir aos homens de rosa, as coisas agora tornaram-se mais complicadas e conhecendo a maneira como este governo tem absorvido tudo o que é poder, há que esperar a votação dessas empresas com participações estatais a ver se realmente são mais uma vez vergadas perante o poder de quem o tem, ou se pelo contrário a verdadeira independência das instituições públicas aparecerá.

Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.