terça-feira, 30 de março de 2010

Inédito


Foi reprovado o Orçamento da Câmara na Assembleia Municipal de Lisboa.
Penso ser inédito no primeiro ano de mandato acontecer esta situação. Entre outros factores, tem de se levar em linha de conta que este foi um Orçamento apresentado muito tarde, com alguma sobranceria e com pouco cuidado no seu conteúdo. Recordo-me de o Vereador Sá Fernandes ter autenticamente gozado com um Vereador do PPD/PSD que há dois meses elencava a lista dos Municípios que já tinham aprovado o Orçamento.

A importância dada por António Costa, no mandato anterior e no discurso de campanha, à questão financeira fazia supor outra cautela e outro rasgo.

A propósito, merece leitura o artigo de Gonçalo Reis, na edição de hoje do Público, intitulado "A insustentável leveza do ser deficitário".

5 comentários:

César disse...

Realmente é uma situação preocupante para a câmara de Lisboa.Para quando uma nova votação?

Hugo Correia disse...

Já tinha lido a análise feita ao orçamento pelo Gonçalo Reis no Lisboa com Sentido e aqui no Público vem reafirmar a posição. Gonçalo Reis diz que não é capricho e também entendo que não. É exigência para fazer muito melhor, é exigência de quem trabalha com grande afinco em prol do grande objectivo que é o bem-estar do município e dos munícipes. É isso que se pede a uma oposição responsável, foi para isso que foram eleitos e não consta que o executivo tenha argumentos para contrapor esta posição. E com isto cai a máscara de um comandante fraco e com pouca resistência à contrariedade como se revela neste perder de estribeiras... “Estou farto do vosso marialvismo”, dirigido aos deputados que lideram a bancada do PSD.

À maria lisboa... abraço e boa Páscoa.

Anónimo disse...

Este PC de Lisboa tem muita pose. Um velho precoce com a mania que é mais "sério" que os outros. Muita parra e pouca uva como é costume.

PC

il disse...

Deixe-os pousar. No fim é que se fazem as contas e aí se vê a boa e a má moeda....
Cpts

Anónimo disse...

Dr. Pedro Santana Lopes
Recebi um e-mail sobre pensões de reforma, vencimentos, etc. de “figuras públicas/políticos, que deixam qualquer cidadão no mínimo indignado. Transcrevo alguma dessa informação e só pergunto: ISTO É VERDADE?
Se é só posso concluir que Portugal é um País de Proxenetas!
“1-Dr. Branquinho Lobo: pensão de aposentação por força de uma doença do foro psiquiátrico = incapacidade para a sua passagem à aposentação, a receber € 5.320,00; 30 Junho 2004 – Dr. Branquinho Lobo nomeado Director Nacional da P.S.P.  Pensão de aposentação por incapacidade + vencimento como Director da P.S.P (ou não se faz nada neste cargo, ou o trabalho dá saúde e então é pô-lo no activo); 2- Ministério da Justiça Despacho nº 22 237/2005 (2ª Série) – nomeação de Susana Dutra como assessora do Gabinete do Ministro, na manutenção dos conteúdos da página oficial do Ministério da Justiça a partir de 10 de Outº de 2005, com remuneração mensal de € 3.254,00 (!!!) + subs. refeição e Junho e Novembro com vencimento a dobrar. Susana Dutra é filha de quem a nomeou, o próprio Ministro Alberto Costa (haja decoro!); 2- Vasco Franco: habilitações literárias equivalentes ao 9º ano, aposentado com 50 anos como Técnico Superior de 1ª Classe. Depois de entregue o pedido de reforma, Vasco F. foi convidado para administrador da Sanest c/ ordenado líquido €4.000 mensais, convidado pelo Pres. Câm. Da Amadora, cuja mulher é secretária de Vasco Franco na Câmara de Lisboa. A Acumulação de vencimentos foi autorizada mas o salário de administrador é reduzido para €2.000 a partir de Julho mês em que se inicia a reforma. Além disto, mais €900 de outra reforma (ferido em combate em Moçambique já depois do 25 de Abril ???!!!) mais cerca de €250 em senhas de presença (?) pela actuação como vereador sem pelouro e ainda carro, motorista, secretária, assessores e telemóvel; 3- Aníbal Cavaco Silva: 3 pensões pagas pelo Estado: € 4.152,00 do Banco de Portugal, €2.328,00 Universidade Nova de Lisboa, € 2.876,00 por ter sido PM, podendo acumular com vencimento de P.R.; 4- prescreveu uma dívida de €700.000 de IRS de António Carrapatoso. Esta dívida, porque se trata de dinheiro devido ao Estado (a todos nós), não pode prescrever! ( Que Lata!!!); 5- Deputados: 1 mês de salário (€ 3.449,00) por cada seis meses de Assembleia ou Governo – 1 ano = €6.898, 10 anos = €68.980, mais os das subvenções vitalícias ou pensões de reforma (mesmo que não tenham 60 anos) por ex. Almeida Santos, Helena Roseta, Narana Coissoró, Artur Penedos ou Bagão Félix (entre outros); 6- Despesas com um Encontro dos Correios de Portugal: € 45.000 pagos a Scolari uma palestra de 45 minutos; decoração do espaço (Pavilhão Atlântico + de € 430.000, mais Jaguar e Mercedes à disposição... “
E muitos ouros exemplos. E se isto é tudo verdade, pergunto: -Mas afinal andam a gozar connosco ou quê? Por isso é que os que lá estão (no Governo) não querem sair e os que não estão querem tanto ir para lá. Todos tão patriotas, tão preocupados com o bem-estar do povo. Não será por estas coisas a falência da Segurança Social? E ainda querem controlar os Subsídios de Desemprego de alguns desgraçados que vivem da esmola alheia! E ainda vêm pedir sacrifícios aos Portugueses para ajudar a vencer a crise?
Palhaço, Cínicos! Como podem dormir descansados à custa do sangue, suor e lágrimas deste povo!
VIVA O VOTO EM BRANCO!

P.S.: Não faço questão que publique esta mensagem até pela sua extensão. Interessa-me mais que registe o meu desespero e a minha revolta por este grupo de vampiros que como cantava Zeca Afonso “...comem tudo e não deixam nada!”
Acredito em si, Dr. Pedro Santana Lopes, mas vivo com o receio de ler alguma notícia que me faça sofrer uma desilusão. E agora os submarinos... It stinks :(

MG