segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Mais eficaz


Sem dúvida que José Sócrates falou muito, no debate com Manuela Ferreira Leite. Como alguém dizia, "conduziu a narrativa"... Só que Manuela Ferreira Leite foi, no geral, mais eficaz, do ponto de vista eleitoral. Sócrates falou muito, só que tenho ideia de que as pessoas estão saturadas de discursos.
Voltando a utilizar imagens do boxe, a líder do PSD pareceu aqueles pugilistas experimentados que se deixam estar junto às cordas defendendo- se dos "murros" do adversário e, de vez em quando, respondem com um "gancho" ou com um "upercut"( penso que são esses os termos...) que causam sério dano no competidor.
Como disse, mais eficaz, de acordo com os tempos que vivemos.

20 comentários:

Anónimo disse...

Os meus melhores cumprimentos...
Relembrando o passado, dir-se-ia tão-somente "olhe que não, olhe que não..."
Mas, citando Ortega y Gasset, "a única perspectiva falsa é a que pretende ser única" e o preconceito da verdade é assim a modos que coiso... Daí que todo e qualquer contributo no presente blogue, seja a meu ver salutar!
Para mais quando se voltou a assistir à mesma técnica e arte de desviar o debate da obra feita para as medidas a adoptar pela oposição, caso fosse poder.
E quanto ao boxe, talvez não competissem no mesmo escalão de peso... Mas o certo é que a líder laranja foi duas vezes ao tapete (SCUT´s e falta de ar democrático!), perdeu a oportunidade de contagem na questão da Segurança Social (conseguindo o nosso primeiro fugir com o rabo à seringa!), teve uma piada de elevado mau gosto (aquilo do filho assassino, só faltando dizer que era para ir ao bailde de orfãos!) e basicamente não se mostrou muito acertiva!
E a guerra com Espanha era evitada, porque não cabe na cabeça de ninguém que ande a ser ameaçada...
Por tudo isso, penso que foi derrotada, mas por menos que os do Sado na Luz...
Mas o debate que conta é o das urnas!

Hugo Correia disse...

Precisamente. Não acompanhei, pelo menos integralmente, um único debate entre candidatos a 1º ministro. Não vou em discursos de campanha eleitoral, estou sem paciência para ouvir 'medidas'. Manuela Ferreira Leite não era a minha escolha, mas agora é a melhor possível. Com o devido respeito pelas 'qualidades' de liderança e governação de José Sócrates, basta. Apenas lhe reconheço um mérito, o de me irritar o que não é fácil. Nunca usei de linguagem tão imprópia e insultei tanto alguém (aconteceu quase sempre que o via e ouvia, soava-me a falso), como nos últimos quatro anos e meio, sempre sem a presença de terceiros para não expôr a minha fragilidade e porque a minha ensinou-me a nunca fazê-lo. Mais claro não posso ser.

Anónimo disse...

O melhor comentário a respeito deste debate são as palavras do distinto Presidente do Governo Regional da Madeira Dr. Alberto João Jardim.
Manuela Ferreira Leite "deu um banho a Socrates"!
Fiquei a pensar no assunto e vi a imagem do que seria, um Socrates com necessidade de um banho e de mudar a fralda. De repente acordei!
Fui finalmente jantar!

JB disse...

Agora até nuestros hermanos se metem na politica portuguesa. Não interessa se há dinheiro, o que interessa é honrar "compromissos", o que vem mostrar que afinal o TGV interessa mais a Espanha que a Portugal. E se de repente os Portugueses viessem opinar sobre por exemplo como conduzem o dossier ETA? São à mesma ingerências na vida interna dos outros ainda que se assinem protocolos, compromissos ou o que seja. Na minha terra dizia-se tem que se estenter à medida do lençol.

Anónimo disse...

UM JOVEM QUE VIVE NO PASSADO E UMA SENHORA DE MEIA IDADE QUE SABE MAIS DO FUTURO

Ainda bem que o Sr Engº José Sócrates fez este debate com MFL. Toda a gente ficou a perceber a diferença entre não ter a mínima ideia do que é focar-se nas questões fundamentais para o país e saber como isso é importante na construção do edifício social. O futuro que o PM preconiza para o desenvolvimento do país é o elogio da loucura. Gastar até cair para o lado. Não interessa o dia de amanhã. Não interessa se estamos endividados até ao pescoço. O que é preciso é gastar. Do outro lado a simplicidade e o pragmatismo de quem sabe que sem criar riqueza não se podem proteger os mais pobres quanto mais auxiliar o remediados. Não se trata de ganhar ou perder debates à desgarrada. Trata-se de duas propostas completamente diferentes. Quem usa o argumento de que o PSD e o PS são iguais, deve rever a sua posição. Manuela Ferreira Leite nada tem a ver com Sócrates. E isso é o melhor que se tira deste debate.
Sócrates quer vender o futuro, sempre a falar do passado. MFL aceita e assume o passado mas não concebe a política como uma abstracção sobre um tempo que não se modifica. Isso mesmo explicou bem a quem por acaso precisasse ainda de perceber. As condições mudaram muito de 2003 para agora e portanto seria loucura usar os mesmos lenitivos para a economia. O que mais impressiona em Sócrates, e eu dou até de barato nesta fase o diploma, o freeport, a cova da beira e outras pérolas, o que mais impressiona dizia, é a falta de visão deste homem que quanto a mim é explicada também pela impossibilidade de voltar atrás face à política de comunicação que seguiu e com que inundou durante 4 anos e meio os méda em Portugal. Sócrates é vítima de ele próprio e parece gostar.

Ernesto Sousa

Anónimo disse...

MFL tem vindo a ganhar credibilidade com o seu estilo próprio, pois já estamos fartos de conversa. O PM fala muito bem, mas tem os actos que ainda falam melhor. E uma coisa que não esquece ao eleitorado é o que ele fez aos professores e funcionários públicos. Toda a gente sabe que MFL não é flor que se cheire, mas mesmo assim é bem provável que o seu partido venha a ser o mais votado, beneficiando das asneiras de Sócrates no campo das reformas referidas.

Anónimo disse...

Julgo que Manuela Ferreira Leite respondeu de forma eficaz ás perguntas ás quais eu ambicionava saber as respostas, ficando totalmente esclarecida, ou pelo menos sem a sensação de grandes desvios.

Todavia não esqueçamos que vivemos num país de analfabetos.
É mais fácil ir por um discurso (de Sócrates) que ataca de forma agressiva, usando palavras curriqueiras do que apreender e aceitar como verdadeiras justificações, por muito simples que possam ser (caso do TGV)

Num debate a linguagem deve ser o mais simples e acessivel possivel, acho que MFL falhou aí um pouco. Uma das coisas que gostei muito foi do "Criar a riqueza para não haver necessidade de se dar tantos apoios". Isso é um conceito obvio e que deveria ter sido mais explorado. De uma forma mais clara, porque Socrates aproveitou muito simplesmentemente para dizer "ah então quer retirar os apoios? acha que não são preciso apoios?". E no fim, a ideia que fica em muitas cabeças é essa.

Acho que sim é preciso é criar a riqueza. Ainda estou para saber quais foram os apoios que deram ás PME's que há minha não chegou nada, bem pelo contrário.

Penso que é importante Manuela Ferreira Leite ser mais dura com Socrátes, perguntar-lhe se aquele tique nervoso do sorrisinho não tem cura e explicar aos Portugueses porque é que devemos votar nela.

Porque eu preciso de saber porque é que vou votar nela. Não quero votar nela, só para não votar nele. Quero dar um voto esclarecido. Acho que não basta contra atacar, é preciso saber o que é que ela vai fazer e que garantias nos dá de que Portugal vai continuar a ter desenvolvimento na área tecnologica.

Maria

Catarina Gonçalves disse...

Boa tarde Dr. Pedro Santana Lopes,

Penso que a Dra. Manuela Ferreira Leite esteve melhor.

Gostei:
a)Do caso TGV, e dos espanhóis.

Portugal, esteve durante 60 anos de domínio filipino, e aqui os espanhóis respeitaram os portugueses dando-lhes grande margem de autonomia em tudo o que faziam, vivia-se um período de serenidade política e de bem estar económico.
Creio que chegou. E onde já lá vai ….!!!
Portugal “não é uma província espanhola” e os espanhóis devem respeitar os portugueses das decisões governamentais que irão ser tomadas, pois o mais importante, num país envolto numa bruma intensa e pouco vindouro, é a redução inerente aos fortes gastos públicos, não essenciais. E aumentar, sim a concentração nas PME com a criação de riqueza e investimento.

b)Os privados, na saúde, funcionam como complementaridade ao sector público. E ainda bem!

c)A mais gira: “Parece aquela pessoa que mata o pai e a mãe e diz que é órfão”. (um pouco aguerrida e bastante forte num frente a frente político). Admiro a coragem!

Não gostei:

a) Das interpretações do (Eng.) Sócrates aos comentários da Dra. Manuela Ferreira Leite. Será que a interpretação matemática e de raciocínio lógico é a mesma?

b)O inglês introduzido, nas escolas, desde o inicio dos princípios obrigatórios escolares, funciona com o rigor e a primazia, com o qual foi enunciado?

Citando um escritor, já falecido e político de esquerda, mas um grande visionário de “Os Nós e os Laços”, e aqui reside a diferença para o que Portugal precisa e referindo-me à atitude e postura do actual PM e à aposta numa mudança e num compromisso “mais eficaz”.
“Temos dificuldade em compreender nos outros aquilo que não somos capazes de viver”.
(Alçada Baptista, in “Catarina ou o Sabor da Maça”)

Catarina

Anaquariana disse...

Mais eficaz?!...

Ainda de acordo com os tempos em que vivemos...

Só podia dar massacre defrontar o Engenheiro. Isto não se faz a uma cinzenta senhora que ainda vive num mundo em que o casamento só serve para a procriação.
Ferreira Leite, ao nada dizer, luta por fundar a verdade no culto da sua imagem.
Verdade...
A cada conceito o seu modelito.

Anónimo disse...

desculpem mas devo ter visto outro debate que não este que vocês comentam...provavelmente tive um apagãoooooooooooooooooooo....

Carlos disse...

Caro Santana lopes se pretende dar destaque a MFL devia ter colocado a imagem dela do lado esq do ecrã...assim deu (inconscientemente) a vitória a JS.
elementar

Ricardo Araújo disse...

Boa noite Dr. Pedro Santana Lopes penso que o debate correu muito bem a Dra. MFL, penso que terá sido o seu melhor debate, onde estava mais bem preparada.
Já se comentava nas ruas que o animal politico Sócrates iria mandar a senhora ao tapete, mas não foi isso que aconteceu, o que vimos foi o contrário.
MFL esteve quase bem em todas as questões, mas aonde ela foi melhor, foi em relação ao TGV, projecto que envolve milhões e milhões de euros e que em nada servirá o País.
O TGV será mais um elefante branco, como os estádios.
Em relação a polémica com os Espanhois, não devemos dar muito relevo, pois não podemos, nem devemos deixar que eles mandem no que é nosso, se eles quiserem investir, tudo bem, agora fazerem o que fizeram com a TVI, onde investiram e agora demitiram o José Eduardo Moniz e a Manuela Moura Guedes, só por interesses partidários segundo rezam ás crónicas, isto é que se chama escandaloso.
Quanto ao resto, já diz o ditado, os cães ladram e a caravana passa.
Um grande abraço, cordialmente.
Ricardo Araújo

Anónimo disse...

MFL está a conquistar terreno.E a ida aos GATO FEDODENTO foi benéfica para a sua imagem. Começa a ser cada vez mais claro que é bem possível vir a ganhar as eleições.

Jorge Diniz disse...

A eficácia mede a relação entre os resultados obtidos e os objectivos pretendidos, ou seja, ser eficaz é conseguir atingir um dado objectivo (diz respeito a um fim que se quer atingir).

Caro amigo (oxalá permita que assim o continue a tratar) e companheiro, ser eficaz é:
«dar um passo atrás»?
ficar sem “resposta”?
«“medir” a lei de Gresham»?
OU
«mudar de rumo»?

José Oliveira disse...

Meu caro Pedro,
Concordo com o comentário sobre o debate. No entanto eu considero que Manuela Ferreira Leite esteve muito mal quando se referiu aos espanhóis. Eu, tal como amigos meus espanhóis, que não conhecem a MFL, acho que ela sustentou a sua imagem de retrógada e acenou com dores de cotovelo do passado. Neste caso esteve péssima, assim como esteve mal com a questão das SCUTS. Sócrates respondeu-lhe com assertismo: MFL não quis perder votos com as portagens ... que serão uma inevitáveis.

silva disse...

Apesar do debate se ter centrado na Alta Velocidade julgo interessante responder a uma série de perguntas, que para mim são claras mas que suscita dúvidas a muitos.
1º-Os custos, mas sobretudo os encargos financeiros da Alta Velocidade prolongam-se durante muitos anos e vão pesar no orçamento de estado durante quanto tempo?
2º-As verbas da União Europeia os tais 350 milhões de euros são pagos ao longo de quantos anos?
3º-As decisões que estão a ser tomadas, nomeadamente a colocação da Estação Central de Lisboa na Gare do Oriente, serve para dividir os custos de manutenção INCOMPORTÁVEIS desta estação com a REFER?
4º-A 3ª Travessia com apenas 50metros de altura com uma previsão de 4 linhas ferroviarias e eventualmente 6 rodoviárias vai tornar uma zona de Lisboa insuportável, tal como é hoje Alcantara (quando a ponte está a 100metros).
Vai IRREMEDIAVELMENTE destruir as vistas do Tejo e Mar da Palha, e o desenvolvimento harmonioso da frente rio do Barreiro.

Será que estas decisões servem para branquear tomadas de decisão anteriores irresponsáveis?
Será que o momento actual e o individamente não é suficientemente grave para que os acordos não sejam renegociados?

Estas são perguntas que deveriam ser claramente respondidas.

O desenvolvimento harmonioso e sustentável da àrea Metropolitana de Lisboa será profundamente afectada caso estes projestos Alta Velocidade, Aeroporto em Alcochete e 3ª Travessia do Tejo não for novamente equacionadas e estudadas.

Luis Melo disse...

E Sócrates é anti-italiano e anti-nortenho?

Estou farto de ouvir socialistas e outros dizerem que Manuela Ferreira Leite tem um preconceito anti-espanhol por ter dito o que disse no frente-a-frente, sobre o TGV.

Esses senhores que dizem essas barbaridade são estúpidos e querem fazer de nós estúpidos. Então dizer que não será PM para defender os interesses dos espanhóis é ser anti-espanhol?

Aliás, se MFL fosse anti-espanhol não teria aceite trabalhar no Banco Santander durante vários anos. Alguém quer maior prova de que ela não tem problema nenhum com espanhóis? Simplesmente não vamos enterrar mais o país com o TGV, simplesmente porque também faz jeito a nuestros hermanos.

Ou será que esses senhores estúpidos - que tentam distorcer factos, para que estes se tornem armas em favor deles - também acham que José Sócrates é anti-italiano por ter dito que vendeu parte da GALP a Amorim e Eduardo dos Santos "para não deixar cair a GALP em mãos italianas"?

Ou até poder-se-á dizer que Sócrates é anti-nortenho por não permitir que a Sonae tome conta de empresas como a PT ou como a ZON?

Anónimo disse...

Bem acabei de ouvir os comentários bossais do Ministro Mário Lino, a propósito do TGV e das preocupações de vários economias e políticos.
Este senhor cruza-se comigo todos os dias, e todos os dias a caminho do seu ministério entretém-se a fazer o Sodoku.
É vê-lo de "chôfer" de recorte de jornal dobrado em cima da perna, de esferógrafica em punho a exercitar o carola.
Sem dúvida o Sodoku é um excelente passatempo para exercitar o cerébro, mas ao longo destes quatros não temos visto melhorias, "jamé" o seu cerebro se desenvolverá.

Anónimo disse...

E eu a pensar que a série do Avô Cantigas já tinha acabado!!!
Já se esqueceram do que esta Sra. fez quando esteve no governo, ou têm memória curta?

esoj solrac osodrac zecrag disse...

Olá Pedro COM SENTIDO!!! UNICO!!! E CAMINHAR COMO APOSTULO NA DEFESA DA NOSSA LISBOA.
NO NOME TENS "SANTANA"DO ARCO DISPERÇO ...E PERDIDO... AGORA NA PRAÇA DE "ESPANHA",..S,ta Ana.
O "Lopes" é marca de lapis do lopes...como aprendi na escola em miudo.
Amigo em sentido unico a amar lisboa e olivais...amanhã vai fazer sentido ganhares no coração novamente a "Tua Lisboa"!!!
E...eu na tua proximidade e amor a "lisboa"...vou te cumprimentar...como tantos anonimos que amam a nossa LISBOA...com os sete sentidos!!! 0 sexto teu!!! e o setimo meu !!!no rissol que comeste no caminhar por "Roma"a tua avenida depois da igreija em "Cochanata"naquelo gesto bonito do abraço do "carmona rodrigues"no redimir de "Querelas e feridas antigas"
Parabens...amigo "Olivais"da "SUF"...dos pobrezinhos...tu mereces a nossa Lisboa de "SENTIDO ÙNICO" na maneira e modo como sentes e amas a nossa Lisboa Rio...em nome TEJO que é o rio que muitos mas muito portugueses aprenderam a nadar e a amar na doca dos "Olivais" e praia de "Xabregas".
Amigo...sabes ...confesso!!! que em jovem ao nadar no rio na maré vazante cheguei a sair entre as duas colunas da Praça do Comercio...que hoje é...!!! um não sei quê...!!!de uma qualquer coisa ...!!!!que os que amam Lisboa não sabem o que "È"...!!!sem sentido,do Costa que nunca foi nem será de Lisboa...nem na cor quanto mais no ser de LISBOA.
Eu vou estar presente no dia da tua "VITÒRIA POR LISBOA"...!!!com sentido para te oferecer o cartaz dos alunos em tua memoria futura.
Obrigado...Amigo PEDRO...o grande sentido a LISBOA.
Jose garcez