sábado, 28 de agosto de 2010

O feitiço

Viajando por diferentes terras de Portugal, contactando com os Portugueses no seu dia - a - dia, entende - se bem que há conversas que cada vez menos lhes interessam... Mas, há alguns, poucos, que ainda seguem o que se passa na política.


Na Única, Revista do Expresso, edição de hoje, consta uma entrevista de Clara Ferreira Alves a José Sá Fernandes. Nas perguntas da entrevistadora estão implícitas ou explícitas posições suas que há muito não lia nem escutava... Por exemplo, sobre a importância que teria para a Cidade o projecto de Frank Ghery. Quanto às respostas do actual Vereador, nada de novo. Só acrescenta mais um ponto ao seu inacreditável conto para tentar diminuir a aversão que muitos cidadãos por ele nutrem por causa do embargo ao Túnel do Marquês. Diz a coisa espantosa de que, antes da intervenção do LNEC, o Túnel ia esbarrar contra o Metro!!!!!


É inacreditável como se pode dizer uma alarvidade destas. Deve pensar que o projecto era de alguém não credenciado, escolhido ali num qualquer Gabinete. Deve pensar que as obras são todas como a que fez no Jardim do Príncipe Real.


É uma ofensa aos engenheiros Portugueses, aos projectistas- que nada têm a ver com políticas- e ignora a realidade: para além do mais, o LNEC, por minha iniciativa, acompanhou o projecto e a obra desde o início.

Como se pode dizer tanta asneira, Santo Deus.

14 comentários:

Alberto disse...

Também viajando pelo país, mas pela Lisboa, explicava ao meu filho, pequeno de 7 anos, como os políticos deste país vão destruindo as coisas boas para as crianças.
Passávamos perto da Feira Popular. Recorda-se?
Expliquei-lhe que o autor da sua destruição era um suposto defensor de tradições, impoluto autarca e escriba dos tempos modernos.
Cumprimentos e mais uma vez lhe vou dar o prazer de utilizar o seu carimbo da censura.
Passe bem!

o cusco....... disse...

Da sua última frase, se me permite, eu respondo : Porque se está em Portugal!!!

Maria Ferreira disse...

Realmente é inacreditável...o túnel
a esbarrar contra o metro (e por mais velocidade que este levasse não escaparía á tragédia).
Mas pior que isso sería a queda do
nosso querido Marquês de Pombal.
Imagine o que ele pensaría...talvez
isto: "escapei do terramoto,mas do túnel de Santana é que não,era sorte a mais".

nuno disse...

como e que e possivel que uma pessoa como o vereador sa fernandes que ja deu milhoes de prejuizo a cidade de lisboa com as suas manobras de providencias cautelares e embargos conseguiu chegar a vereador da camara.e ai o PS tem grandes culpas pois deixou se ir mais uma vez nas manobras e habilidades do dito sr.mas ai tambem nos lisboetas temos o que merecemos pois na hora de votar metemos la esta gente

Pedro Santana Lopes disse...

Não censuro. Publico. Sinto, aliás, o mesmo.
Sabem os feirantes, entre outros,o quanto eu gostava da Feira Popular. quantas vezes lá ia com os meus Filhos. Tenho saudades. Mas também lhe devo dizer que cada vez eram menos os visitantes da Feira. É sempre assim: as pessoas falam muito mas, quando estava aberta, muitos esqueciam - se de lá ir.
Uma coisa lhe garanto: se eu tivesse continuado na Câmara, a nova Feira já estaria a funcionar. E, logo em 2005, eu disse onde entendo que deve ser: em frente ao Parque da Belavista. Já se perdeu muito tempo. Mas, agora, que os terrenos de Entrecampos voltaram para a Câmara, estão ao dispor para fazer nascer uma nova no mesmo local.
Cumprimentos, para si e para o seu Filho.

Maria Ferreira disse...

É verdade,a nossa Feira Popular,que
saudades tenho de uma sardinhada com todo aquele reboliço típico da feira.
Também levei muitas vezes os meus filhos,eles adoravam aqueles carrocéis,algodão doce,a confusão de gente e música no ar...
Passso várias vezes em frente a ela,na av da República.e sempre
sinto o vazio daquele espaço enorme
no meio de uma nobre avenida,e dentro de mim soam ecos distantes de uma saudade que permaneceu.

Arroios disse...

A aversão da actual equipa camarária ao túnel do Marquês é de tal ordem que raramente é limpo. O lixo acumula-se ali dias seguidos, o que corresponde perfeitamente ao nosso crescente terceiro-mundismo. Quem passa nos túneis do Rio de Janeiro não é diferente...

joyce disse...

Dr.Pedro Santana Lopes

Perguntar não ofende!
Esse fulano que dá pelo nome de Zé (da laia) como lhe chamo, na Câmara de Lisboa, já pagou o que deve, dos prejuízos que causou a Lisboa com o embargo do túnel do Marquês?
Não pagou? Nem paga!
Mas assessores arranja ele.
É fartar vilanagem!

Anónimo disse...

A versão do metro e do túnel que me chegou não era bem essa.Parece que distavam só dez centímetros um do outro, o que tornaria qualquer salto agulha capaz do impensável.

Quanto à "frigideira popular" peço desculpa se desaponto o comentador Alberto e o Dr. PSL mas não me ficaram grande recordações das "peregrinações" anuais com a miudagem. Primeiro era o filme do comboio fantasma e os traumas e birras inerentes. Depois era o algodão doce mais que duvidoso,as pipocas reformadas,os caracois omnipresentes e impensáveis. Isto para não falar no inenarravel "túnel da morte" onde nunca "falecia" ninguém mas que tinha o condão de à força de megafone ficar a ecoar em todo e qualquer pesadelo e, por vários dias.
Salvava-se a barraquinha dos tirinhos com espingarda de mira torta, onde se acumulavam peluches previamente encomendados e canecas do SCP,do SLB, do FCP, para gáudio da miudagem e desespero dos proprietários.
Depois era a incontornavel chegada a casa e respectivo duche reforçado para tentar, só tentar, tirar o cheiro a óleo que envolvia tudo. Nunca percebi como é que faziam aquilo, mas era absolutamente assim. A "frigideira popular" envolvia tudo e todos desde o Campo Grande até à Cinco de Outubro e com uma eficácia absolutamente espantosa. Nisso dou a mão à palmatória: eram soberanos....do cheiro a fritos!

Agora, aqui o cheiro é a queimado. Às janelas chega o fumo. Fagúlhas cobrem a água dos tanques, dos ribeiros, dos lagos.
A "época dos fogos" que se instalou para ombrear com a "época de exames" e a "época balnear" veio para ficar. Aqui, no Minho, por toda a galiza, no Gerês. Porquê? Que saudades do alegre e inofensivo fumo da "frigideira de entrecampos"...

George Sand

ze paulo fafe disse...

Meu caro Pedro,
Quem devia marrar de frente contra uma carruagem do Metro era esse cretinóide que ainda não percebeu que é assim uma espécie de "idiota (i)útil" de quem lhe dá guarida...
Abraço,
ZPF

Inez Dentinho disse...

A questão da proximidade entre os túneis do Metropolitano e do Marquês foi levantada, na época, pela CML e comparada com os exemplos europeus das duas capitais com mais túneis do Velho Continente: Bruxelas e Paris. A opinião dos especialistas, aí recolhida, foi a de que quanto mais próximo estivessem melhor, com ligações entre túneis paralelos, para efeitos de manutenção e, exactamente, de segurança em caso de acidente.

Anónimo disse...

Então mas umas plaquinhas de inauguração em lisboa a pensar nos netos?

Agora não te enganes e dás o cheque carro ao neto no natal e ficas com o cheque presente da pré-natal.
Assim mesmo, se os filhos nao te mudaram que sejam os netos, ver se é desta que endireitas a vida. Já não é sem tempo, oh traumatizado, nunca dês um martelo de S.João ao neto senão levas com ele na moleirinha e isso vai traumatizar-te ainda mais....ah e nao te esqueças das perguntas, tipo, porque tenho meios tios, e meia tia, pq tens tantas namoradas, pq tens tanto cabelo quanto eu, ou menos, pq não gostas de bichas? etc?

Anónimo disse...

Esta historia deveria acabar já. O metro tem grandes responsabilidades no subsolo, pois não exige aos empreiteiros telas finas, resultado andam todos a navegar à vista. As recomendações do metro é para se afastarem de cerca de dois metros do tosco (exterior da parede) pois poderá haver pregagem.
Isto tudo para informar que das várias reuniões com o metro raras foram as vezes que houve exactidão nas respostas, ausência total de um levantamento com rigor.
Então o que sucedeu? Tiveram que descascar e verificar o que se passava, fazerem vários levantamentos rigorosos.
É cansativo esta manipulação, demagogia, e esta sim canalhice!

Anónimo disse...

Mas esse tipo diz ou disse algum dia alguma coisa que não fosse asneira ?
Esbarrar contra o metro .....eh eh eh ! Até a minha filha se riu e tem 8 anos
Abraço Dr Pedro .
Você faz falta ao nosso Pais politico .
Rogerio Gonçalves