terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Reflexão II( ou uma questão de respeito)

Ontem à noite, mostraram - me mais uma revista daquelas com mais um texto daqueles.
Lamento profundamente que a minha vida pessoal tenha seguido, durante muito tempo, um rumo que dê azo a que se sintam à vontade para escrever o que entendem a propósito de mim.E, por causa de mim, sobre outras pessoas, em vários casos, faltando ao respeito que lhes é devido, como o é a qualquer ser humano.

Escrevem o que sabem e o que não sabem, não se preocupam em ter a certeza antes de publicarem textos do género. Escrevem - se falsidades, e muito mais, sem se querer saber se é verdade nem se cuidar do mal que se faz!... Como é possível? Na nossa Constituição defende - se a dignidade da pessoa humana. Deixou de valer? As pessoas que escrevem essas coisas não terão filhos? Não terão Pais? Não terão Família? Concerteza que têm. Então, pensem nessas pessoas, antes de escreverem o que escrevem.Pensem se gostavam que lhes fizessem o mesmo.

Conheço muitas pessoas, políticos, advogados, titulares de Altos Cargos do Estado que são divorciados, nalguns casos, várias vezes. E têm direito à reserva da sua vida privada. Eu expus - me durante anos, mas há anos, também, que não o faço.Mas será só por isso? Porque será que há tanto cuidado com uns e tanto à vontade com outros?Porque será que uns despertam tanta curiosidade e outros nenhuma?

Não sei, sinceramente, não sei. Hoje em dia não vou quase a lado nenhum, estou sempre em casa ou no trabalho. Mais reservado, é impossível. Já apresentei projectos de lei, como referi, mas não os consegui viabilizar.É difícil lutar contra este tipo de notícias. Principalmente, como disse, quando se tem culpa de não ter impedido a exposição durante uns bons anos.Disparates que fazemos e que custam caro. Muito caro.

7 comentários:

Alberto disse...

Não sabe? Mas devia saber! Isto, é que é lamentável da sua parte, não perceber que a invocação hipócrita da moral por certa imprensa é para o derrubar.
Disparates, todos os fazemos, os portugueses sabem disso porque muitos ainda têm educação católica e percebem o que é errar e perdoar.
Dr.Santana Lopes, desculpe-me a expressão:" Cague-se neles!".
E mais outra expressão, também muito portuguesa: " Em frente é que é o caminho!"

Hugo Correia disse...

Sobre isso, isto:

A regra

«Tratemos os nossos assuntos pessoais como se fossem segredos; para além daquilo que os bons entendimentos consigam alcançar, é necessário que permaneçamos inteiramente desconhecidos, pois aquilo que viriam a saber, mesmo quando afloram coisas inocentíssimas, pode ser-nos imediatamente nefasto. De resto, é melhor manifestar a razão que nos assiste, não através do que dizemos, mas através do que calamos.»

Schopenhauer, Aforismos sobre a sabedoria da vida


O porquê da regra

«Os insectos picam, não por maldade, mas porque também desejam viver. O mesmo acontece com os críticos: é o nosso sangue que pretendem, não a nossa dor.»

Nietzsche, Humano, demasiado humano


Lição aos caluniados

«É imprevidente desprezar censuras que nos sejam feitas, mesmo que sejam destituídas de fundamento. Assim, se te difamarem, por falsa que seja a invectiva, não negligencies ou desprezes o facto. Ao contrário, procura examinar as tuas palavras, a tua conduta, as tuas actividades predilectas, os lugares que frequentas, no sentido de apurar o pretexto eventual da calúnia, do qual deverás, daí em diante, resguardar-te e evitares a todo o custo.»

Plutarco, Como tirar partido dos inimigos


Lição aos caluniadores

«Os mentirosos só logram uma vitória: a de nunca mais se fazerem acreditar, mesmo quando dizem a verdade.»

Esopo, Fábulas


Citações tiradas de ''O Livro da Tranquilidade''. Apresentação de Olívia Benhamou.


São ensinamentos seculares, até milenares, que nos deveriam servir a todos e de que muitas vezes nos esquecemos. Como sugere o livro, elucida-nos a perceber e a ultrapassar determinados problemas com maior tranquilidade.

Mas o seu caso talvez seja o tal do 1 em 1 bilião. Apesar da sua auto-crítica e da 'cura' por si declarada, eles insistem na proliferação de falsidades, sem qualquer respeito pelos visados e violando qualquer tipo de princípios e de Lei. Para esses um remédio. Há violação da Lei? Então não é possível continuarem impunes. Se não há violação da lei(o que é errado) e se lhe servir de consolação, essas pessoas, um dia, de uma forma ou de outra, vão sofrer na pele e pagar por todos os erros e abusos que cometeram. É a vida!

Luis Melo disse...

Caro Dr. PSL,

O senhor que foi Presid. da CMFF... o que dizer disto? Maiorca - Nova junta dizimou eucaliptal

Anónimo disse...

Dr. Pedro Santana Lopes

O meu conselho é simples: tenha calma e aguarde. O tempo passa rápido e não vai ser preciso esperar muito para que algumas bocas repugnantes tenham de engolir o que de si disseram. Não tenho dúvidas acerca disso. Sabe uma coisa Dr. Santana Lopes? Você tem o "defeito" de ser uma pessoa comum, uma pessoa que nunca pensou que viver "de frente para as pessoas", dando a cara com naturalidade, o poderia vir a prejudicar. Actualmente está diferente, e faz bem Dr. Santana Lopes, procurando não "provocar" as línguas viperinas que abundam por Portugal fora, principalmente em alguma imprensa escrita dita "de referência" em que alguns comentaristas vomitaram, em tempos não muito idos, todo o ódio que lhes invadia as cabeças em decomposição.

Tenho a certeza que o senhor ocupará o lugar a que tem direito na política portuguesa. Mais cedo ou mais tarde, isso vai acontecer. Os incompetentes, para não lhes chamar pior, que regem o destino deste pobre país, não terão que temer pelo regabofe em que tudo se tornou. Uma das qualidades que grandemente aprecio em si, é que você não é vingativo, embora alguns marotos merecessem umas boas palmadas no espaço mole do corpo onde se concentra toda a sua capacidade e suprema inteligência.

Conduza a sua caravana, Dr. Santana Lopes, e deixe os cães ladrar à vontade. É a única coisa que sabem fazer.

Aposto e confio em si.

Permita-me enviar-lhe um grande abraço.

Fernando em Pessoa

Filipe de Sá disse...

Dr. Pedro Santana Lopes, queixa-se tanto da imprensa cor-de-rosa...Porque lhes dá então motivos para tanto zeriguidum? O mal não será seu??? Não será o Sr. Dr. que magoa as pessoas com tantas mentiras?

Quantas mulheres já magoou na sua vida? E a culpa é da imprensa por contar a VERDADE?
Quer continuar toda a vida a fazer-se passar pelo que nunca será? Pensa que as pessoas não sabem? Não vêm? Não passam a palavra? 4 comentários tem você aqui (de apoiantes ao seu desespero). Não tem vergonha de serem só 4???

Cresça!!!

Gui disse...

Meu caro, este país está cheio de gentinha. Gentinha ignorante, estúpida, ressabiada, mas que se acha muito inteligente, sabem tudo de quase tudo, mas não passam de carneiros que se limitam a seguir a voz de alguns cães que por aí andam. O português, não pensa; segue o pensamento dos outros. É moda bater no Santana Lopes? Então vamos zurzi-lo. É moda elogiar Saramago? Então vamos dizer que é um grande escritor, mesmo nunca tendo lido nenhum livro da criatura. Como eu ando em contraciclo, admiro Santana Lopes e detesto Saramago. Não porque tenha lido algo dele. Não li. Mas porque não gosto da pessoa que ele foi e parece que continua a ser. Lembram-se do Diário de Notícias de 1975? Eu lembro, e isso basta-me.

Manuel Silva disse...

É lamentavel. E lamentavel tb é ficarmos só pelas lamentações. Como manifestar a nossa indignação?

Infelizmente "eles" conseguem os seus intentos de descridibilização da sua pessoa. "Viste a última do Santana?" ou "ainda ontem, no jornal...". Tenho que estar constantemente a exigir seriedade de argumentos quando se fala da sua pessoa.

Ver na TV, ouvir no Rádio ou ler na Imprensa é, para a maioria das pessoas, "tar informado". Acompanhar as noticias com espírito critico exige tempo e esforço. A grande maioria das pessoas deixa-se enganar ingenuamente.

Que fazer? Não nos conformemos. Exerçamos o nosso direito de cidadania para exigir dos "media" e do Estado uma comunicação social digna, verdadeira, obectiva. Sobretudo a Assembleia da República não pode ser cúmplice duma comunicação social fraudulenta.

Como fazer? Congregue-nos Dr. Santana. Faça de nós uma força. Tenho a certeza que somos muitos.