sábado, 1 de dezembro de 2007

A HORA DA DECISÃO







Maquetes do futuro Aeroporto de Beja





3 comentários:

Ricardo Araújo disse...

Boa tarde, Dr. Pedro Santana Lopes, quantos mais aeroportos vão ser precisos construir em Portugal?

Será que somos um País assim tão rico para que possamos construir um aeroporto em Beja, não é que eles não mereçam, mas amanhã não haverá outras cidades a reclamar também aeroportos, ou será que o nosso País é assim tão grande que mereça esta quantidade toda de aeroportos. Vou lembrar que a distância que existe entre as diversas cidades e os três aeroportos que temos actualmente é no máximo 200km, não será gastar dinheiro desnecessário do erário público em obras que em nada valorizarão o nosso País?

Temos que nos voltar para obras de maiores necessidades, pois só assim é que o nosso País evoluirá e não ao contrário como o que aconteceu com os estádios, que agora estão sempre às moscas e vimos muitos milhões de euros serem desperdiçados.

Espero que em relação ao futuro aeroporto de Lisboa, sejam feitos estudos bem aprofundados, pois já começamos a ouvir que o aeroporto da Portela pode ter uma vida até 2030, quando no início se falava em 2017.

Ao que parece os nossos governantes querem imitar os Países mais ricos e fazer o melhor aeroporto da Europa, mas não nos esqueçamos que nós não somos a nossa vizinha Espanha, muito menos França ou Alemanha, por isso é necessário pensar nestas obras com cabeça tronco e membros, para que amanhã não sejam apelidadas de elefantes brancos.

Lembro ainda que no Euro 2004 tivemos o maior fluxo de tráfego aéreo, que tão cedo não teremos outro igual e não comprometemos em nada, pelo contrário, demos provas que o aeroporto da portela tem capacidades suficientes para receber milhões de passageiros e se o problema é o aumento dos voos das chamadas companhias de baixo custo, então é preferível desviar estes voos para aeroportos mais pequenos, como se fazem em todos os Países Europeus.

Perante isto leva-me a pensar que iremos fazer mais uma obra só para agradar algumas pessoas que por ventura estejam interessadas nos terrenos da portela, ou para agradar algumas empresas que estão de garfo e faca afiadas para fazer a futura construção do aeroporto.

Não nos podemos deixar levar por demagogias, pois sempre que assim foi o resultado final foi uma lastima, acho que Portugal merece alguém à frente dos destinos que comece a pensar com a cabeça, em vez de andarmos sistematicamente ao serviço de interesses de grandes grupos económicos, ou de obras que vão deixar o País hipotecado por décadas e décadas sucessivas.

Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo.

António Luís disse...

Caro Pedro Santana Lopes!

Coloquei uma ligação do seu blogue no meu, "Panela de Pressão"!
Que não lhe doa a mão que lhe embala as suas opiniões escritas.

Cumprimentos.
A. Luís

Francisco disse...

Os Estádios não foram um bom investimento?... Então quantas pessoas trabalham à volta da "indústria" do futebol? Quantos emigrantes de alto rendimento temos espalhados pelas principais Ligas Europeias? Em que actividade profissional somos considerados entre os 10 melhores do Mundo? Qual a actividade profissional que nos torna conhecidos nos quatro cantos do mundo? Quem não conhece o Figo, o Cristiano Ronaldo ou o Rui Costa por esse mundo fora? Quantas pessoas nos visitam só por causa do futebol?

Pensem bem antes de comentar. Se não se fizessem os estádios para onde iria o dinheiro? O que propoem fazer em concreto? Colocar mais semáforos nas aldeias em que passa um carro por hora? Mais escolas quando há cada vez menos alunos? Mais habitação social para oferecer aos amigos?

É importante termos orgulho no Futebol Português. Embora alicerçado em muitas vigarices apresenta resultados inequivocos e deve ser incentivado e acarinhado...