sábado, 26 de março de 2011

Auditorias

Afinal já não há auditoria às contas nacionais. Há argumentos compreensíveis que explicam essa posição. Mas esses motivos já existiam quando, há semanas, alguns defendiam o contrário.

De qualquer modo, lembremo - nos: em 2002, as contas deixadas por António Guterres foram auditadas quando o Governo de Durão Barroso iniciou funções; em 2005 José Sócrates decidiu fazer uma projecção do que seria o resultado do exercício orçamental se não existisse Governo e se medidas de gestão não fossem tomadas.

Agora, em 2011, o vento volta a mudar.


12 comentários:

o cusco....... disse...

As contas são tão "bem feitas" para esconder a verdade, que até o FMI terá medo de as revelar!!!!!
Sócrates deixou Portugal mergulhado na mais pura das misérias e o pior é que durante a campanha, em que P.Coelho devia ter as contas na mão para mandar à cara daquele pulha a verdade, não vai ter nem vai falar disso.
Cavaco sabe das contas há imenso tempo e não fez nada.
Creio que prova algo...
Isto tudo está PODRE e cheira a isso mesmo!!!

Jorge Diniz disse...

Fui censurado?

Banda in barbar disse...

E as auditorias reduziram alguma vez os gastos

só os tornam mais invisíveis
nas montanhas de papel em que se soçobra

de resto a campanha do neto do João Soares versus a ameaça laranja
deram dinheiro a ganhar a muitos dos dois lados

e a contra-campanha também

se auditadas fossem as contas
ter-se-ia cortado na gordura desnecessária?

provavel mente nem por isso

auditoria-se a realidade?

aparentemente é desperdiçar tempo

vivemos fora dela há 36 anos

e em Abril faz 37

não que a irrealidade anterior

fosse melhor

mas era mais sólida...

Banda in barbar disse...

omentariile ulterioare vor fi trimise la bandalheira2012@gmail.com

obviamente todos falhamos nas previsões

é o sindrome do profeta em terra alheia

se profetizasse a bandalheira para 2011 ficava com 2minutos y 15 segundos de fama

boa ou má tanto faz

desde que dê dinheiro
qualquer amo serve

Hugo Correia disse...

(fora do tema)

O poder das imagens...

http://olavosaldanha.wordpress.com/

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Santana Lopes, já não há auditorias as contas publicas, porque essas devem estar um caco, o défice deve andar nos 10%.
Não convêm mexer no que esta mal, nem convêm que o FMI entre no nosso País, senão vai-se descobrir o que deve estar debaixo do tapete ao longo de muitos anos.
Para quando se fala a verdade aos portugueses?
Para quando o estado passa a ser uma pessoa de bem?
Para quando é que passamos a ser um País democrático em toda a sua plenitude e os Portugueses passam a saber toda a real situação, desde País a beira-mar plantado.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo

Anónimo disse...

Eu só gostaria de ver uma auditoria seria(todos sabemos como as auditorias funcionam) á CP e REFER.Devem ter um buraco financeiro tão grande que só mesmo vendendo o país completamente o conseguem tapar.
Moreno

Roxo d'inveja disse...

Jorge Diniz disse...

Fui censurado?

Diz-se auditorado....

é o novo acordo orto doxo?

Roxo d'inveja disse...

Enviar comentários posteriores para o endereço de correio electrónico ohmeudeusohmeudeus@gmail.com

também tinha este mas as águas de Março já não se prestam a procissões
para pedir água

até o BBVA está a dar umas taxas de juro engraçadas
de captação de capitais

o que quer dizer que infelizmente
nem migrando para espanha nos livramos

e os bancos alemães sofrendo do problema do franchising
sempre me pareceram duvidosos

acho que vou auditar as minhas contas antes da chegada do novo velho poder

Marco Esteves disse...

As contas nacionais não podem ser auditadas.

Correríamos o risco de sermos a nova Grécia e entraríamos directamente em insolvência.

Não acredito em Sócrates, não acredito em Pedro Passos Coelho. Não posso acreditar em que não mostra os números da verdade.

Dina disse...

Caro Dr Pedro
Acredite : Não há argumentos compreensíveis que explicam essa posição.
Podem é existir argumentos , que muito embora sejam incompreensíveis, terão que ser os equacionáveis .
O drama está na escolha!
O que eu considero «argumentos compreensiveis», são aqueles que me dizem : (por exemplo) Que houve uma (ou várias) auditorias crediveis às contas nacionais no ultimo mês . Se este fosse o caso , tudo bem. Partir-se-ia dessas auditorias para o trabalho .
Mas houveram ? Conhece-se algum relatório actualizado (após extrapolação dos efeitos do PEC's (I, II e III)nas contas nacionais? Conhece-se algum Relatório do Banco de Portugal com essa análise inserida? E do Tribunal de Contas ? As Instituições Europeias e FMI (que cá enviou técnicos) emitiu algum relatório de auditoria, onde conste o conhecimento desses pareceres ?
Eu não ouvi falar, mas se houveram , não estará aqui quem falou.
Depois existem os «argumentos incompreensiveis , mas que terão quer ser os equacionáveis» que me dirão mais ou menos : Que não se deve mexer muito mais na «sopa» porque ela pode azedar e piorar a situação de alguns; Que não se deverão mostrar as realidades todas, porque isso irá piorar a situação dos mercados e dificultar o financiamento a Portugal.
Eu então digo : Coitados daqueles que escolherem esta segunda opção , porque irá sobrar muita «sopa» para eles . Sopa já azeda e esturrada e eles acabarão mais queimados que tições . Vai ser uma questão de tempo . De muito pouco tempo.
É de facto preciso coragem , abnegação e honra perante o quadro existente .Vamos ver se haverá Alguém com «A» grande para o suportar!
Cptos

mil disse...

Só há uma explicação: alguém quer inflacionar os votos do PS; e continuar a «comer os portugueses por parvos». Espero que a maioria não seja 'engrupida', como é habitual.