domingo, 27 de dezembro de 2009

As coisas nos eixos

Ontem, ouvi um pouco do programa Eixo do Mal. Às tantas, dei por um indivíduo a ironizar com a minha vida profissional, por eu ter dito que podia "bater com a porta" no Partido em que milito... Hoje, dei - me ao trabalho de procurar, na Net, o curriculum desse ser humano. Vale a pena ler e confirmar a riqueza do percurso, a lógica profissional, os trabalhos conhecidos. É extraordinária a facilidade com que, em Portugal, pessoas que pouco de útil fizeram na vida, tentam parodiar, com sorriso alarve, o que os outros já fizeram e fazem.
Há quem tenha algum direito a satirizar porque se apresenta como humorista. Agora, que gente é esta, como este ser humano, e quem lhes dá o direito a avaliar os outros?
Uma das mudanças que é necessária em Portugal é a de pôr as pessoas na posição que merecem. Têm de se definir os estatutos em que cada um tem espaço, se são programas de humor ou de debate político sério. E, já agora, a autoridade de cada um para falar do que fala. O que estudaram, o que fizeram, o que são nas suas vidas profissionais.

25 comentários:

ɐɹɹɐpuɐq disse...

Não consigo identificar o tal "ser humano".
Concordo que "uma das mudanças que é necessária em Portugal é a de pôr as pessoas na posição que merecem". Mas permito-me acrescentar que antes disso é necessário em Portugal separar as bestas das pessoas.
Não é uma tarefa tão simples como possa parecer.

A disse...

Também ouvi hoje à tarde em repetição. É uma lástima aquele programa. Ou é cómico ou é sério. Se é cómico é trágici-cómico; se é sério é mesmo uma lástima.Vi muitas críticas ao discurso de posse do presidente do STJ quanto à matéria da comunicação social.Pareceram-me acertadas, ora vejam:
«A C.S. portuguesa beneficia e, simultaneamente, comparticipa do centralismo de poderes, típico no nosso país; daí que, salvo uma única excepção na imprensa escrita, tudo o resto se localiza no mesmo espaço metropolitano, com o mesmo conjunto de actores comentando as mesmas notícias e transmitindo para o resto do território opiniões nuclearmente formatadas.
Aquilo que era impensável há décadas atrás é, hoje, um acontecimento banal: jornalistas transformados em comentadores vão-se revezando no tratamento repetitivo do assunto que estiver na ordem do dia, expulsando cada vez mais os especialistas da matéria. Mas a C.S. tem, num mercado cada vez mais espesso e agressivo, um problema a resolver: o da concorrência.Com custos comprimidos, a qualidade dos jornalistas contratados e a ética profissional tornam-se secundárias»

É mesmo assim: sempre os mesmos a comentarem ora no jornal, ora na rádio, ora numa TV. Tudo formatado, tudo igual a caminho de uma sociedade cinzenta e caladinha.

Anónimo disse...

O Dr. Santana Lopes liga a um eixo representativo da mediocridade portuguesa, composto por uma loira soarista e uns rapazelhos?
Não é de dar importancia, por um lado e, por outro, em meu entender, para nosso mal, ninguém conseguirá mudar isso neste país.
De qualquer modo já não conseguem dizer mal do Sr. Dr.. Felizmente as verdades estão à tona.

Um muito bom ano para si e familia

Nuno Oliveira disse...

Não sou fan do programa. De vez em quando vejo para me rir um pouco e acabo muitas vezes enervado com certas opiniões. Mas é isso que elas são: opiniões. Não construtivas, é claro. Quanto a pôr as pessoas nos seus devidos lugares, há muita gente com poder para mudar que teria que ser colocada primeiro. Se fosse a RTP a fazer o programa, talvez achasse questionável. Como é a SIC acho que tem a liberdade de colocar no ar o que muito bem entende.
Se o achincalham, meu caro Pedro, é por que temem que venha ainda a fazer algo (bom ou mau). E eles não gostam de quem faça...
Gaste o seu tempo a fazer algo pelo país e deixe que digam mal de si à vontade: não há nada pior do que não falarem de nós; falem bem ou mal, mas falem!!
Quanto mais tentar retorquir a certas pessoas mais irá passar por vítima. E para isso basta-nos o PM.

P.S.: Largue o politicamente correcto e volte a ser contra o sistema como já foi. Precisamos é de pessoas com uma agenda para o país. E sabemos bem como isso é impopular..

Pedro Ferreira disse...

De um ser humano se tratava, é certo.
Mas manda a verdade que se diga o resto: ser humano, virgula, mas energúmeno falante, com tempo de antena e gargalhada alarve.
Por causa de pruridos com essa gente, não os chamando pelos nomes que merecem, que não têm pruridos em avacalhar a comunicação, é que estamos nisto.
Um alarve desbocado...mas não é o único naquela vitrine de calaceiros.
Veja-se uma tal donzela que dança conforme as "casas dos bicos" que lhe dão para bicar!

Anónimo disse...

Temos em Portugal um bom exemplo de uma pessoa que sendo humorista chegou a primeiro-ministro.

Fui ver o curriculo da pessoa. Apesar de ser mais jovem que PSL pareceu-me, se tirarmos as funções políticas de cada um, bastante mais extenso do que o seu.

Anónimo disse...

o tal ser humano escreve no Expresso.

on disse...

Um blog destes ou não tem comentários, ou tem todos.
Assim, é uma cobardia.

(Paulo Granjo) disse...

Ajudaria a sua indignação se o cidadão comum como eu soubesse o que V. Exª fez fora de cargos de nomeação partidária, para além do seu percurso como comentador desportivo e presidente do meu clube. (Ambos interpretados, pelos modestos seres humanos no seu lugar em que me incluo, como decorrentes dos anteriores).

Sabê-lo (e escrutiná-lo, apesar da irrelevância do nosso lugar - já que inaceitavelmente nos é reconhecido o estatuto de cidadãos apenas por termos nascido num local que o atribui a qualquer um) ajudaria certamente a que nos juntássemos à sua indignação ou, pelo menos, nos sentíssemos inclinados a pensar que as afirmações do tal "ser humano" seriam meramente humorísticas.
Não o sabendo, fica mais difícil.

Seria V. Exª um insigne jurista, cujas intervenções na barra e brilhantes requerimentos fizeram e fazem história quase mítica?
Seria um hábil e criativo cirurgião, capaz de salvar vidas e qualidades de vida onde outros só enfrentavam a derrota?
Seria um inovador empresário, transformando ameaças concorrenciais em soluções brilhantes, merecidos lucros e empregos bem remunerados?
Seria um genial académico e literato, colocando à vista de todos, de forma compreensível, a complexidade do mundo e da alma humana?
Seria um abnegado investigador, que apenas pelas mais altas urgências da nação e do desporto se quedou às portas da cura para a SIDA e o cancro?

Não o sabendo (perdoe V. Exª a comuns mortais no seu lugar como nós), a imagem profissional que projecta lembra estranhamente a daqueles dirigentes comunistas classificados como operários e que ninguém se lembra de ter visto noutra actividade nos últimos 35 anos.

Esclareça-nos, pois!

Quanto ao tal "ser humano" (e fora de âmbitos partidários), parece que era jornalista, antes de abraçar a curiosa função de "comentador" que V. Exª também exerceu.
Nada que eleve, obviamente, o lugar dele.

Zé do Telhado disse...

Santana, desculpa lá, mas esta é mesmo um tiro no pé...

nunocha disse...

Dr. Pedro Santana Lopes,

Presumo que o "palhaço" em questão costuma responder pelo nome de Daniel Oliveira. Sendo o caso, nada mais acertado será afirmar que "o cão ladra, mas a caravana passa".
Mas já agora era interessante saber as razões pelas quais o melhor dos que alguma vez passaram por aquele programa (estou a falar de José Júdice!) foi "saneado". E já agora relembrar o passado recente de quem já foi, passe a expressão, "santanete". Lembra-se dr. Santana Lopes? Qúem parece já não lembrar-se é a "Dra" Clara, essa eminente jurista e que juntamente com o "Dr." Carneiro Jacinto (outra sumidade do Direito)são duas indeléveis referências do panorama da nossa advocacia...
O que de facto não lhes falta é vergonha... Como se diz pelo BRsil é tudo "genti safada"! Mande-os dar banho ao cão..

Anónimo disse...

A questão é outra.
Alguém conhece um programa com gente de direita e centro-direita, em programas avacalhados de maledicência (também teria direito) ou coisas pró-sério de análise?
Somos um país de 50/50 + - na composição do parlamento e 90/10 na comunicação social.
Uma verdadeira "democracia" comunicacional pós-prec...
Ou de como há ainda demasiado esquerdismo na vida portuguêsa.
Só por isto vale a pena o combate sem tréguas.

António Azevedo disse...

Já agora é de notar que o ser humano referido bem como os de lisboa e outros lugares de nomeada, reparem:

Não querem as directas... em nenhum partido! porque será?

Anónimo disse...

O principal problema dos Portugueses, infelizmente, é a inveja. Não podem ver um pobre com uma camisa lavada...

À conta disso, perdemos todos.

carlos disse...

Dr Pedro Santana Lopes,bom dia.
O programa que refere (que há longo tempo deixei de ver) é de cretinos para cretinos sobre cretinices.Ora é sabido que o pior que se pode encontrar na vida é um cretino que acredita,com toda a alma,numa cretinice.O mais repelente é esse cretino ser mal intencionado.Os seres humanos que estão naquele programa são cretinos mal intencionados!
Cumprimentos
carlos monteiro de sousa

Anónimo disse...

O Eixo do Mal é um programa de entretenimento ao nível das manhãs da Fátima Lopes, particularmente aquela tertúlia que pretende comentar a vida mundana, mas pior, porque se armam em moralistas.
Ora quem não tem coluna vertebral, não deve falar de moral. Também por isso lhe aconselho a não ver, porque de facto o programa é mau e nem sequer entretém como deveria ser o seu objectivo, já que de jornalismo ou informação não se trata pela certa. Aliás SIC Notícias tem vindo infelizmente a decrescer muito de qualidade de conteúdos, salvando-se alguns poucos mas ainda excelentes programas como o Plano Inclinado.
A CNN tem excelentes programas à mesma hora, muito mais interessantes para quem se interessa pelo mundo e a sociedade global.

Ernesto Sousa

Anónimo disse...

Ó Granjo das 12:39 AM, trata-te filho.
Andas a fuçar nos calhaus que os antepassados do Machel usavam para matar crocodilos e nem sequer te dás ao trabalho de saber o que está ao alcance de qualquer um.
Não sabes que o Dr. Santana Lopes foi monitor e assistente na Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa?
Não sabes que foi bolseiro na Alemanha?
Não sabes que tem obra publicada no âmbito da ciência política (livros, artigos, entradas de enciclopédia)?
Não sabes que é advogado?
Não sabes que não é licenciado ao Domingo nem usa o título de engenheiro ilegalmente?

Ó Granjo, és um tonto, como o é o patético do Daniel Oliveira. Espumam de ódio e ficam cegos de tanta espuma que produzem.

José Peralta disse...

Dr.Santana Lopes

Seria muito interessante e útil (na minha modesta opinião !) que o Dr. aceitasse o judicioso desafio proposto pelo Sr. Paulo Granjo (Dez.28-2009-12.39 AM)!

Muito obrigado.

José Peralta disse...

Por acaso, o anónimo das 4.06 PM-28-Dez.2009 "não espuma de ódio, e não está cego por tanto ódio que produz"...

Pois ! O anonimato é próprio destes "insignes" cidadãos ! Sempre podem dizer o que lhes apetece, os "valentões"...

Anónimo disse...

Dr. Santana Lopes

Na minha opinião, não é vergonha nenhuma viver da política, ser político profissional.
Existe em Portugal esse preconceito já muito antigo: um cidadão deve passar apenas pela política, numa espécie de transição ou interrupção na sua vida profissional.
Porquê?
Não será a política uma actividade digna como qualquer outra profissão?
Ao "acusar o toque", o Sr. acaba por valorizar as palavras de um rapaz que faz da má-língua o seu ganha-pão. Mais: acaba por demonstrar - e por favor corrija-me, pois acredito que posso estar errado - uma tentação algo totalitária.
Por fim, acreditando que o Sr. conhece bem o país, estas afirmações de Daniel Oliveira não o deveriam surpreender, pois o português médio habituou-se a ver o Dr. Santana Lopes como um homem que "anda por aí" sem se lhe conhecer profissão fora da política.
Se é - ou não - verdade, julgo irrelevante pois, como já referi, não acho que tal seja razão para irritações, uma vez que o "homem político" que faz da política a sua vida é merecedor do maior respeito e consideração.

Anónimo disse...

Meus Senhores. Calma!

Aquilo é a nata da Culturre! Todos sabemos que a Culturre é de Esquerda!
É como La Réévoluçionn!
A resto é ralé ignorante.

Agora aqui para nós, alguém da Culturre devia ter avisado a Madame, antes de ela ir para aquele concurso, não sei se se lembram, chamar bêbado ao Pessoa, que o dito Pessoa, não era, mas sabia!

Foi uma gaffe daquelas!

E agora começaram a ficar histéricos, porque estão a perceber que finalmente toda a Verdade se vai saber.
E que o fim dos parasitas está próximo!

TéTé

Anónimo disse...

Caro PSLopes interrogo-me como Balsemão mantém este programa em que não há equilibrio. Todos remam para o mesmo lado.Onde está o moderador?Eclipsou-se?
Gosto de ouvir graçolas com inteligência, mas rancores ressabiados e patéticos, onde não se aprende nada? Olhe vejo o programa para ver até onde vão as palermices.
Para mim é imperdoável atacar-se uma pessoa pelas costas, e eles fazem-no.

mc disse...

bzzzzzz

bzzzzzzzz

cadê o mel!?


:)

Pedro disse...

Realmente lamentavel, um verdadeiro programa sem qualquer tipo de realidade... nem o tipico programa de fofoca é tão deprimente e de mau gosto como este eixo do mal... para um canal tão enorme de qualidade, tinha de existir um lado negro, aí está "Eixo do mal".

J.L. disse...

Estimado Dr. Pedro Santana Lopes,

Digam o que disserem, tenho-o por um Homem sério.

Tão sério que chegou a ser enxovalhado por ter dito, em público e na televisão, que vivia dos seus rendimentos mensais e que, por isso, tinha, também, algumas dívidas. Como todos nós.

As "elites" rejubilaram. O "pobo" achou que o Senhor era uma ave-rara. Um tonto portanto, dado não ser rico nem ter roubado o erário público ou dele se ter servido. Mas isso foram as "elites" e o "pobo". Porque o verdadeiro Povo, esse, geralmente, não se engana. Ou não se deixa enganar por muito tempo.

Quanto à "Santanete" do programa que refere, desculpe que lhe diga, mas o Senhor enganou-se quando lhe deu a mão. Quanto ao "ser humano" que refere e seja ele quem for, nem me quero pronunciar.

Nos anos recentes passados o Senhor deveria ter tido em atenção o que o Dr. Cavaco fez quando chegou a Primeiro Ministro.

Limpou, como sabe, o "topo" de todos os Ministérios de quase todos os antigos simpatizantes do PSD que por lá trabalhavam e que lá tinham sido "metidos" pelas anteriores "alas" do partido. Ao que consta, até as simples secretárias dos Gabinetes foram mandadas regressar às empresas originais de onde tinham sido transferidas ou convidadas. E assim tratou de preservar de jogadas e de "contos e ditos" o que se passava no interior do Governo.

Limpou , assim, o seu Governo de quase todos os "simpatizantes" dos PSD's da "Linha de Cascais". E só assim se entende que tenha sido nesse período que apareceram a público pessoas do PSD de outras regiões do País, nomeadamente as ligados a Coimbra. Por interferência, como se sabe, do Prof. Barbosa de Melo.

O Senhor deixou-se enredar na "teia" do PSD de Lisboa e da “Linha”. Talvez, por isso, o Dr. Menezes tenha sido apupado ao falar dos “sulistas e elitistas”. Teve falta de jeito, mas estava certo no raciocínio.

Sou do Porto. Tenho, actualmente, pouca paciência para política. Mas sei, também, que é muito grave a situação de um País em que muitos de nós se começam a desinteressar e a não discutir política.

Retomo o início deste comentário.

É V. Exa. uma pessoa séria, mas que esteve, certamente, mal rodeada. Deixe que o País, no seu todo, o incentive. Não se deixe enlamear pela "elite" Lisboeta ou da "Linha".

E não ligue, por favor, a esse programa de televisão que aqui refere. Nunca vi tanta raiva num só programa. Nem nunca vi até hoje, conforme V. Exa. refere, tanta gente com tão pouco de feito na vida a entrar diariamente nas nossas casas ou a encher páginas e páginas de jornais.

Mas esse é o problema do Portugal actual. Se os tivessem de contratar a tempo inteiro, nunca estariam por ali, na SIC, a debitar fel. Nem a "encher presuntos".

Mas repare que a sua seriedade nunca foi atacada. E isso me basta. Porque também sei que V. Exa. , quando quer, faz "obra".

E por isso, sendo V. Exa. uma pessoa que, quando quer, "faz obra" e que, simultaneamente, é uma pessoa séria, com a vantagem de sobre isto não fazer publicidade, auguro-lhe, ainda, um belíssimo futuro entre nós.

Trate de sua vida. Defenda e acautele, na "privada", o seu futuro profissional e financeiro. Mas depois, vá em frente por favor.

Porque o País precisa, como de pão para a boca, de Políticos Sérios, esteja certo. E V. Exa. é, sem dúvida, um excelente político. E é uma pessoa de bem e, como tal, séria.

Receba um abraço e os meus respeitosos

Cumprimentos.



P.S. E saiba, por favor, que eu nunca votei no PSD. Nem no tempo do estimado Dr. Francisco Sá Carneiro. Mas que votei em Cavaco Silva nas legislativas. E que repeti nas Presidenciais. E saiba também, por favor, que sou um confesso admirador do "pessimista" Dr. Medina Carreira, mesmo nunca tendo votado PS. Até acho curioso que este último tenha já um grupo de fãs no FaceBook.