domingo, 29 de janeiro de 2012

Provedor

A Revista Sábado - esta semana ainda mais acutilante - entendeu o post em que transcrevi uma frase de Cavaco Silva em que se diz «Provedor», como uma nota crítica ao Presidente...
 Como digo lá, a transcrição era para descontrair e só pelo facto de Cavaco, agora, também querer ser considerado Provedor, designação das funções que exerço na Santa Casa da Misericórdia... Só isso! Como disse, para descontrair.
Sobre as declarações de Cavaco remeto para o meu artigo do SOL de sexta - feira passada.

10 comentários:

miguel vaz serra....... disse...

Dr. Santana Lopes
".............Os senhores que se intitulam jornalistas há décadas que nem sabem o que é isso.
Vivem da discórdia, da especulação e do sensacionalismo barato.
Ninguém lhes faz já caso pois até “os lenços negros” não lhes dão ouvidos. Portanto o problema não está aí............."
dizia eu no seu post "Muita Atenção".
Que sabe essa gente de ironia, brincadeira de palavras ou humor político?
A maioria nem tinha nascido já andávamos nós aos gritos na rua a pedir liberdade quando o Partido Comunista, com ordens estritas de Cunhal/União Soviética, queria instaurar outra ditadura pior ainda que a de Salazar.
(A memória é curta e por isso nem os posso ouvir falar de liberdades na casa da democracia, a comer da mesma e dos contribuintes.)
Hoje em dia não há Jornalismo em Portugal!

Anónimo disse...

O Prof Marcelo Rebelo de Sousa, foi hoje o PROVEDOR do Prof. Cavaco Silva. Pareceu-me...

maria lisboa....... disse...

FINALMENTE Mr. Rebelo de Sousa diz algo pertinente:
"o que eu peço a esses CAVAQUISTAS é que Desamparem a Loja, o tempo deles passou,..... calem-se,.... desapareçam,..... reformem-se,........... brinquem com o quiserem, mas não com o país.."-Marcelo Rebelo de Sousa

silva disse...

Há uns anos atrás PSL usou uma expressão para exemplificar o momento por que passava, foi severamente criticado por isso. Hoje a situação é semelhante entre conversas já estamos todos fartos, de ao domingo ouvir a porteira ou a costureirinha de bairro sobre os erros de casting do governo e ou ainda as lamentações e interferências da plataforma de gasolineira de província.
Já chega!
O portugueses votaram e elegeram este governo, muitos estão conscientes das reformas necessárias e dos sacrifícios.
Parece que o respeito pela democracia é somente figura de retórica!

o cusco....... disse...

Tem razão Silva, mas quem alimenta essa lenga-lenga são estes fantoches que brincam a Jornalismo e que não fazem NADA para ajudar a mudar a mentalidade mesquinha.
Eles mesmo o são.

Anónimo disse...

Li com gosto o espaço que ocupa no semanário em apreço. Partilho da sua visão e opinião ao que acontece com o nosso Presidente em tempos conturbados como os que vivemos; de perspectivas socias bem diferentes daqueles porque nos debatemos a quando da implantação dos modelos sociais democratas que vigoravam na Europa da CE. O seu texto além de justo é também de um pragmatismo que fazia bem ser lido pelas gerações mais jovens... Obrigado!

Anónimo disse...

Quanto a mim, na base de valores como a austeridade e poupança, “daquele tempo”, estão os princípios, “daquele” e de todo o tempo, que os fundamentam, como a retidão (não sei se escreva com o novo ou o velho AO, estou tão baralhado…), virtude etc., que estruturam a personalidade humana para a adoção natural daqueles valores.
A retidão e a virtude, quanto a mim, implicam que a PESSOA não usufrua da reforma no ativo, muito menos se é superior ao vencimento.
Por isto, o artigo do Dr. PSL, não apontando os princípios que referi, não é exaustivo (ou suficientemente profundo), na caraterização da forma como fomos educados, para ser considerado “de leitura para os jovens”, para o fim entendido.
Sobre austeridade e poupança li há dias um texto intitulado “Aulas na Holanda”, que me fez recordar “aqueles tempos” e que afinal eu sou mesmo social-democrata (coisa que já vinha desconfiando).
O texto é de 30.09.2011 Helena Rico, 42 anos, Groningen, Holanda

emViasdeSerDemocrataDeFactum disse...

pois não tenho nada contra quem me abanou a incubadora....

aquela do não se deve demonizar o engenheiro que tanto bem fez à dívida nacional tamém foi gira...

já isto de ser pró-destruição do feriadismo nacional é suicídio político

ao menos o 5 de Outubro e o Carnaval de 93

esta é a moral meninas meninos

se não há carnaval

eles põem-se finos...

ter a escola aberta para quê se está tudo no carnaval...93 2012
os carnavais políticos são eternos

Anónimo disse...

Dr. Santana Corrido de São Bento Lopes,
Ainda bem que o senhor se sentiu ofendido pelo Fernando Rosas quando este o apelidou de SALAZAR, na TVI Notícias.
De facto, só mesmo por piada o Dr. Santana Lopes ser comparado ao mais insígne, prestigiado, sério, inteligente e competente ESTADISTA português de todos os tempos ! Os políticos actuais desta democracia falida neste Portugal moribundo não servem nem para apertar as botas ao Prof. Doutor Salazar !
Aliás,se bem me recordo, o Dr. Lopes foi chefe do governo por apenas 4 meses, aguentou-se muito pouco tempo no lugar, e a sua incompetência levou a que o presidente da república lhe tivesse dado o penalty entre o fim das costas e o principio das pernas! Tenham vergonha na cara, pois vocês todos juntos nem 1% valem em relação ao Doutor Salazar.

Anónimo disse...

O que ainda ninguém quis explicar e que eu gostaria muito de ouvir, é virem à televisão dizerem-nos como era Portugal ANTES de Salazar ter entrado para a governação em 1928, e depois comparar o País aquando da sua saída em 1968...
Ficamos à espera da vossa "esperteza saloia" e da vossa honestidade intelectual, se é que a têm... ouviu Dr. Lopes ?